Ajuda para hoje e esperança para o amanhã! 

Resgatados pela graça de Deus: A história de Maria

Você está aqui

Resgatados pela graça de Deus

A história de Maria

Muitos não sabem que na Bíblia as palavras traduzidas como "salvar" e "salvador” podem se referir a mais do que a salvação definitiva no sentido espiritual. Originalmente, os termos hebraico e grego (e suas variações) também têm conotações de "resgate" e "libertar" — para salvar num sentido imediato, para resgatar de circunstâncias ou situações perigosas ou desesperançadas.

Tanto Deus Pai quanto Jesus Cristo são chamados de nosso Salvador na Bíblia, e com razão. Não podemos receber o dom da salvação de Deus pela graça sem Eles. Mas também devemos considerar que Eles são nossos salvadores e libertadores de situações desesperadoras nesta vida.

Às vezes, devemos ser resgatados e libertados de situações desesperadas antes de poder avançar no caminho rumo à salvação espiritual de Deus. Encontramos diversas pessoas nessa situação na Bíblia.

Uma mulher necessitando desesperadamente de resgate

Miriam, uma judia que viveu no primeiro século, era uma dessas pessoas. Hoje mais conhecida por Maria Madalena, ela morava na pequena vila de pescadores de Magdala, às margens do mar da Galileia, cerca de oito quilômetros de Cafarnaum, onde Jesus Cristo viveu depois de se mudar de Nazaré.

Sabemos pouco sobre o passado dela. Não sabemos a idade dela e nem se ela era casada ou solteira, como também se ela teve filhos. E não sabemos o que aconteceu com ela. Mas sabemos que ela precisava desesperadamente ser resgatada.

Maria estava possuída por sete demônios (Marcos 16:9 Marcos 16:9[Ora, havendo Jesus ressurgido cedo no primeiro dia da semana, apareceu primeiramente a Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios.
Almeida Atualizada×
; Lucas 8:2 Lucas 8:2bem como algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual tinham saído sete demônios.
Almeida Atualizada×
).

Hoje, em nossa era supostamente iluminada, é fácil descartar a influência e a possessão demoníaca como algum tipo de superstição ou doença mental baseado na ideia de mitos. Mas a Bíblia é categórica ao afirmar a existência de um mundo espiritual muito real, paralelo e envolto ao nosso mundo e habitado por anjos caídos, rebeldes e perversos — o principal deles sendo Satanás, o diabo.

Às vezes, como mostram as Escrituras, os demônios podem possuir seres humanos — levando a um comportamento bizarro, imprevisível, perigoso e, muitas vezes, autodestrutivo. Como era a vida de Maria nessa condição? Não temos os detalhes, mas, mesmo nas melhores circunstâncias, deve ter sido um tipo de inferno. Geralmente, hoje em dia, falamos da vida de pessoas instáveis usando frases como "um trem desgovernado", "fora dos trilhos" ou "um desastre prestes a acontecer". E, sem dúvida, assim era a vida dela.

A possessão demoníaca torna uma pessoa perigosa, desiludida e complicada, de uma forma muito difícil de alguém compreender. Isso fica claro nos exemplos bíblicos em que indivíduos possuídos por demônios se mutilavam, se jogavam no fogo, arrancavam suas roupas, gritavam à toa e viviam em túmulos, entre corpos mortos e em decomposição. Uma situação compreensivelmente sombria, porque essas pessoas não estavam mais no controle de suas vidas e ações. Mais do que qualquer outra coisa, elas precisam ser resgatadas!

Um resgate milagroso e a resposta de gratidão

A Bíblia não nos diz quando, onde ou como, mas Maria foi resgatada. Jesus ensinou e curou nas cidades e sinagogas por toda a Galileia, inclusive expulsando demônios. Sem dúvida, ele visitou Magdala e, certamente, as pessoas dali caminharam até a vizinha Cafarnaum para ouvi-Lo ensinar e para serem curadas. Em algum lugar daquela época, Maria, a endemoniada, tornou-se “Maria Madalena, a qual [Ele] tinha expulsado sete demônios” (Marcos 16:9 Marcos 16:9[Ora, havendo Jesus ressurgido cedo no primeiro dia da semana, apareceu primeiramente a Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios.
Almeida Atualizada×
; Lucas 8:2 Lucas 8:2bem como algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual tinham saído sete demônios.
Almeida Atualizada×
).

Jesus era um exemplo vivo da graça em ação e, nessa graça, primeiro Ele se tornou o Resgatador de Maria e depois o Salvador dela, em seu máximo sentido. Em sua grata devoção, ela se tornou uma seguidora muito dedicada e leal. Observe o que dizem os evangelhos sobre ela:

• Ela fazia parte do grupo que seguia Jesus por todo lugar; ela e várias outras mulheres que “ajudavam a sustentá-los com os seus bens” (Lucas 8:3 Lucas 8:3Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, Susana, e muitas outras que os serviam com os seus bens.
Almeida Atualizada×
, NVI).

• Ela foi fiel até o fim e testemunhou a crucificação e o sepultamento de Jesus, depois que a maioria dos discípulos fugiu e abandonou Jesus (Mateus 27:55-61 Mateus 27:55-61 [55] Também estavam ali, olhando de longe, muitas mulheres que tinham seguido Jesus desde a Galiléia para o ouvir; [56] entre as quais se achavam Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago e de José, e a mãe dos filhos de Zebedeu. [57] Ao cair da tarde, veio um homem rico de Arimatéia, chamado José, que também era discípulo de Jesus. [58] Esse foi a Pilatos e pediu o corpo de Jesus. Então Pilatos mandou que lhe fosse entregue. [59] E José, tomando o corpo, envolveu-o num pano limpo, de linho, [60] e depositou-o no seu sepulcro novo, que havia aberto em rocha; e, rodando uma grande pedra para a porta do sepulcro, retirou- se. [61] Mas achavam-se ali Maria Madalena e a outra Maria, sentadas defronte do sepulcro.
Almeida Atualizada×
).

• Depois que o corpo de Jesus ter sido sepultado, ela foi uma das mulheres que comprou e preparou especiarias para ungir Seu corpo (Marcos 16:1 Marcos 16:1Ora, passado o sábado, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, e Salomé, compraram aromas para irem ungi-lo.
Almeida Atualizada×
).

• Ela e outras mulheres foram as primeiras a chegar ao túmulo, onde viram a pedra removida e um anjo lhes disse para irem informar aos outros discípulos que Jesus havia ressuscitado dos mortos (versículos 2-7).

• Ela contou aos outros essa notícia dramática, mas eles não acreditaram nela (Lucas 24:9-11 Lucas 24:9-11 [9] e, voltando do sepulcro, anunciaram todas estas coisas aos onze e a todos os demais. [10] E eram Maria Madalena, e Joana, e Maria, mãe de Tiago; também as outras que estavam com elas relataram estas coisas aos apóstolos. [11] E pareceram-lhes como um delírio as palavras das mulheres e não lhes deram crédito.
Almeida Atualizada×
).

• Ela foi a primeira pessoa a quem Jesus apareceu após Sua ressurreição dentre os mortos (Marcos 16:9 Marcos 16:9[Ora, havendo Jesus ressurgido cedo no primeiro dia da semana, apareceu primeiramente a Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios.
Almeida Atualizada×
; João 20:11-17 João 20:11-17 [11] Maria, porém, estava em pé, diante do sepulcro, a chorar. Enquanto chorava, abaixou-se a olhar para dentro do sepulcro, [12] e viu dois anjos vestidos de branco sentados onde jazera o corpo de Jesus, um � cabeceira e outro aos pés. [13] E perguntaram-lhe eles: Mulher, por que choras? Respondeu- lhes: Porque tiraram o meu Senhor, e não sei onde o puseram. [14] Ao dizer isso, voltou-se para trás, e viu a Jesus ali em pé, mas não sabia que era Jesus. [15] Perguntou-lhe Jesus: Mulher, por que choras? A quem procuras? Ela, julgando que fosse o jardineiro, respondeu-lhe: Senhor, se tu o levaste, dize-me onde o puseste, e eu o levarei. [16] Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, virando-se, disse-lhe em hebraico: Raboni! - que quer dizer, Mestre. [17] Disse-lhe Jesus: Deixa de me tocar, porque ainda não subi ao Pai; mas vai a meus irmãos e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus.
Almeida Atualizada×
).

E, dentre muitas pessoas encontradas nos evangelhos, Maria é uma das poucas que não tem nada de negativo escrito neles — além do fato de que Jesus havia expulsado sete demônios dela. Contudo, isso foi escrito simplesmente como uma maneira de diferenciá-la das várias outras mulheres chamadas de Maria nos Evangelhos. Isso não significa absolutamente uma mancha em seu caráter.

Na história de Maria, vemos um maravilhoso exemplo da obra da graça. Por causa de circunstâncias fora de seu controle, ela estava numa situação terrível e desesperadora. E em um ato amoroso de misericórdia e graça, Jesus reconheceu isso e a libertou daquela possessão e influência demoníaca.

Em sua gratidão (uma palavra derivada do termo graça, num sentido de retornar benevolência pela benevolência recebida), ela se tornou uma seguidora dedicada de Seu Salvador, a quem conheceu como Seu Salvador espiritual, Mestre e Senhor. Como resultado, os escritores dos Evangelhos a consideraram um modelo para todos os outros que receberam o dom da graça de Deus. Nós também devemos ser seguidores dedicados, consagrando nossas vidas a servir ao Doador de tantas coisas boas para nós — assim como fez Maria!