Ajuda para hoje e esperança para o amanhã! 

A Atual Relevância do Livro de Apocalipse: Legendas em Português

Você está aqui

A Atual Relevância do Livro de Apocalipse

Legendas em Português

Login or Create an Account

With a UCG.org account you will be able to save items to read and study later!

Sign In | Sign Up

×

As profecias do livro de Apocalipse nos ajudam a entender a pandemia de coronavírus de hoje e o que está por vir para a humanidade?

Transcrição

A Atual Relevância do Livro de Apocalipse

A primeira vez que estudei o Livro de Apocalipse foi quando eu era adolescente. Nosso pastor nos apresentou o livro em um estudo bíblico semanal. Versículo por versículo, esse livro foi ganhando vida com suas imagens e detalhes fascinantes de profecias. Todos desenhavam as bestas desse livro em grandes pedaços de papel branco. Desenhávamos as cabeças e os chifres. Aquelas imagens têm estado comigo por toda minha vida. Desde então, eu tenho estudado esse livro. Atualmente, todos os anos eu leciono para os estudantes do Colégio Bíblico Embaixador a matéria Notícias Mundiais e Profecias. E eu sempre aprendo algo novo toda vez que ensino e leio esse livro.

Muitas pessoas têm se questionado sobre essa peste, a pandemia do Covid-19. Será que você também tem se perguntado como esse evento se encaixa no cenário de Apocalipse, nas antigas profecias e no ensinamento profético de Jesus Cristo? A verdade é que tudo isso se encaixa de muitas maneiras. Então, eu gostaria de guiá-lo através de três eventos de Apocalipse e mostrar a relevância desse livro quanto ao que está acontecendo no mundo agora. Você ficará surpreso ao ver o gigantesco avanço que houve no cumprimento de algumas das principais profecias desse livro.

Vejamos esse primeiro evento de Apocalipse: Uma pandemia global. Estamos vendo o impacto desse vírus Covid-19 em mais de cento e oitenta países. E isso foi tremendamente impactante para nossas vidas cotidianas. Em Apocalipse, capítulo 6, lemos sobre uma peste massiva, uma pandemia, como parte do que é popularmente conhecido como um dos Quatro Cavaleiros do Apocalipse. “Quando o Cordeiro abriu o quarto selo, ouvi a voz do quarto ser vivente dizer: Venha! Olhei, e diante de mim estava um cavalo amarelo. Seu cavaleiro chamava-se Morte, e o Hades o seguia de perto. Foi-lhes dado poder sobre um quarto da terra para matar pela espada, pela fome, por pragas e por meio dos animais selvagens da terra” (Apocalipse 6:7-8 Apocalipse 6:7-8 [7] Quando abriu o quarto selo, ouvi a voz do quarto ser vivente dizer: Vem! [8] E olhei, e eis um cavalo amarelo, e o que estava montado nele chamava-se Morte; e o hades seguia com ele; e foi-lhe dada autoridade sobre a quarta parte da terra, para matar com a espada, e com a fome, e com a peste, e com as feras da terra.
Almeida Atualizada×
, NVI).

Isso descreve uma pandemia global muito mais devastadora do que a que estamos vendo hoje em dia. E a atual pandemia do Covid-19 não é esse evento específico. Então, vamos refletir um pouco sobre isso. O que Apocalipse está descrevendo é algo muito maior. Esses eventos ocorrerão durante a grande tribulação, o dia do Senhor e o tempo de aflição e desordem social. Será diferente de tudo o que o mundo já viu, resultando em uma crise mundial que fará com que as nações adotem medidas sem precedentes. Toda essa paralisação da economia e da vida cotidiana que temos visto deveria servir para nos acordar. A Bíblia é verdadeira e ela fala ao mundo moderno com uma linguagem inconfundível.

Veremos agora o segundo evento de Apocalipse. E esse nós poderíamos chamar de vigilância sistemática da vida das pessoas. Você já ouviu falar da marca da besta? Podemos ler sobre isso em Apocalipse 13, a partir do versículo 11: “E vi subir da terra outra besta... [que] faz grandes sinais, de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, à vista dos homens. E engana os que habitam na terra com sinais que lhe foi permitido que fizesse... E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na mão direita ou na testa, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, porque é número de homem; e o seu número é seiscentos e sessenta e seis”.

Sempre houve algumas especulações e dúvidas sobre essa profecia. Entendemos que isso se refere ao culto de adoração no domingo, que foi imposto pelo império romano a partir do século quatro. Quando eu era adolescente, lembro-me de ouvir pessoas especulando que cartões de crédito e até os novos códigos postais eram a marca da besta. Nesta era moderna, algumas pessoas têm ligado às inovações tecnológicas, como chips subcutâneos, a essa ideia. Até os smartphones, que quase todos temos, estão sendo associados a essa marca. Mas acerca dessa pandemia têm surgido notícias muito interessantes quanto ao uso da tecnologia para monitorar hábitos e movimentos.

Eu li um artigo no jornal britânico The Times que dizia o seguinte: ​​“Na zona rural da China, um drone de patrulha pairou sobre camponeses e exigiu que eles pusessem as máscaras e fossem para casa”. “Não riam”, dizia a voz metálica. “O que você está olhando? Vá para casa agora”. Algo semelhante também aconteceu em algumas regiões da Europa. Drones monitorando os movimentos das pessoas. O artigo continua: “Em todo o mundo, a mais recente tecnologia está sendo utilizada para propósitos que, no começo do ano, ninguém jamais teria imaginado. A vigilância digital, antes usada na busca de terroristas, está sendo empregada para rastrear cidadãos comuns e cumpridores da lei, simplesmente porque estão ou poderiam estar doentes. Além disso, aplicativos têm sido usados ​​para rastrear pessoas que entraram em contato com algum infectado pelo vírus, policiando seus movimentos depois de terem sido colocados em quarentena. Históricos de uso do cartão de crédito estão sendo analisados para saber onde foram as pessoas infectadas antes de seu diagnóstico. Ademais, outros programas têm servido como um tipo de passaporte que certifica o estado de saúde do portador". Esse artigo foi publicado em 6 de abril no jornal britânico The Times.

E isso não é um filme ou um script de televisão. Essa é realidade de nossa vida hoje. Imagine isso sendo usado no futuro para rastrear e controlar a vida das pessoas. Mais uma vez, o livro de Apocalipse é de grande relevância hoje em dia.

Agora veremos mais um evento profetizado nesse Livro de Apocalipse. E vamos chamá-lo de evento número três: Uma única ordem mundial. Apocalipse 17 descreve um tempo, ao fim de uma era profética, em que o ápice de uma crise mundial fará com que um grupo de dez governantes de nações entregue o controle a um personagem chamado a besta, um poderoso líder que prometerá proteção e manutenção da ordem mundial. Veja isso em Apocalipse 17:12-13 Apocalipse 17:12-13 [12] Os dez chifres que viste são dez reis, os quais ainda não receberam o reino, mas receberão autoridade, como reis, por uma hora, juntamente com a besta. [13] Estes têm um mesmo intento, e entregarão o seu poder e autoridade � besta.
Almeida Atualizada×
: “E os dez chifres que viste são dez reis, que ainda não receberam o reino, mas receberão o poder como reis por uma hora, juntamente com a besta. Estes têm um mesmo intento e entregarão o seu poder e autoridade à besta”.

Essa passagem está descrevendo uma superpotência mundial. Esse é o sonho daqueles que hoje promovem algo chamado globalismo transnacional. Enquanto as nações lutam contra essa atual pandemia, temos visto apelos para que isso aconteça para combater essa crise e o qualquer outra no futuro. Gordon Brown, ex-primeiro ministro da Grã-Bretanha, pediu uma ação coordenada global das vinte maiores nações do mundo para combater essa pandemia. Ele disse: "Isso não é algo que possa ser tratado em um país". Ele disse que há necessidade de um órgão emergencial com poderes executivos para travar esta batalha sanitária e outras futuras. Veremos mais notícias como esta daqui para frente. E ainda mais interessante é um artigo do ex-secretário de Estado dos Estados Unidos, Dr. Henry Kissinger, escrito no The Wall Street Journal, onde ele solicita planos para uma “Nova ordem mundial”. Ele parabeniza aos líderes de várias nações pelo combate à pandemia e por proteger os cidadãos. Entretanto, ele adverte que "atender às necessidades do momento deve ser combinado com uma visão e um programa colaborativo global”.

Para diplomatas como Henry Kissinger isso significa ter um papel mais determinante em organismos internacionais para coordenar a ciência, a medicina e a economia. Ele descreve assim esse papel do governo: "Ser forte o suficiente para proteger o povo de um inimigo externo, suprir as necessidades fundamentais das pessoas por segurança, ordem, bem-estar econômico e justiça”. “As pessoas”, diz ele, "não conseguem garantir essas coisas por conta própria". O Dr. Kissinger é um constante defensor de uma ordem mundial, que incluiria as Nações Unidas, a Organização Mundial da Saúde e o Banco Mundial. Ele é um transnacionalista global, o que significa que ele acredita que a futura solução para uma ordem mundial está em um organismo governamental supranacional global. E ele vê o enfrentamento dessa pandemia como uma prova de que essa cosmovisão está correta. Esta é uma visão de mundo que está descrita em Apocalipse 17. Ali mostra que dez líderes mundiais vão entregar a soberania de suas nações a um líder poderoso, que prometerá segurança, ordem social, bem-estar econômico e justiça.

Pense por um instante sobre a rapidez com que os cidadãos, eu, você, nossas famílias e vizinhos, foram ignorados. Permitimos que escolas e negócios fossem fechados e eventos culturais fossem cancelados e que todos fossem confinados em casa por tempo indeterminado. E tudo isso baseado na palavra de especialistas que tomaram essas decisões para nosso bem-estar. Por favor, não me leve a mal. Eu também desejo ver esse vírus derrotado. E também espero que haja o mínimo possível de mortes e sofrimento. Assim como muitos de vocês, estou trabalhando em casa e uso máscara quando preciso sair. Contudo, para se aprender algo com isso e aplicar uma cosmovisão bíblica é necessário um pensamento crítico para se entender totalmente o que está acontecendo. Estamos vivendo uma era extraordinária. Precisamos vigiar e orar para entender tudo isso de acordo com a vontade de Cristo. Após todos esses anos, desde que comecei a estudar o livro de Apocalipse, eu nunca soube como essas profecias se cumpririam. Mas hoje, talvez já enxergamos isso com mais clareza.

O livro de Apocalipse é um livro relevante para entender nosso mundo moderno. Ele nos mostra que Deus está no controle da história. E não precisamos ter medo. A leitura e o entendimento de Apocalipse nos ajuda a compreender este mundo, pois assim sabemos que Deus intervirá nos assuntos mundiais. Devemos ler o livro de Apocalipse para ver o futuro com entendimento e esperança. Nesse livro, Cristo nos diz: "Eis que venho como ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia e guarda as suas vestes, para que não ande nu, e não se vejam as suas vergonhas”.

Este foi mais um “Beyond Today Extra”. Assista também aos próximos programas.