Ajuda para hoje e esperança para o amanhã! 

O propósito fundamental do Casamento

Você está aqui

O propósito fundamental do Casamento

Login or Create an Account

With a UCG.org account you will be able to save items to read and study later!

Sign In | Sign Up

×

Você sabe qual o objetivo principal do casamento? Em vários países ocidentais cerca de metade de todos os casamentos termina em divórcio. Isso por si só sugere que a maioria dos casais não sabe por que existe a instituição do casamento. Ainda pior, eles não sabem o seu objetivo fundamental.

Quantas vezes você já ouviu homens e mulheres falando sobre seus casamentos de maneira desdenhosa? Alguns expressam seus pensamentos e sentimentos sobre o casamento em tom de humor, dúvidas ou insinuações sexuais.

Por que eles se referem ao casamento dessa maneira? Por que alguns casamentos começam em estado de extrema felicidade e terminam de forma triste e lastimável? Por que um homem e uma mulher encaram a cerimônia de casamento como um ato que define suas vidas e depois acabam fazendo piadas sobre isso e desprezando-o?

Há boas razões para este paradoxo. Para entender, devemos chegar a reconhecer o que está por trás da instituição do casamento — e o que está por trás dos esforços para arruiná-lo e destrui-lo.

A instituição do casamento

No início do plano de Deus para a humanidade, Ele remodelou a Terra (Gênesis 1:2), tornando-a habitável para todos os seres vivos (Gênesis 1:21-31). Então Deus disse: “Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança…” (Gênesis 1:27). Esta afirmação nos dá uma pista do objetivo da instituição do casamento. Voltaremos a isso mais tarde.

Deus criou Adão do pó da terra e Eva da costela de Adão. Em seguida, Deus levou-os juntos para uni-los no sagrado matrimônio:

“Então, o SENHOR Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas e cerrou a carne em seu lugar. E da costela que o SENHOR Deus tomou do homem formou uma mulher; e trouxe-a a Adão.

“E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos e carne da minha carne; esta será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada” (Gênesis 2:21-24).

Deus santificou a nobre instituição do casamento, quando Ele uniu o primeiro homem e a primeira mulher. Somente Deus pode instituir e santificar uma união conjugal. Nenhum ser humano pode fazer isso.

A história de Rute demonstra dedicação ao cônjuge

A questão de fundo na história bíblica de Rute é a fidelidade e o compromisso. Rute era nora de Noemi e esposa de Boaz. Depois de Noemi perder o marido e seus dois filhos em Moabe, ela decidiu voltar para Belém. Noemi pediu a suas noras para que ficassem em Moabe.

Uma nora voltou, mas Rute se recusou a ir. Há anos suas palavras de devoção têm marcado as cerimônias de casamento: “Disse, porém, Rute: Não me instes para que te deixe e me afaste de ti; porque, aonde quer que tu fores, irei eu e, onde quer que pousares à noite, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus. Onde quer que morreres, morrerei eu e ali serei sepultada; me faça assim o SENHOR e outro tanto, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti” (Rute 1:16-17 Rute 1:16-17 16 Respondeu, porém, Rute: Não me instes a que te abandone e deixe de seguir-te. Porque aonde quer que tu fores, irei eu; e onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo será o meu povo, o teu Deus será o meu Deus. 17 Onde quer que morreres, morrerei eu, e ali serei sepultada. Assim me faça o Senhor, e outro tanto, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti.
Almeida Atualizada×
).

O compromisso expresso e a fidelidade de Rute por sua amizade e vínculo familiar com Noemi é o que maridos e esposas devem ter uns com os outros — exceto que o vínculo matrimonial tem que ser uma união ainda mais íntima.

O objetivo e meta principal do casamento

O apóstolo Paulo, com perspicácia, compartilhou conosco a grande realidade do relacionamento conjugal — que representa a Igreja de Deus se unindo com Jesus Cristo em um casamento divino . Cristo, como noivo, prepara sua noiva prometida para a grande comunhão do casamento. Observe o que Paulo escreveu:

“Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito.

 “Assim também os maridos devem amar a sua mulher como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo se ama. Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja; porque somos membros do seu corpo. Eis por que deixará o homem a seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher, e se tornarão os dois uma só carne.

 “ Grande é este mistério, mas eu me refiro a Cristo e à igreja . Não obstante, vós, cada um de per si também ame a própria esposa como a si mesmo, e a esposa respeite ao marido” (Efésios 5:25-33 ARA, grifo do autor).

No livro do Apocalipse, Cristo revela que vai se casar com a Igreja: “Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória, porque vindas são as bodas do Cordeiro , e já a sua esposa se aprontou . E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos. E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro ” (Apocalipse 19:7-9 Apocalipse 19:7-9 7 Regozijemo-nos, e exultemos, e demos-lhe a glória; porque são chegadas as bodas do Cordeiro, e já a sua noiva se preparou, 8 e foi-lhe permitido vestir-se de linho fino, resplandecente e puro; pois o linho fino são as obras justas dos santos. 9 E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados � ceia das bodas do Cordeiro. Disse-me ainda: Estas são as verdadeiras palavras de Deus.
Almeida Atualizada×
).

Na prática, o casamento foi idealizado para nós, seres humanos, para que possamos aprender a amar uns aos outros e as nossas famílias a partir desse maravilhoso relacionamento concebido por Deus. Os casamentos são feitos, não nascem prontos. Nessa vida, o marido e a esposa interagem em seu casamento, compartilhando e se sacrificando um pelo outro (Efésios 5:21-28).

O casamento humano, concebido maravilhosamente por um Deus amorosíssimo, tipifica a realidade e a realização do casamento divino de Cristo com a Igreja. Este é o objetivo final do casamento.

No retorno de Jesus, a Noiva de Cristo estará pronta, como já vimos (Apocalipse 19:7 Apocalipse 19:7Regozijemo-nos, e exultemos, e demos-lhe a glória; porque são chegadas as bodas do Cordeiro, e já a sua noiva se preparou,
Almeida Atualizada×
). A Igreja vai se aprontando à medida que obedece, através da fé, as leis de Deus (Tiago 2:24 Tiago 2:24Vedes então que é pelas obras que o homem é justificado, e não somente pela fé.
Almeida Atualizada×
, 26), colocando Deus em primeiro lugar em sua vida e amando a seu próximo como a si mesma (Mateus 22:36-40 Mateus 22:36-40 36 Mestre, qual é o grande mandamento na lei? 37 Respondeu-lhe Jesus: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. 38 Este é o grande e primeiro mandamento. 39 E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. 40 Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.
Almeida Atualizada×
).

Uma imagem, um intruso e um casamento divino

No início deste artigo eu mencionei que eu iria abordar como Deus nos fez à Sua imagem. Eu também mencionei que uma força busca destruir a santa e divina instituição do casamento. Primeiro, vamos tratar do tema de ser criado à imagem de Deus.

Nossa forma física é um aspecto da imagem de Deus (comparar Apocalipse 1:14-17 Apocalipse 1:14-17 14 e a sua cabeça e cabelos eram brancos como lã branca, como a neve; e os seus olhos como chama de fogo; 15 e os seus pés, semelhantes a latão reluzente que fora refinado numa fornalha; e a sua voz como a voz de muitas águas. 16 Tinha ele na sua destra sete estrelas; e da sua boca saía uma aguda espada de dois gumes; e o seu rosto era como o sol, quando resplandece na sua força. 17 Quando o vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo: Não temas; eu sou o primeiro e o último,
Almeida Atualizada×
; 1 João 3:2). E ainda o mais importante, Deus, o Pai, através de Jesus Cristo, está nos recriando à Sua imagem espiritual, que inclui o caráter espiritual que desenvolvemos por meio do Espírito da verdade de Deus (comparar João 16:13-15; Gálatas 2:20).

A instituição do casamento é a principal forma em que Deus nos recria à Sua imagem espiritual (Gênesis 1:27; 1 Pedro 3:1-9 1 Pedro 3:1-9 1 Semelhantemente vós, mulheres, sede submissas a vossos maridos; para que também, se alguns deles não obedecem � palavra, sejam ganhos sem palavra pelo procedimento de suas mulheres, 2 considerando a vossa vida casta, em temor. 3 O vosso adorno não seja o enfeite exterior, como as tranças dos cabelos, o uso de jóias de ouro, ou o luxo dos vestidos, 4 mas seja o do íntimo do coração, no incorruptível traje de um espírito manso e tranqüilo, que és, para que permaneçam as coisas 5 Porque assim se adornavam antigamente também as santas mulheres que esperavam em Deus, e estavam submissas a seus maridos; 6 como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor; da qual vós sois filhas, se fazeis o bem e não temeis nenhum espanto. 7 Igualmente vós, maridos, vivei com elas com entendimento, dando honra � mulher, como vaso mais frágil, e como sendo elas herdeiras convosco da graça da vida, para que não sejam impedidas as vossas orações. 8 Finalmente, sede todos de um mesmo sentimento, compassivos, cheios de amor fraternal, misericordiosos, humildes, 9 não retribuindo mal por mal, ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo; porque para isso fostes chamados, para herdardes uma bênção.
Almeida Atualizada×
; Filipenses 1:6 Filipenses 1:6tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus,
Almeida Atualizada×
). Ele está criando em nós o Seu caráter justo e Sua unicidade com Ele (João 17:22). Nossos corpos físicos não vão durar para sempre (2 Coríntios 4:16); apenas o caráter espiritual voluntarioso (1 João 2:15-17).

Em segundo lugar, quanto à ruína do matrimônio e da família, você tem que se conscientizar que Satanás, o diabo está distorcendo a união matrimonial além do que é devido. Ele cegou a maioria da humanidade quanto à pura verdade sobre Deus, Seu glorioso evangelho e a instituição do casamento.

Ele influencia a humanidade para que se autodestrua, porque ele conhece o nosso potencial no reino e na família de Cristo (1 Coríntios 2:9). Satanás não pode nos destruir (Jó 1:12; Lucas 22:31-32 Lucas 22:31-32 31 Simão, Simão, eis que Satanás vos pediu para vos cirandar como trigo; 32 mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; e tu, quando te converteres, fortalece teus irmãos.
Almeida Atualizada×
). No entanto, ele pode nos influenciar a destruirmos a nós mesmos. Isso ajuda a explicar por que continuamente a instituição do casamento tem sido alvo de ataques.

Quando retornar, Jesus Cristo vai se casar com a Igreja em um casamento divino. Deus nos deu a instituição do casamento para nos ajudar a entender a relação profunda e amorosa que vamos compartilhar com Jesus Cristo por toda a eternidade no Seu Reino. Agora você pode agir para tornar o seu casamento mais feliz (ver “Cinco Chaves para um casamento feliz” que começa na página X) e se preparar para o objetivo do casamento — o casamento da Igreja de Deus com Seu Santo Filho, Jesus Cristo! BN

Barra lateral: O que dizer sobre o divórcio?

O profeta Malaquias profetizou contra as sociedades modernas que existiriam pouco antes do retorno de Jesus Cristo. Falando através dele, Deus expressa Sua opinião da falta de sucesso no casamento moderno.

“Pois o SENHOR Todo-Poderoso de Israel diz: — Eu odeio o divórcio; eu odeio o homem que faz uma coisa tão cruel assim. Portanto, tenham cuidado, e que ninguém seja infiel à sua mulher”, diz o SENHOR dos Exércitos (Malaquias 2:16 Malaquias 2:16Pois eu detesto o divórcio, diz o Senhor Deus de Israel, e aquele que cobre de violência o seu vestido; portanto cuidai de vós mesmos, diz o Senhor dos exércitos; e não sejais infiéis.
Almeida Atualizada×
; BLH). Hoje, se um casamento perde o romance, o curso normal da ação é se divorciar e casar novamente. Mas este não é o desejo nem o projeto de Deus!

Nas Escrituras, vemos que Moisés permitiu uma carta de divórcio por causa do pecado constante e do egoísmo. Porém, Jesus Cristo abordou este problema mais adiante:

“Vieram a ele alguns fariseus e o experimentavam, perguntando: É lícito ao marido repudiar a sua mulher por qualquer motivo? Então, respondeu ele: Não tendes lido que o Criador, desde o princípio, os fez homem e mulher e que disse: Por esta causa deixará o homem pai e mãe e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne? De modo que já não são mais dois, porém uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem.

 “Replicaram-lhe: Por que mandou, então, Moisés dar carta de divórcio e repudiar? Respondeu-lhes Jesus: Por causa da dureza do vosso coração é que Moisés vos permitiu repudiar vossa mulher; entretanto, não foi assim desde o princípio. Eu, porém, vos digo: quem repudiar sua mulher, não sendo por causa de relações sexuais ilícitas, e casar com outra comete adultério e o que casar com a repudiada comete adultério” (Mateus 19:3-9 Mateus 19:3-9 3 Aproximaram-se dele alguns fariseus que o experimentavam, dizendo: É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo? 4 Respondeu-lhe Jesus: Não tendes lido que o Criador os fez desde o princípio homem e mulher, 5 e que ordenou: Por isso deixará o homem pai e mãe, e unir-se-á a sua mulher; e serão os dois uma só carne? 6 Assim já não são mais dois, mas um só carne. Portanto o que Deus ajuntou, não o separe o homem. 7 Responderam-lhe: Então por que mandou Moisés dar-lhe carta de divórcio e repudiá-la? 8 Disse-lhes ele: Pela dureza de vossos corações Moisés vos permitiu repudiar vossas mulheres; mas não foi assim desde o princípio. 9 Eu vos digo porém, que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de infidelidade, e casar com outra, comete adultério; [e o que casar com a repudiada também comete adultério.]
Almeida Atualizada×
ARA).

O divórcio é uma golpeada ao âmago do plano de Deus para que as pessoas sejam unidas. A coisa mais importante para Deus é a unidade de mente e coração, e particularmente com Ele. Tome nota a última oração de Jesus ao Pai imediatamente antes da Sua crucificação: “Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu, em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste” (João 17:21). Deus se agrada de relacionamentos íntimos e não de rompimento de relações.