Ajuda para hoje e esperança para o amanhã! 

Carnes Limpas e Imundas: A Palavra de Deus estabelece alguma distinção?

Você está aqui

Carnes Limpas e Imundas

A Palavra de Deus estabelece alguma distinção?

Download (Baixar)
MP3 Audio (53.11 MB)

Download (Baixar)

Carnes Limpas e Imundas: A Palavra de Deus estabelece alguma distinção?

MP3 Audio (53.11 MB)
×

Deus nos deu as Suas leis para o nosso bem. Elas nos revelam as verdadeiras normas de Deus — como distinguir entre o bem e o mal, entre o correto e o errado, entre o que é benéfico e o que é prejudicial. E nos ensinam a diferenciar entre o santo e o profano. As leis de Deus também definem como devemos ser santos, consagrados ao serviço do nosso Criador.

À medida que aplicamos as leis de Deus em nossa vida, estas nos ajudam a adotar uma nova forma de pensar — a pensar mais como Deus. Também mudam nossa percepção. Por exemplo, guardar o Sábado e as demais festas bíblicas, e muda também a forma em que vemos e utilizamos o tempo. O princípio do dízimo muda nosso conceito e uso dos recursos econômicos.

Da mesma forma, as leis de Deus relativas a carnes que são apropriadas ou impróprias para consumo humano — referidas nas Escrituras como “limpas” e “imundas” — mudam nossa perspectiva em relação a muitas coisas que comemos.

Deus espera que os mestres e dirigentes religiosos ensinem às pessoas a distinguir entre o que a Bíblia define como o bom e o mau comportamento. Através do profeta Ezequiel, Ele ordenou: “A meu povo ensinarão a distinguir entre o santo e o profano e o farão discernir entre o imundo e o limpo” (Ezequiel 44:23 Ezequiel 44:23E a meu povo ensinarão a distinguir entre o santo e o profano, e o farão discernir entre o impuro e o puro.
Almeida Atualizada×
, ARA, grifo nosso).

Algumas das leis de Deus podem parecer estranhas a nosso modo de ver, e não captamos imediatamente seu verdadeiro propósito, a verdade é que nos ajudam a evitar muitos males físicos, morais e espirituais. A Palavra de Deus nos fornece um padrão para uma vida saudável nos aspectos físicos, morais e espirituais. Deus nos deu Seus princípios de saúde, limpeza e santidade para o nosso bem tanto nesta vida como na vindoura (1 Timóteo 4:8 1 Timóteo 4:8Pois o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade para tudo é proveitosa, visto que tem a promessa da vida presente e da que há de vir.
Almeida Atualizada×
).

Um dos propósitos de nossa existência é aprender a basear nossa vida nas palavras de Deus (Mateus 4:4 Mateus 4:4Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.
Almeida Atualizada×
; Lucas 4:4 Lucas 4:4Jesus, porém, lhe respondeu: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem.
Almeida Atualizada×
; Deuteronômio 8:3 Deuteronômio 8:3Sim, ele te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que nem tu nem teus pais conhecíeis; para te dar a entender que o homem não vive só de pão, mas de tudo o que sai da boca do Senhor, disso vive o homem.
Almeida Atualizada×
). A Palavra de Deus — a Bíblia — abarca todos os aspectos da vida, inclusive nosso alimento. Muitos não sabem que Deus fez distinções entre o que devemos e o que não devemos comer. Outros pensam que tais diferenças não estão vigentes na atualidade. Porém, convém que deixemos de lado as opiniões humanas e examinemos o que a Bíblia diz sobre o assunto.

Conceitos populares sobre alimentação

Muitas pessoas gostam de comer produtos da carne suína (presunto, torresmo, salsicha, etc.) e não sofrem seus efeitos adversos e imediatos, alguns têm buscado uma explicação científica na razão pela qual Deus proibiu aos israelitas de comer carne de porco (Levítico 11:7 Levítico 11:7e o porco, porque tem a unha fendida, de sorte que se divide em duas, mas não rumina, esse vos será imundo.
Almeida Atualizada×
; Deuteronômio 14:8 Deuteronômio 14:8nem o porco, porque tem unha fendida, mas não rumina; imundo vos será. Não comereis da carne destes, e não tocareis nos seus cadáveres.
Almeida Atualizada×
). Uma teoria é que Deus proibiu o consumo de carne de porco para que os israelitas não pegassem certas doenças que os porcos são hospedeiros, como a triquinose. Afinal de contas, os israelitas não possuíam geladeiras, e os pesquisadores ainda não haviam alertado as pessoas para cozinhar bem a carne suína para eliminar quaisquer organismos portadores de potenciais doenças.

Uma vez que a pesquisa moderna aparentemente resolveu esses problemas de doenças, e raramente ouvimos falar de parasitas passando para as pessoas através de carne mal cozida, muitas pessoas supõem que comer carne suína é aceitável para Deus (ver “Apenas Uma Questão de Cozimento Adequado?” na página XX). Pelo fato de muitas pessoas comerem carne suína durante toda a vida e viverem até uma idade avançada, as pessoas — se é que ao menos pensam nisso — acham que comer carne de porco tem pouco ou nenhum efeito sobre a saúde ou a longevidade.

No entanto, pesquisa mais recente convenceu alguns médicos e nutricionistas, a recomendar que alguns de seus pacientes evitem carne de porco, crustáceos e moluscos (outra categoria de alimentos biblicamente impuros) em suas dietas, pois eles entendem que algumas pessoas não conseguem digerir adequadamente essas carnes. Assim, alguns reconhecem que evitar certas carnes faz sentido para as pessoas com determinados problemas de saúde, mas não como uma regra para todos.

A maioria dos religiosos tem uma perspectiva paralela a esse raciocínio científico. Os teólogos acreditam que as leis de carnes limpas e impuras se originaram na Antiga Aliança para a antiga Israel e que terminaram com o estabelecimento da Nova Aliança. Assim, eles acreditam que diversas leis do Antigo Testamento não são mais aplicáveis aos cristãos.

Muitos pensam que o apóstolo Paulo confirmou essa ideia quando afirmou: “Eu sei e estou certo, no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesma imunda, a não ser para aquele que a tem por imunda; para esse é imunda” (Romanos 14:14 Romanos 14:14Eu sei, e estou certo no Senhor Jesus, que nada é de si mesmo imundo a não ser para aquele que assim o considera; para esse é imundo.
Almeida Atualizada×
, ver “Entendendo o termo ‘imundo’ Romanos 14”).

Esse raciocínio coloca Deus no papel de supremo médico do Antigo Testamento e Jesus Cristo no papel de libertador da lei de Deus no Novo Testamento. Se acreditarmos que Deus estava simplesmente cuidando da saúde dos antigos israelitas, as listas da Bíblia de animais limpos e imundos se tornam apenas questões primitivas de saúde para as quais a humanidade moderna, iluminada e liberal não precisa mais. A ideia popular é que Cristo entendeu assim e deu a Seus seguidores a liberdade de decidir por si mesmos sobre o assunto. Alguns acreditam que Deus apoiará qualquer decisão que tomarmos por conta própria em relação a essas coisas.

Esse ponto de vista popular é ensinado pela maioria das igrejas. Mas esta é a questão crucial: Essa ideia reflete precisamente o ensinamento bíblico?

O ponto de vista diferente de Deus

Deus nos criou à Sua imagem e semelhança (Gênesis 1:26-27 Gênesis 1:26-27 [26] E disse Deus: Façamos o homem � nossa imagem, conforme a nossa semelhança; domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se arrasta sobre a terra. [27] Criou, pois, Deus o homem � sua imagem; � imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
Almeida Atualizada×
) e, ao fazer isso, Ele nos deu a capacidade de raciocinar. Deus criou a humanidade à Sua própria imagem. Ao fazer isso, Ele nos deu a capacidade de raciocinar. Embora seja um presente maravilhoso, nossa capacidade de pensar não é infalível. Quando a racionalidade da antiga Israel deu errado, Deus disse: “Venham, vamos refletir juntos” (Isaías 1:18 Isaías 1:18Vinde, pois, e arrazoemos, diz o Senhor: ainda que os vossos pecados são como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que são vermelhos como o carmesim, tornar-se-ão como a lã.
Almeida Atualizada×
, NVI).

Mas as Escrituras também registram estas palavras de Deus: “Porque os Meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os Meus caminhos, diz o SENHOR. Porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os Meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os Meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos” (Isaías 55:8-9 Isaías 55:8-9 [8] Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. [9] Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos.
Almeida Atualizada×
).

Portanto, Deus é a autoridade sobre nossa conduta e não o homem (Provérbios 14:12 Provérbios 14:12Há um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele conduz � morte.
Almeida Atualizada×
), incluindo a decisão de quais alimentos podemos ou não comer.

Além disso, o grande profeta Jeremias admitiu abertamente: “Eu sei, ó SENHOR, que não é do homem o seu caminho, nem do homem que caminha, o dirigir os seus passos” (Jeremias 10:23 Jeremias 10:23Eu sei, ó Senhor, que não é do homem o seu caminho; nem é do homem que caminha o dirigir os seus passos.
Almeida Atualizada×
).

À luz dessas passagens bíblicas, precisamos examinar cuidadosamente a questão das carnes limpas e imundas. Precisamos ter certeza de que entendemos o ponto de vista de Deus em vez de confiar exclusivamente em nosso próprio raciocínio.

A origem dessa diferenciação

O primeiro relato bíblico sobre a distinção entre animais limpos e impuros documenta eventos que ocorreram muito antes do Êxodo. Quase mil anos antes de Deus fazer uma aliança com a nação de Israel, na verdade, séculos antes de Israel existir. Ele disse a Noé para levar na arca um casal de animais impuros e sete casais de animais limpos (Gênesis 6:19 Gênesis 6:19De tudo o que vive, de toda a carne, dois de cada espécie, farás entrar na arca, para os conservares vivos contigo; macho e fêmea serão.
Almeida Atualizada×
; 7:2)

Nesse relato, Deus não disse a Noé que, pela primeira vez, estava fazendo uma distinção entre animais limpos e imundos. Ele simplesmente disse: “Leve com você sete casais de cada espécie de animal puro, macho e fêmea, e um casal de cada espécie de animal impuro, macho e fêmea” (Gênesis 7:2 Gênesis 7:2De todos os animais limpos levarás contigo sete e sete, o macho e sua fêmea; mas dos animais que não são limpos, dois, o macho e sua fêmea;
Almeida Atualizada×
, NVI).

Deus não teve que explicar para Noé o significado de limpo e imundo. Noé entendeu a instrução e exigência de Deus e obedeceu. Para compreender o que Deus quis dizer com esses termos, precisamos ir a outros trechos da Bíblia — Levítico 11 e Deuteronômio 14.

O relato em Gênesis sobre Noé mostra que a distinção entre animais limpos e imundos já existia no primórdio da história, muito antes de Deus ratificar Sua aliança com Israel. Assim, a própria Bíblia mostra claramente que é incorreta a ideia popular de que o conceito de animais limpos e imundos se originou na Antiga Aliança. Como essas distinções existiam muito antes do sistema sacrificial israelita e do sacerdócio levítico, então não é correto afirmar que isso chegou ao fim com a mudança no sistema sacrificial ou no sacerdócio. Como veremos, a Bíblia ensina que a distinção entre limpo e imundo nunca foi suprimida e que continua vigente por boas razões.

Outra falha no entendimento de algumas pessoas é que a lei de Deus não existia até o tempo específico de sua primeira menção na Bíblia. Esse equívoco leva à crença, igualmente equivocada, de que as únicas leis aplicáveis aos cristãos da Nova Aliança são as que foram reafirmadas no Novo Testamento, após a crucificação de Cristo. O próprio Jesus disse que esse raciocínio é falso (Mateus 5:17-19 Mateus 5:17-19 [17] Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir. [18] Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido. [19] Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.
Almeida Atualizada×
). Embora essas suposições sobre quando a lei de Deus entrou em vigor careçam de prova bíblica, elas levantam uma questão importante, que deve ser analisada — a continuidade da lei de Deus.

A natureza da lei de Deus

Algumas pessoas argumentam que Deus permitiu que Adão e Eva comessem qualquer animal, mas mudou as regras para Noé. Outros argumentam que Noé poderia comer qualquer tipo de carne animal, porque Deus não havia revelado instruções específicas que o proibia expressamente de fazer isso.

Esse raciocínio é inerentemente imperfeito, pois negligencia a natureza permanente dos princípios espirituais, que formam a base da instrução que Deus deu à humanidade.

Deus baseia Suas instruções às pessoas em princípios espirituais que sempre existiram. Assim como Deus é eterno (Deuteronômio 33:27 Deuteronômio 33:27O Deus eterno é a tua habitação, e por baixo estão os braços eternos; ele lançou o inimigo de diante de ti e disse: Destrói-o.
Almeida Atualizada×
; Salmos 90:2 Salmos 90:2Antes que nascessem os montes, ou que tivesses formado a terra e o mundo, sim, de eternidade a eternidade tu és Deus.
Almeida Atualizada×
), assim também são perenes os princípios que refletem Seu caráter e natureza (Malaquias 3:6 Malaquias 3:6Pois eu, o Senhor, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos.
Almeida Atualizada×
; Hebreus 13:8 Hebreus 13:8Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente.
Almeida Atualizada×
). A lei de Deus é baseada em Seu caráter imutável, não dependendo de eventos e atitudes predominantes na história humana.

A Bíblia, do começo ao fim, é um livro sobre leis. Entretanto, ela não foi escrita como um livro meramente sobre legalidade. A palavra hebraica para lei (torá) abrange guia e instrução, conceitos muito mais amplos que um mero código legal. A lei de Deus existia antes que a Bíblia fosse escrita. Como Paulo observou, "a lei é espiritual" (Romanos 7:14 Romanos 7:14Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado.
Almeida Atualizada×
).

A Bíblia é um livro sobre relacionamentos — especificamente como as pessoas da antiguidade se relacionavam com Deus e, baseado em suas experiências, como devemos nos relacionar com Ele. A lei de Deus — Sua guia e instrução para as pessoas — fornece as diretrizes para o desenvolvimento de uma relação com Ele, o que leva à vida eterna (João 17:2-3 João 17:2-3 [2] assim como lhe deste autoridade sobre toda a carne, para que dê a vida eterna a todos aqueles que lhe tens dado. [3] E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, como o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, aquele que tu enviaste.
Almeida Atualizada×
).

E, com o tempo, à medida que nosso relacionamento com Deus se desenvolve, aprendemos mais sobre o que Ele espera de nós — os pensamentos e conduta aceitáveis segundo Sua lei — e começamos a pensar e fazer essas coisas (Mateus 7:21 Mateus 7:21Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.
Almeida Atualizada×
; João 14:15 João 14:15Se me amardes, guardareis os meus mandamentos.
Almeida Atualizada×
; Apocalipse 14:12 Apocalipse 14:12Aqui está a perseverança dos santos, daqueles que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.
Almeida Atualizada×
)

Quando entendemos os princípios espirituais que servem de base à lei de Deus, não procuramos brechas em Sua lei para evitar fazer o que Ele ordena. Quando desfrutamos de um relacionamento amoroso com Ele, guardamos Seus mandamentos (1 João 5:2 1 João 5:2Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus, se amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos.
Almeida Atualizada×
). Como nos diz o apóstolo João: “Porque este é o amor de Deus: que guardemos os Seus mandamentos; e os Seus mandamentos não são pesados” (versículo 3, ACF). Todos os mandamentos de Deus existem para nosso benefício.

Houve alguma mudança na lei?

Vamos analisar algo mais em relação à natureza da lei de Deus. Alguns argumentam que toda a lei de Deus é transitória por causa de mudanças óbvias, desde os tempos do Antigo Testamento, em relação às leis do sacrifício e da circuncisão. Esse argumento está radicado na confusão sobre como ocorreram essas mudanças.

A Bíblia ressalta que parte dessa confusão decorre de diferenças de ministérios ou administrações. Paulo escreveu sobre a lei "espiritual" de Deus (Romanos 7:14 Romanos 7:14Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado.
Almeida Atualizada×
) e também sobre "diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo" (1 Coríntios 12:5 1 Coríntios 12:5E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo.
Almeida Atualizada×
). Ademais, Paulo escreveu sobre as diferenças entre o ministério da Antiga Aliança, ou administração, e a Nova Aliança (2 Coríntios 3).

Entretanto, as mudanças administrativas não devem ser confundidas com a própria lei de Deus, pois Jesus disse claramente que ela continua vigente e ainda se aplica hoje (Mateus 5:18 Mateus 5:18Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido.
Almeida Atualizada×
). Em alguns casos, Deus permitiu e administrou ajustes nas aplicações administrativas de Sua lei. Em todo caso, as Escrituras esclarecem essas mudanças administrativas. No Novo Testamento, não encontramos nenhuma mudança administrativa em relação a carnes limpas e imundas.

A codificação das leis previamente reveladas

As leis de Deus existiam muito antes de Moisés e de os israelitas entrarem em cena. Por exemplo, Deus disse que Abraão, que viveu muitos séculos antes dos israelitas deixarem o Egito, "obedeceu à Minha voz e guardou o Meu mandado, os Meus preceitos, os Meus estatutos e as Minhas leis" (Gênesis 26:5 Gênesis 26:5porquanto Abraão obedeceu � minha voz, e guardou o meu mandado, os meus preceitos, os meus estatutos e as minhas leis.
Almeida Atualizada×
).

Quando Deus começou a trabalhar com a antiga Israel, Ele não estava formulando e anunciando Sua lei pela primeira vez, na verdade, Ele estava reiterando isso para um grupo de pessoas que havia sido escravizada por várias gerações no Egito (Êxodo 12:41 Êxodo 12:41E aconteceu que, ao fim de quatrocentos e trinta anos, naquele mesmo dia, todos os exércitos do Senhor saíram da terra do Egito.
Almeida Atualizada×
). Sob essas circunstâncias, essas pessoas provavelmente não se lembravam da lei de Deus, muito menos a obedeciam. Assim, Deus passou bastante tempo revelando, sistematicamente, Suas leis para essa nova nação.

Antes que os israelitas deixassem o Egito e chegassem ao monte Sinai, Deus começou a instruí-los sobre Suas festas (Êxodo 5:1 Êxodo 5:1Depois foram Moisés e Arão e disseram a Faraó: Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: Deixa ir o meu povo, para que me celebre uma festa no deserto.
Almeida Atualizada×
; 12:1-51). Enquanto se dirigiam para o Sinai, Deus os instruiu a descansar em Seu Sábado semanal (Êxodo 16:23 Êxodo 16:23E ele lhes disse: Isto é o que o Senhor tem dito: Amanhã é repouso, sábado santo ao Senhor; o que quiserdes assar ao forno, assai-o, e o que quiserdes cozer em água, cozei-o em água; e tudo o que sobejar, ponde-o de lado para vós, guardando-o para amanhã.
Almeida Atualizada×
), reforçando esse mandamento ao enviar, milagrosamente, uma porção maior de maná, um alimento especial recolhido do chão, no sexto dia da semana e nenhuma no sétimo dia (versículos 25-29). Quando alguns israelitas ignoraram as instruções de Deus e procuraram o maná no Sábado, Ele os repreendeu: “Até quando recusareis guardar os Meus mandamentos e as Minhas leis?” (versículo 28).

Esses eventos ocorreram antes que Deus revelasse a observância de Seu sábado, como um dos Dez Mandamentos, quando os israelitas chegaram ao deserto do Sinai (Êxodo 19:1 Êxodo 19:1No terceiro mês depois que os filhos de Israel haviam saído da terra do Egito, no mesmo dia chegaram ao deserto de Sinai.
Almeida Atualizada×
). Ali, no Monte Sinai, Deus proferiu os Dez Mandamentos (Êxodo 20). Então, Deus entregou Seus julgamentos — decisões sobre como os israelitas praticariam Sua lei — e mais instruções sobre o Sábado semanal e Suas festas (Êxodo 21-23). Caso Seu povo obedecesse, Deus prometeu abençoá-los fisicamente, eliminando doenças e garantindo segurança dentro de sua nova terra (Êxodo 23: 25-33).

O objetivo da distinção

Em Levítico 11 e Deuteronômio 14, encontramos listas de animais limpos e imundos. A primeira lista foi apresentada em benefício da geração que havia escapado da escravidão egípcia. Em Deuteronômio, novamente, Deus enfatizou essa instrução para a próxima geração, quando estava prestes a se apossar de seu novo território na Terra Prometida.

Os dois capítulos apresentam a mesma razão para as instruções de Deus sobre carnes limpas e imundas. Em Levítico 11, Deus diz que "para ser santo" deve-se evitar o imundo. Em Deuteronômio 14, foi dito a Israel que não comesse “nenhuma abominação” (versículo 3), “porque és povo santo ao SENHOR, Teu Deus” (versículos 2, 21). Ser santo significa ser separado por Deus.

O propósito específico de Deus para que evitem carnes impuras é a santidade. Deus quer que sejamos santos. Porque pertencemos a Deus, que nos comprou com o sangue de Cristo, e Ele não deseja que nos contaminemos com qualquer tipo de contaminação física ou espiritual (1 Coríntios 6:15-20 1 Coríntios 6:15-20 [15] Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei pois os membros de Cristo, e os farei membros de uma meretriz? De modo nenhum. [16] Ou não sabeis que o que se une � meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque, como foi dito, os dois serão uma só carne. [17] Mas, o que se une ao Senhor é um só espírito com ele. [18] Fugi da prostituição. Qualquer outro pecado que o homem comete, é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo. [19] Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que habita em vós, o qual possuís da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? [20] Porque fostes comprados por preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo.
Almeida Atualizada×
). Aos olhos de Deus, evitar comer animais impuros é um sinal identificador de santidade daqueles que Deus separou por meio de um relacionamento com Ele.

Aqueles que honram a Deus devem refletir santidade em seus pensamentos e ações. Deus exige uma conduta santa, um estilo de vida distintamente diferente do resto do mundo. A santidade no comportamento baseia-se em atitudes em relação a Deus, aos outros e a si mesmo, resultando em ações que evitam causar dor e que edificam relacionamentos benéficos e duradouros. Evidentemente, ser santo significa muito mais do que simplesmente evitar carnes imundas. Cristo falou dos “preceitos mais importantes da Lei”, como julgamento, misericórdia e fé — (Mateus 23:23 Mateus 23:23Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes omitido o que há de mais importante na lei, a saber, a justiça, a misericórdia e a fé; estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas.
Almeida Atualizada×
, ARA).

Deus deu Suas leis a pessoas físicas, que sofrem as consequências quando não seguem essas leis. A violação da lei divina contra o adultério, por exemplo, pode destruir um casamento e uma família. Deuteronômio 28 registra inúmeras calamidades que atingiram os israelitas quando fracassaram em obedecer às leis de Deus. Mas, Ele disse que os estabeleceria como povo santo se eles guardassem os Seus mandamentos (versículo 9).

O desejo de Deus sempre foi que Seu povo continuasse sendo santo. Como Paulo disse: “Como também nos elegeu nEle antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dEle em amor” (Efésios 1:4 Efésios 1:4como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis diante dele em amor;
Almeida Atualizada×
, ACF).

O apóstolo Pedro exortou os cristãos a viver “como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; mas, como é santo Aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: Sede santos, porque Eu sou santo” (1 Pedro 1:14-16 1 Pedro 1:14-16 [14] Como filhos obedientes, não vos conformeis �s concupiscências que antes tínheis na vossa ignorância; [15] mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em todo o vosso procedimento; [16] porquanto está escrito: Sereis santos, porque eu sou santo.
Almeida Atualizada×
).

Obviamente, Pedro tinha em mente uma gama muito mais ampla de comportamento divino do que simplesmente abster-se de carnes imundas. O mesmo fez Paulo quando lembrou as instruções de Deus aos coríntios: “Pelo que saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e Eu vos receberei; e Eu serei para vós Pai, e vós sereis para Mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-poderoso” (2 Coríntios 6:17-18 2 Coríntios 6:17-18 [17] Pelo que, saí vós do meio deles e separai-vos, diz o Senhor; e não toqueis coisa imunda, e eu vos receberei; [18] e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso.
Almeida Atualizada×
).

Mudança na administração

Quando Jesus veio à Terra para morrer pelos pecados da humanidade e se tornar nosso Sumo Sacerdote, Seu ministério substituiu o sacerdócio levítico, que atuava desde o tempo de Moisés (Hebreus 7:11-14 Hebreus 7:11-14 [11] De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (pois sob este o povo recebeu a lei), que necessidade havia ainda de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e que não fosse contado segundo a ordem de Arão? [12] Pois, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei. [13] Porque aquele, de quem estas coisas se dizem, pertence a outra tribo, da qual ninguém ainda serviu ao altar, [14] visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Judá, tribo da qual Moisés nada falou acerca de sacerdotes.
Almeida Atualizada×
). Jesus é a nossa “garantia de uma aliança melhor” (versículo 22, BLH), chamada de “nova aliança” (Hebreus 8:8 Hebreus 8:8Porque repreendendo-os, diz: Eis que virão dias, diz o Senhor, em que estabelecerei com a casa de Israel e com a casa de Judá um novo pacto.
Almeida Atualizada×
, 13, ARA).

O ministério de Cristo não invalida a lei de Deus. Em vez disso, Deus escreve essa lei no coração daqueles que aceitam essa aliança para que ela se torne parte de sua mente e modo de pensar (versículo 10). Lembre-se que Jesus disse que não veio abolir a lei (Mateus 5:17-19 Mateus 5:17-19 [17] Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir. [18] Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido. [19] Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.
Almeida Atualizada×
). A Nova Aliança, da qual Jesus é nosso Sumo Sacerdote, contém “melhores promessas” (Hebreus 8:6 Hebreus 8:6Mas agora alcançou ele ministério tanto mais excelente, quanto é mediador de um melhor pacto, o qual está firmado sobre melhores promessas.
Almeida Atualizada×
), e não uma lei melhor. As melhores promessas incluem a vida eterna, bem como a promessa do Espírito de Deus, que nos capacita a viver de acordo com as leis de Deus (Romanos 8:4 Romanos 8:4para que a justa exigência da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.
Almeida Atualizada×
).

Veja o resumo de Paulo sobre esse princípio: “Mas, agora, libertados do pecado e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna. Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Senhor” (Romanos 6:22-23 Romanos 6:22-23 [22] Mas agora, libertos do pecado, e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna. [23] Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.
Almeida Atualizada×
). Um cristão fará todos os esforços para obedecer todas as instruções de Deus e viver um estilo de vida santo.

Quando Deus fez a mudança administrativa do sacerdócio levítico para o ministério de Jesus Cristo, as leis e os princípios administrativos que pertenciam apenas aos levitas não mais se aplicariam da mesma maneira. Como afirma Hebreus 7:12 Hebreus 7:12Pois, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei.
Almeida Atualizada×
: “Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei”. A lei — especificamente a lei referente a quem serviu como sacerdócio de Deus (versículos 13-14) — foi alterada, mas não invalidada. A mudança no sacerdócio não denegava as leis e os princípios que Deus deu para nosso benefício espiritual e físico.

A prática constante dos apóstolos e da Igreja primitiva era a de continuar seguindo as distinções que Deus fazia entre carnes limpas e imundas (Atos 10:14 Atos 10:14Mas Pedro respondeu: De modo nenhum, Senhor, porque nunca comi coisa alguma comum e imunda.
Almeida Atualizada×
).

Algumas pessoas supõem que isso era apenas uma questão de cultura ou tradição. No entanto, a respeito dos cumprimentos proféticos ainda por ocorrer, a Bíblia fala de animais imundos (Apocalipse 18:2 Apocalipse 18:2E ele clamou com voz forte, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia, e se tornou morada de demônios, e guarida de todo espírito imundo, e guarida de toda ave imunda e detestável.
Almeida Atualizada×
) e punição daqueles que O desobedecem nesse ponto (Isaías 66:15-17 Isaías 66:15-17 [15] Pois, eis que o Senhor virá com fogo, e os seus carros serão como o torvelinho, para retribuir a sua ira com furor, e a sua repreensão com chamas de fogo. [16] Porque com fogo e com a sua espada entrará o Senhor em juízo com toda a carne; e os que forem mortos pelo Senhor serão muitos. [17] Os que se santificam, e se purificam para entrar nos jardins após uma deusa que está no meio, os que comem da carne de porco, e da abominação, e do rato, esses todos serão consumidos, diz o Senhor.
Almeida Atualizada×
). A Bíblia continua mostrando a obediência às leis de alimentos limpos e imundos como uma característica identificadora do povo de Deus.

Ser diferente do resto da sociedade, seguindo a lei de Deus, não é embaraçoso. Pedro escreve sobre o povo chamado de Deus, dizendo: “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes Daquele que vos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz” (1 Pedro 2:9 1 Pedro 2:9Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;
Almeida Atualizada×
). Deus descreve Seu povo escolhido como aqueles chamados à santidade. Isso inclui a questão de carnes limpas e imundas.

Entretanto, os cristãos devem sempre usar sabedoria e discrição na maneira como revelam práticas que envolvem evitar carnes imundas para familiares e amigos. Eles não devem tentar impor as leis de Deus sobre os adultos responsáveis por tomar suas próprias decisões sobre esse assunto. Paulo aconselha: “Sejam sábios no procedimento para com os de fora; aproveitem ao máximo todas as oportunidades. O seu falar seja sempre agradável...para que saibam como responder a cada um” (Colossenses 4:5-6 Colossenses 4:5-6 [5] Andai em sabedoria para com os que estão de fora, usando bem cada oportunidade. [6] A vossa palavra seja sempre com graça, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um.
Almeida Atualizada×
, NVI).