Crenças Fundamentais

Nós traçamos as nossas origens à Igreja que Jesus fundou no início do primeiro século. Seguimos os mesmos ensinamentos, doutrinas e práticas então estabelecidas. Nossa comissão é proclamar o evangelho do Reino de Deus a todo o mundo como testemunha e ensinar todas as nações a observar o que Cristo ordenou (Mateus 24:14; Mateus 28:19-20).
 
Abaixo vê um sumário das crenças da Igreja de Deus Unida. Por favor, leia o nosso guia de estudo entitulado "Crenças Fundamentais da Igreja de Deus Unida" para uma explicação mais detalhada de nossas crenças.
 

Deus Pai, Jesus Cristo e o Espírito Santo
Acreditamos num único Deus, o Pai, que é um Espírito e tem existência eterna, é um Ser pessoal que possui suprema inteligência, sabedoria, amor, justiça, poder e autoridade. Ele, através de Jesus Cristo, é o Criador dos céus e da terra e de tudo o que neles existe. Deus é a Origem de toda a vida e Aquele para quem a vida humana existe. 
Acreditamos num Senhor, Jesus Cristo de Nazaré, que é o Verbo e que tem existido eternamente.
Acreditamos que Ele é o Messias, o Cristo, o Filho divino do Deus vivente, concebido pelo Espírito Santo e nascido em carne humana pela virgem Maria.
Acreditamos que foi por meio d’Ele que Deus criou todas as coisas, e que sem Ele nada do que se fez seria feito.
Acreditamos no Espírito Santo como sendo o Espírito de Deus e de Cristo. O Espírito Santo é o poder de Deus e o Espírito da vida eterna (2 Timóteo 1:7; Efésios 4:6; 1 Coríntios 8:6; João 1:1-4; Colossenses 1:16).

A Palavra de Deus

Acreditamos que as Escrituras, tanto o Antigo quanto o Novo Testamento, são a revelação de Deus e a Sua completa e expressa vontade para a humanidade. Toda a Escritura é inspirada em pensamento e palavra, infalível nos seus textos originais; é a autoridade suprema e final na fé e na vida; e é o fundamento de toda a verdade (2 Timóteo 3:16; 2 Pedro 1:20-21; João 10:35; 17:17). 

Satanás, o Diabo
Acreditamos que Satanás é um ser espiritual, que é adversário de Deus e dos filhos de Deus; A Satanás foi dado domínio sobre o mundo por um tempo determinado; Satanás tem enganado a humanidade fazendo com que Deus e a Sua lei sejam rejeitados; Satanás tem governado baseando-se no engano, com a ajuda de uma multidão de demónios que são anjos rebeldes, seres espirituais que seguiram Satanás na sua rebelião (Mateus 4:1-11; Lucas 8:12; 2 Timóteo 2:26; João 12:31; 16:11; Apocalipse 12:4, 9; 20:1-3, 7, 10; Levítico 16:21-22; 2 Coríntios 4:4, 11:14; Efésios 2:2).

A Humanidade
Acreditamos que a humanidade foi criada à imagem de Deus com o potencial de virmos a ser filhos de Deus, compartilhando da Sua natureza divina. Deus criou a humanidade da carne, que é uma substância material. Os seres humanos vivem pelo fôlego da vida, são mortais, sujeitos à corrupção e decadência, sem vida eterna, exceto como o dom de Deus debaixo dos termos e condições expressas na Bíblia.
Acreditamos que Deus colocou perante Adão e Eva a escolha da vida eterna pela obediência a Deus ou da morte pelo pecado. Adão e Eva cederam-se às tentações e desobedeceram a Deus. Como resultado, o pecado entrou no mundo e pelo pecado, a morte. A morte agora reina sobre toda a humanidade porque todos têm pecado (Gênesis 1:26; 2 Pedro 1:4; Hebreus 9:27; 1 Coríntios 15:22; Romanos 5:12; 6:23).

A Lei de Deus e o Pecado 
Acreditamos que o pecado é a transgressão da lei. A lei é espiritual, perfeita, santa, justa, e boa. A lei define o amor de Deus e está baseada nos dois grandes princípios de amor para com Deus e de amor ao próximo. Ela é imutável e obrigatória. Os dez mandamentos são os 10 pontos da lei de amor de Deus.
Acreditamos que a quebra de qualquer ponto da lei traz sobre uma pessoa a penalidade do pecado.
Acreditamos que esta lei espiritual fundamental revela o único caminho para a vida verdadeira e a única maneira possível de felicidade, paz e regozijo. Toda a infelicidade, miséria, angústia, e aflição vieram pela transgressão à lei de Deus (1 João 3:4; 5:3; Mateus 5:17-19; 19:17-19; 22:37-40; Tiago 2:10-11; Romanos 2:5-9; 7:12-14; 13:8-10). 

O Sacrifício de Jesus Cristo 
Acreditamos que Deus amou tanto o mundo de pecadores impotentes que Ele deu o Seu unigénito Filho, o qual, mesmo sendo tentado em todos os pontos da mesma maneira que somos, viveu sem pecado na carne humana. Aquele Filho, Jesus Cristo, morreu como um sacrifício pelos pecados da humanidade. A Sua vida, porque Ele é o criador de toda a humanidade, tem muito mais valor do que a soma total de todas as vidas humanas. A Sua morte é, portanto, suficiente para pagar a penalidade dos pecados de todos os seres humanos. Pagando esta penalidade Ele fez possível, de acordo com o plano de Deus para cada pessoa e para a humanidade como um todo, que nós tenhamos os nossos os pecados perdoados e que nós sejamos libertados da pena de morte (Hebreus 4:15; 9:15; 10:12; João 1:18; 3:16; Colossenses 1:16-17, 22; 1 João 2:2; 4:10; Efésios 1:11; Apocalipse 13:8). 

Três Dias e Três Noites 
Acreditamos que o Pai levantou Jesus Cristo dentre os mortos depois que o Seu corpo jazeu três dias e três noites na sepultura, tornando assim possível a imortalidade ao homem mortal. Ele, depois de tudo isso, ascendeu ao céu, onde agora se senta ao lado direito de Deus Pai como nosso Sumo Sacerdote e Advogado (1 Pedro 1:17-21; 3:22; Mateus 12:40; 1 Coríntios 15:53; 2 Timóteo 1:10; João 20:17; Hebreus 8:1; 12:2). 

O Arrependimento e Fé
Acreditamos que todos os que verdadeiramente se arrependem dos seus pecados em completa rendição e obediência voluntária a Deus, e que em fé aceitam Jesus Cristo como o seu Salvador pessoal, têm os seus pecados perdoados por um ato de graça divina. Tais indivíduos são justificados, perdoados da penalidade do pecado e recebem o Espírito Santo, o qual literalmente reside dentro deles e os supre de amor divino, com o qual apenas se pode cumprir a lei e produzir a justiça. Eles são batizados pelo Espírito colocando-os no Corpo de Cristo, que é a verdadeira Igreja de Deus.
Acreditamos numa mudança permanente na maneira de viver e na atitude. Somente aqueles que tiverem a presença interna do Espírito Santo, e estejam sendo guiados por esse mesmo Espírito são de Cristo (Actos 2:38; 3:19; 5:29-32; 2 Coríntios 7:10; João 3:16; Efésios 1:7; 2:7-9; Romanos 3:21-26; 5:5; 6:6; 8:4, 9-10, 14; 13:1; Jeremias 33:8; João 14: 16-17; 1 Coríntios 12:12-13; Filipenses 2:3-5). 

O Batismo da Água e a Imposição das Mãos
Acreditamos na ordenação do batismo de água, pela imersão, depois do arrependimento. Através da imposição das mãos, com oração, o crente recebe o Espírito Santo e torna-se parte do Corpo espiritual de Jesus Cristo (Mateus 3:13, 16; João 3:23; Actos 2:38; 8:14-17; 19:5-6; 1 Coríntios 12:13). 

O Dia de Sábado 
Acreditamos que o sétimo dia da semana é o Sábado do Senhor nosso Deus. Somos mandados descansar das nossas obras e adorar a Deus neste dia, seguindo os ensinamentos e exemplo de Jesus, dos apóstolos, e da Igreja no Novo Testamento (Génesis 2:2-3; Êxodo 20:8-11; 31:13-17; Levítico 23:3; Isaías 58:13; Hebreus 4:4-10; Marcos 1:21; 2:27-28; 6:2; Actos 13:42-44; 17:2; 18:4; Lucas 4:31). 

A Páscoa Bíblica 
Acreditamos que devemos observar a Páscoa bíblica do Novo Testamento na noite de 14 de Abibe, o aniversário da morte de nosso Salvador (Levítico 23:5; Lucas 22:13-14). 

Os Festivais de Deus 
Acreditamos no mandamento da celebração dos sete festivais anuais que foram dados ao Israel da antiqüidade por Deus; que foram guardados por Jesus Cristo, pelos apóstolos, e pela Igreja no Novo Testamento; e serão guardados por toda humanidade durante o reino milenar de Cristo. Estes festivais revelam o plano de salvação de Deus (Colossenses 2:16-17; 1 Pedro 1:19-20; 1 Coríntios 5:8; 15:22-26; 16:8; Tiago 1:18; Êxodo 23:14-17; Levítico 23; Lucas 2:41-42; 22:14-15; João 7:2, 8, 10, 14; Actos 2:1; 18:21; 20:16; Zacarias 14:16-21). 

Leis Alimentares de Deus 
Acreditamos que as carnes que são designadas por Deus como “imundas” em Levítico 11 e Deuteronómio 14 não devem ser comidas.

O Serviço Militar e a Guerra 
Acreditamos que Cristãos são proibidos pelos mandamentos de Deus de tirar a vida humana, direta ou indiretamente, e que portar armas é contrário a esta crença fundamental. Portanto, acreditamos que os Cristãos não devam servir voluntáriamente no exército. Se involuntáriamente, eles tiverem que servir no exército, acreditamos que devem conscienciosamente se recusar a portar armas e, na medida que seja possível, recusar de estar sob autoridade militar (Êxodo 20:13; Mateus 5:21-22; 1 Coríntios 7:21-23; Atos 5:29). 

Promessas a Abraão 
Acreditamos na justiça duradoura de Deus. Esta justiça é demonstrada pela lealdade de Deus em preencher todas as promessas que Ele fez ao pai da fé, Abraão. Como prometido, Deus multiplicou os descendentes diretos de Abraão e assim, Abraão tornou-se literalmente o "pai" de muitas nações.
Acreditamos que Deus, tal como prometeu, fez prosperar materialmente os descendentes da linhagem de Abraão, nomeadamente  Isaque e  Jacó (cujo nome Ele mudou mais tarde para Israel).
Acreditamos que Deus, através da Semente de Abraão, Jesus Cristo, está oferecendo a salvação a toda a humanidade, independentemente da linhagem física. A salvação não é, portanto, um direito de nascimento. A salvação está livremente aberta a todos os que Deus chama, e aqueles que são considerados como descendentes de Abraão são os da fé, herdeiros de acordo com as promessas. 

Acreditamos que o conhecimento de que Deus cumpriu e continua a cumprir as promessas físicas feitas a Abraão e a seus filhos, e que Ele está cumprindo a promessa espiritual através de Jesus Cristo, é fundamental para entendermos a mensagem dos profetas e a aplicação dessa mensagem ao mundo (Salmos 111:1-10; Romanos 4:16; 9:7-8; Gálatas 3:16; Génesis 32:28). 

O Propósito de Deus para a Humanidade 
Acreditamos que o propósito de Deus para a humanidade é preparar aqueles a quem Ele chama — e  que decidem responder a essa chamada através de uma vida de conquista ao pecado, desenvolvendo caráter justo e crescendo em graça e conhecimento — para possuírem o Reino de Deus e tornarem-se reis e sacerdotes reinando com Cristo no Seu retorno.
Acreditamos que a razão da existência da humanidade é para nascermos, literalmente,  como seres espirituais na família de Deus (Romanos 6:15-16; 8:14-17, 30; Actos 2:39; 2 Pedro 3:18; Apocalipse 3:5; 5:10). 

A Igreja 
Acreditamos que a Igreja é aquele corpo de crentes que receberam e estão sendo conduzidos, pelo Espírito Santo. A verdadeira Igreja de Deus é um organismo espiritual. O seu nome bíblico é "a Igreja de Deus." Acreditamos que a missão da Igreja é pregar o evangelho (a boa nova) do vindouro Reino de Deus a todas as nações como testemunha e ajudar a reconciliar a Deus tantas pessoas quantas estejam agora a ser chamadas.
Acreditamos também que é  missão da Igreja de Deus, fortalecer, edificar e nutrir os filhos de Deus em amor e exortação a nosso Senhor Jesus Cristo (Actos 2:38-39, 47; 20:28; Romanos 8:14; 14:19; Efésios 1:22-23; 3:14; 4:11-16; 1 Coríntios 1:2; 10:32; 11:16, 22; 12:27; 14:26; 15:9; 2 Coríntios 1:1-2; 5:18-20; Gálatas 1:13; 1 Tessalonissenses 2:14; 2 Tessalonissenses 1:4; 1 Timóteo 3:5, 15; Marcos 16:15; Mateus 24:14; 28:18-20; João 6:44, 65; 17:11, 16). 

O Dízimo 
Acreditamos no dízimo como forma de honrar a Deus com a nossa substância e como um meio de servi-Lo na pregação do evangelho, no cuidado da Igreja, na participação dos festivais e na ajuda aos necessitados (Provérbios 3:9-10; Génesis 14:17-20; 1 Coríntios 9:7-14; Números 18:21; Deuteronómio 14:22-29). 

As Ressurreições e o Juízo Eterno 
Acreditamos que a única esperança da vida eterna para o ser humano mortal, é a ressurreição através da presença do Espírito Santo. Acreditamos que com o retorno de Jesus Cristo, uma ressurreição para a vida espiritual vai ter lugar a todos que tenham sido fiéis servos de Deus.
Acreditamos que, depois de Jesus Cristo reinar na terra por 1.000 anos, haverá uma ressurreição para a vida física da maioria das pessoas que jamais viveram.
Acreditamos que, depois destas pessoas terem tido uma oportunidade de viver uma vida física, se elas se converterem, também, receberão a vida eterna.
Acreditamos, também, que aqueles que rejeitarem a oferta de Deus para a salvação colherão a morte eterna (1 Coríntios 15:19, 42-52; Actos 23:6; João 5:21-29; Romanos 6:23; 8:10-11; 1 Tessalonissenses 4;16; Ezequiel 37:1-14; Apocalipse 20:4-5, 11-15; João 3:16; Mateus 25:46). 

O Retorno de Jesus Cristo e o Vindouro Reinado
Acreditamos no retorno pessoal, visível, pré-milenial, do Senhor Jesus Cristo para governar sobre todas as nações na terra como Rei dos Reis e para continuar o Seu cargo de sacerdote como Senhor dos Senhores. Naquele tempo, Ele sentar-se-á no trono de David. Durante o Seu reinado de 1.000 anos na terra, Ele restaurará todas as coisas e estabelecerá o Reino de Deus para sempre (Mateus 24:30, 44; Apocalipse 1:7; 11:15; 19:16; 20:4-6; 1 Tessalonissenses 4:13-16; João 14:3; Isaías 9:7; 40:10-12; Hebreus 7:24; Jeremias 23:5; Lucas 1:32-33; Actos 1:11; 3:21; 15:16; Daniel 7:14, 18, 27).   

 




X
You may login with either your assigned username or your e-mail address.
The password field is case sensitive.
Loading