Pregando o evangelho e preparando um povo

Comentário Bíblico: Êxodo 6:28-8:19

Você está aqui

Comentário Bíblico

Êxodo 6:28-8:19

Agora Moisés estava com oitenta anos de idade. Ele estava começando os últimos quarenta anos de sua vida liderando a nação de Israel até a Terra Prometida. Deus preparou Moisés e Arão para entenderem que faraó seria muito teimoso, independentemente dos milagres que fossem realizados. O faraó também tinha alguns "truques" que podiam ser realizados por meio de seus magos — talvez até com ajuda demoníaca. Pois, de alguma forma, os magos do faraó imitaram os três primeiros milagres demonstrados por Moisés (o cajado transformado em serpente, as águas convertidas em sangue e as rãs).

Depois disso, os magos não podiam mais imitar ou simular pragas milagrosas. A habilidade de fazer magia com cobras era algo que aparentemente os magos egípcios se orgulhavam: “O poder de controlar e guiar os movimentos desses répteis venenosos era uma das habilidades de que o egípcio mais se orgulhava já na época em que estavam sendo construídas as pirâmides” (Egyptian Magic [Magia Egípcia, em tradução livre], E.A. Wallis Budge, 1971, p. 5). Isso poderia ter sido semelhante à habilidade humana de encantar serpentes ou algo sobrenatural — oriundo de Satanás, a serpente principal. O Novo Testamento diz que os nomes dos principais magos eram Janes e Jambres (2 Timóteo 3:8 2 Timóteo 3:8E assim como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem � verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto � fé.
Almeida Atualizada×
). A magia deles, embora poderosa, não era igual ao poder de Deus, que operava através de Moisés. Entretanto, mesmo depois que o poder de Deus prevaleceu, faraó continuou irredutível.

A Bíblia revela que, futuramente, um impressionante poder geopolítico conhecido como "a besta" surgirá no cenário mundial. E seu líder será um ditador como faraó e, assim como este se apoiava nos sacerdotes egípcios, aquele estará aliado a um falso poder religioso que realizará muitas proezas e milagres. Será que conseguiremos discernir o poder de Deus do poder desse falso sistema? Muitos serão enganados (Apocalipse 13:13-14 Apocalipse 13:13-14 [13] E operava grandes sinais, de maneira que fazia até descer fogo do céu � terra, � vista dos homens; [14] e, por meio dos sinais que lhe foi permitido fazer na presença da besta, enganava os que habitavam sobre a terra e lhes dizia que fizessem uma imagem � besta que recebera a ferida da espada e vivia.
Almeida Atualizada×
). Através de Sua Palavra escrita, Deus promete que, se permanecermos perto dEle, não seremos enganados.
Voltando agora a Êxodo, vamos examinar as três primeiras pragas do Egito — que atingiram até os israelitas.

1. Água Transformada em Sangue: Cada uma das pragas do Egito foi um ataque aos diversos deuses egípcios. Por exemplo, a praga das águas foi uma afronta a Khnum, o doador do Nilo, a Hapi, o espírito do Nilo, a Sodpet, o deus das águas do Nilo, a Osíris, cuja corrente sanguínea era o Nilo, a Edjo, a deusa do Delta, a Hatmehit, deusa guardiã dos peixes e pescadores e a várias outras divindades que deveriam estar protegendo os egípcios.

Contudo, não está claro se as águas foram realmente transformadas em sangue. Talvez as águas simplesmente estivesse com aparência de sangue. A Bíblia de Estudo Thomas Nelson aponta: "A palavra hebraica traduzida como sangue pode se referir a uma cor vermelha, como em Joel 2:31 Joel 2:31O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor.
Almeida Atualizada×
... [Pode] ser que Deus tenha causado chuvas torrenciais para inundar e poluir as fontes do Nilo para criar essa praga... A terra vermelha e as algas tornariam as águas do Nilo avermelhadas e impróprias para beber e deficientes em oxigênio para os peixes" (1997). Na verdade, uma atividade vulcânica ou meteórica poderia causar uma poluição semelhante de coloração vermelho-sangue, como parece ser o caso de um futuro evento profetizado em Apocalipse 8:8 Apocalipse 8:8O segundo anjo tocou a sua trombeta, e foi lançado no mar como que um grande monte ardendo em fogo, e tornou-se em sangue a terça parte do mar.
Almeida Atualizada×
. E a Bíblia parece indicar que houve um fenômeno geológico na época do Êxodo (comparar Salmos 114:1-6 Salmos 114:1-6 [1] Quando Israel saiu do Egito, e a casa de Jacó dentre um povo de língua estranha, [2] Judá tornou-lhe o santuário, e Israel o seu domínio. [3] O mar viu isto, e fugiu; o Jordão tornou atrás. [4] Os montes saltaram como carneiros, e os outeiros como cordeiros do rebanho. [5] Que tens tu, ó mar, para fugires? e tu, ó Jordão, para tornares atrás? [6] E vós, montes, que saltais como carneiros, e vós outeiros, como cordeiros do rebanho?
Almeida Atualizada×
). E de qualquer forma, não importa qual foi realmente a mudança que ocorreu naquelas águas do Egito nem como Deus fez isso, o importante é entender que tudo foi um evidente milagre divino.

2. Rãs: Um dos deuses adorados pelos egípcios era Heqet, cuja imagem era representada com a cabeça de um sapo e o corpo de uma mulher. Heqet era a deusa do nascimento, das parteiras e dos partos seguros (as rãs, em quantidade moderada, eram vistas como sinais de vida, renovação e felicidade). Após a invasão delas, e consequentemente o fedor das enormes pilhas de rãs mortas, parece que a deusa Heqet perdeu sua credibilidade. Além disso, a corte de Hapi, mencionado acima, incluía deuses crocodilos e deusas rãs. E os principais deuses, Nun, Kek e Heh, eram representados como um homem com cabeça de rã. Embora imitada pelos magos, essa praga fez o faraó recuar. Mas, por causa de sua teimosia, ele acabou voltando atrás em sua decisão.

3. Piolhos: Embora os egípcios não reverenciassem nenhum deus específico dos piolhos, até onde sabemos, eles adoravam um deus inseto — Khepri, que era representado como um escaravelho. Além disso, precisamos entender que essa praga humilhou todos os deuses egípcios— pois eles foram incapazes de proteger seus súditos dessa infestação. E, de fato, Harpócrates (representação infantil do deus Hórus) foi invocado para afastar as criaturas perigosas, enquanto Imhotep foi invocado como um deus da cura medicinal. Todavia, por mais que suplicassem, não tiveram alívio. Até o próprio faraó era considerado um deus — a encarnação divina do deus Hórus —, mas ele também estava sofrendo com essa praga. E por não conseguirem imitar essa infestação de piolhos, os magos cederam, mas o faraó continuou irredutível.