Ajuda para hoje e esperança para o amanhã! 

Um Caso do Ministério de Jesus Cristo

Um Caso do Ministério de Jesus Cristo

Muitas pessoas creem que Jesus Cristo aboliu as distinções entre carnes limpas e imundas, embora, como vimos, não exista nenhuma evidência disso nas Escrituras. Entretanto, a Bíblia tem um relato de um incidente revelador, que mostra se Jesus via os porcos como adequados para alimentação.

Antes de examinarmos esse relato, vamos entender uma parte do caráter de Cristo —algo que parece indicar que Ele nunca foi desperdiçador.

Durante o Seu ministério, em duas ocasiões Jesus multiplicou milagrosamente alguns peixes e pães para alimentar as multidões que O seguiam — em uma dessas ocasiões havia quatro a cinco mil pessoas presentes (Mateus 14:15-21 Mateus 14:15-21 [15] Chegada a tarde, aproximaram-se dele os discípulos, dizendo: O lugar é deserto, e a hora é já passada; despede as multidões, para que vão �s aldeias, e comprem o que comer. [16] Jesus, porém, lhes disse: Não precisam ir embora; dai-lhes vós de comer. [17] Então eles lhe disseram: Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes. [18] E ele disse: trazei-mos aqui. [19] Tendo mandado �s multidões que se reclinassem sobre a relva, tomou os cinco pães e os dois peixes e, erguendo os olhos ao céu, os abençoou; e partindo os pães, deu-os aos discípulos, e os discípulos �s multidões. [20] Todos comeram e se fartaram; e dos pedaços que sobejaram levantaram doze cestos cheios. [21] Ora, os que comeram foram cerca de cinco mil homens, além de mulheres e crianças.
Almeida Atualizada×
; 15:32-38). Mas, apesar da abundância de alimentos, Cristo não permitiu que nada fosse desperdiçado. " E, quando estavam saciados, disse aos seus discípulos: Recolhei os pedaços que sobejaram, para que nada se perca” (João 6:12 João 6:12E quando estavam saciados, disse aos seus discípulos: Recolhei os pedaços que sobejaram, para que nada se perca.
Almeida Atualizada×
).

Os discípulos encheram dozes cestos com o resto da comida após o primeiro desses milagres e sete após o segundo. Ele disse, especificamente, a Seus discípulos para não permitir que nada daquilo fosse jogado fora.

Com o entendimento de que Jesus era compassivo e não desperdiçava comida, vamos examinar um incidente que ocorreu com Ele e que envolveu alguns animais imundos — um grande rebanho de porcos.

Marcos 5:1-13 Marcos 5:1-13 [1] Chegaram então ao outro lado do mar, � terra dos gerasenos. [2] E, logo que Jesus saíra do barco, lhe veio ao encontro, dos sepulcros, um homem com espírito imundo, [3] o qual tinha a sua morada nos sepulcros; e nem ainda com cadeias podia alguém prendê-lo; [4] porque, tendo sido muitas vezes preso com grilhões e cadeias, as cadeias foram por ele feitas em pedaços, e os grilhões em migalhas; e ninguém o podia domar; [5] e sempre, de dia e de noite, andava pelos sepulcros e pelos montes, gritando, e ferindo-se com pedras, [6] Vendo, pois, de longe a Jesus, correu e adorou-o; [7] e, clamando com grande voz, disse: Que tenho eu contigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? conjuro-te por Deus que não me atormentes. [8] Pois Jesus lhe dizia: Sai desse homem, espírito imundo. [9] E perguntou-lhe: Qual é o teu nome? Respondeu-lhe ele: Legião é o meu nome, porque somos muitos. [10] E rogava-lhe muito que não os enviasse para fora da região. [11] Ora, andava ali pastando no monte uma grande manada de porcos. [12] Rogaram-lhe, pois, os demônios, dizendo: Manda-nos para aqueles porcos, para que entremos neles. [13] E ele lho permitiu. Saindo, então, os espíritos imundos, entraram nos porcos; e precipitou-se a manada, que era de uns dois mil, pelo despenhadeiro no mar, onde todos se afogaram.
Almeida Atualizada×
registra que Jesus atravessou de barco o mar da Galileia para a região de Gadara, uma área gentia (não judaica) na costa leste. E ali, Ele foi abordado por um homem possuído por demônios, de quem logo expulsaria muitos espíritos malignos.

Nesse notável encontro, os demônios pediram que Jesus os enviasse para um rebanho de dois mil porcos em uma encosta próxima. Jesus concedeu o pedido deles e, quando os demônios entraram nos porcos, "e a manada se precipitou por um despenhadeiro no mar...e afogou-se no mar" (versículo 13).

Muitos ficaram intrigados com esse surpreendente incidente em que Jesus acabou com um valioso rebanho de dois mil porcos — o suficiente para alimentar milhares de pessoas. Contudo, não devemos nos surpreender se entendemos as instruções bíblicas de que esses animais nunca deveriam ser criados para alimentação, e seu dono estava agindo contra as leis de Deus.

Além dessa questão, Jesus não considerava os porcos adequados para alimentação — mesmo para os gentios daquela área. O compassivo Salvador da humanidade, que ordenou que pedaços de pães e peixes fossem recolhidos e não jogados fora, nunca teria desperdiçado um recurso tão valioso se considerasse os porcos uma parte aceitável da dieta humana.

Jesus é "o mesmo ontem, e hoje, e eternamente" (Hebreus 13:8 Hebreus 13:8Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente.
Almeida Atualizada×
). Os animais que Ele considerava impróprios para consumo humano há dois mil anos continuam sendo impróprios para nós na atualidade.