Ajuda para hoje e esperança para o amanhã! 

A Verdade Sobre o Domingo de Páscoa e a Páscoa Bíblica

Você está aqui

A Verdade Sobre o Domingo de Páscoa e a Páscoa Bíblica

O que ovos de páscoa coloridos, coelhos e cultos ao nascer do sol têm a ver com Jesus Cristo? Milhões de pessoas acreditam que esses costumes são cristãos, mas em nenhum lugar da Bíblia eles são praticados pela Igreja fundada por Jesus. Se o Domingo de Páscoa e suas tradições não vêm das Sagradas Escrituras, então de onde surgiram?

Sem dúvida, elas vieram do antigo paganismo. E isso tem a ver com Ostara, a deusa da primavera, do amanhecer e da fertilidade. Há mais de mil anos antes do nascimento de Jesus Cristo, o povo pagão se divertia em festivais para essa deusa e outros deuses pagãos que incluíam rituais sexuais e até orgias. Essas festividades aconteciam no período do equinócio da primavera, quando os raios solares traziam calor e vida à terra após o frio e a escuridão do inverno.

O Domingo de Páscoa e seus costumes têm raízes pagãs

Geralmente, o ovo simbolizava fertilidade e reprodução nas culturas pagãs. Por exemplo, sabe-se que os antigos druidas na Grã-Bretanha e na Gália (atual França) pintavam ovos e os enterravam nos campos recém-arados no fim do inverno para estimular a fertilidade e a prosperidade. Quanto ao coelhinho de páscoa, na antiguidade os coelhos, como mamíferos que se reproduzem de forma rápida, eram valorizados como sinal de procriação. Além disso, o culto na manhã do Domingo de Páscoa tem raízes no ritual pagão de adorar o sol nascente (ver Ezequiel 8:16 Ezequiel 8:16E levou-me para o átrio interior da casa do Senhor; e eis que estavam � entrada do templo do Senhor, entre o pórtico e o altar, cerca de vinte e cinco homens, de costas para o templo do Senhor, e com os rostos para o oriente; e assim, virados para o oriente, adoravam o sol.
Almeida Atualizada×
).

Como o Domingo de Páscoa e seus costumes foram introduzidos no cristianismo tradicional? Isso aconteceu devido ao surgimento de mestres falaciosos que se apropriaram dos rituais pagãos da primavera e, enganosamente, os aplicaram à ressurreição de Cristo (Mateus 24:4-5 Mateus 24:4-5 [4] Respondeu-lhes Jesus: Acautelai-vos, que ninguém vos engane. [5] Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; a muitos enganarão.
Almeida Atualizada×
; Colossenses 2:8 Colossenses 2:8Tendo cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo;
Almeida Atualizada×
; Deuteronômio 12:30-32 Deuteronômio 12:30-32 [30] guarda-te para que não te enlaces para as seguires, depois que elas forem destruídas diante de ti; e que não perguntes acerca dos seus deuses, dizendo: De que modo serviam estas nações os seus deuses? pois do mesmo modo também farei eu. [31] Não farás assim para com o Senhor teu Deus; porque tudo o que é abominável ao Senhor, e que ele detesta, fizeram elas para com os seus deuses; pois até seus filhos e suas filhas queimam no fogo aos seus deuses. [32] Tudo o que eu te ordeno, observarás; nada lhe acrescentarás nem diminuirás.
Almeida Atualizada×
).

O Dicionário Vine: O Significado Exegético e Expositivo das Palavras do Antigo e Novo Testamento afirma que esse tipo de ‘páscoa’ “foi introduzida na religião ocidental apóstata, como parte dos esforços de adaptar festas pagãs ao cristianismo” (Edição 2019, “Páscoa”, p. 854).

Além disso, o escritor James Frazer escreveu: “Quando refletimos como a Igreja, frequente e sutilmente, planejou enxertar a semente da nova fé no velho tronco do paganismo, podemos supor que a celebração do Domingo de Páscoa de Cristo morto e ressuscitado foi enxertada sobre uma celebração similar de Adonis morto e ressuscitado” da mitologia grega (The Golden Bough [O Ramo de Ouro, edição em inglês],1890, p. 345).

Jesus e Seus discípulos observaram a Páscoa

Jesus, Seus discípulos e a Igreja do Novo Testamento nunca observaram o Domingo de Páscoa ou seus rituais. Em vez disso, eles sempre guardaram a Páscoa e os Dias Santos da Bíblia.

A Páscoa, uma ocasião solene e sagrada anual na antiga Israel, comemorava a milagrosa remissão e libertação divina do povo israelita da escravidão no Egito. Na primeira noite de Páscoa no Egito, um cordeiro foi morto, assado e comido por cada família israelita. E as laterais e as vigas superiores das portas das casas foram marcadas com o sangue desse cordeiro como um sinal da proteção divina contra a praga mortal dirigidas aos primogênitos, que Deus enviou como julgamento sobre o Egito (Êxodo 12:12-13 Êxodo 12:12-13 [12] Porque naquela noite passarei pela terra do Egito, e ferirei todos os primogênitos na terra do Egito, tanto dos homens como dos animais; e sobre todos os deuses do Egito executarei juízos; eu sou o Senhor. [13] Mas o sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu o sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga para vos destruir, quando eu ferir a terra do Egito. :
Almeida Atualizada×
).

Os cordeiros mortos naquela noite simbolizavam Jesus Cristo como o vindouro sacrificial “Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (João 1:29 João 1:29No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.
Almeida Atualizada×
). E Cristo realizou isso oferecendo-se voluntariamente como sacrifício, derramando Seu sangue para que todo que se arrepender possa ser poupado da morte eterna e espiritual (Mateus 26:28 Mateus 26:28pois isto é o meu sangue, o sangue do pacto, o qual é derramado por muitos para remissão dos pecados.
Almeida Atualizada×
; Romanos 5:20 Romanos 5:20Sobreveio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça;
Almeida Atualizada×
).

Na primeira Páscoa do Novo Testamento, Jesus usou os símbolos do pão asmo e do vinho para representar Seu corpo imaculado e Seu sangue, que foram sacrificados para purificar aqueles que se arrependem de seus pecados e também para reconciliá-los com Deus (Lucas 22:19 Lucas 22:19E tomando pão, e havendo dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim.
Almeida Atualizada×
; Efésios 1:7 Efésios 1:7em quem temos a redenção pelo seu sangue, a redenção dos nossos delitos, segundo as riquezas da sua graça,
Almeida Atualizada×
). Como o apóstolo Paulo explicou em 1 Coríntios 5:7 1 Coríntios 5:7Expurgai o fermento velho, para que sejais massa nova, assim como sois sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado.
Almeida Atualizada×
, o próprio Jesus foi representado pelo sacrifício do cordeiro do Antigo Testamento: “Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós”.

Jesus celebrou a Páscoa durante toda a Sua vida (Lucas 2:41-43 Lucas 2:41-43 [41] Ora, seus pais iam todos os anos a Jerusalém, � festa da páscoa. [42] Quando Jesus completou doze anos, subiram eles segundo o costume da festa; [43] e, terminados aqueles dias, ao regressarem, ficou o menino Jesus em Jerusalém sem o saberem seus pais;
Almeida Atualizada×
; João 2:13 João 2:13Estando próxima a páscoa dos judeus, Jesus subiu a Jerusalém.
Almeida Atualizada×
; Mateus 26:17-19 Mateus 26:17-19 [17] Ora, no primeiro dia dos pães ázimos, vieram os discípulos a Jesus, e perguntaram: Onde queres que façamos os preparativos para comeres a páscoa? [18] Respondeu ele: Ide � cidade a um certo homem, e dizei-lhe: O Mestre diz: O meu tempo está próximo; em tua casa celebrarei a páscoa com os meus discípulos. [19] E os discípulos fizeram como Jesus lhes ordenara, e prepararam a páscoa.
Almeida Atualizada×
). E cerca de vinte e cinco anos após Sua morte e ressurreição, os apóstolos e outros membros da Igreja dEle ainda estavam guardando fielmente a Páscoa (Atos 20:6 Atos 20:6E nós, depois dos dias dos pães ázimos, navegamos de Filipos, e em cinco dias fomos ter com eles em Trôade, onde nos detivemos sete dias.
Almeida Atualizada×
; 1 Coríntios 5:6-8 1 Coríntios 5:6-8 [6] Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda? [7] Expurgai o fermento velho, para que sejais massa nova, assim como sois sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado. [8] Pelo que celebremos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da malícia e da corrupção, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade.
Almeida Atualizada×
).

Rejeite o Domingo de Páscoa e observe a Páscoa e os Dias Santos de Deus

Deus disse ao povo da antiga Israel para observar a Festa dos Pães Asmos, juntamente com a Páscoa, como uma lembrança de que Ele os libertou da escravidão egípcia (Levítico 23:5-8 Levítico 23:5-8 [5] No mês primeiro, aos catorze do mês, � tardinha, é a páscoa do Senhor. [6] E aos quinze dias desse mês é a festa dos pães ázimos do Senhor; sete dias comereis pães ázimos. [7] No primeiro dia tereis santa convocação; nenhum trabalho servil fareis. [8] Mas por sete dias oferecereis oferta queimada ao Senhor; ao sétimo dia haverá santa convocação; nenhum trabalho servil fareis.
Almeida Atualizada×
). E isso simboliza a redenção da escravidão espiritual do pecado que as pessoas arrependidas recebem através do sacrifício de Cristo.

O pão sem fermento simboliza a vida sem pecado de Jesus, algo que os verdadeiros cristãos devem se esforçar para imitar. Como o “pão da vida”, Jesus está no centro dessa festa, assim como também está em todos os Dias Santos anuais de Deus (João 6:35 João 6:35Declarou-lhes Jesus. Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim, de modo algum terá fome, e quem crê em mim jamais tará sede.
Almeida Atualizada×
; Colossenses 2:17 Colossenses 2:17que são sombras das coisas vindouras; mas o corpo é de Cristo.
Almeida Atualizada×
). Ele observou pessoalmente essa festa, assim como os apóstolos e toda a Igreja primitiva (Atos 20:6 Atos 20:6E nós, depois dos dias dos pães ázimos, navegamos de Filipos, e em cinco dias fomos ter com eles em Trôade, onde nos detivemos sete dias.
Almeida Atualizada×
; 1 Coríntios 5:6-8 1 Coríntios 5:6-8 [6] Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda? [7] Expurgai o fermento velho, para que sejais massa nova, assim como sois sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado. [8] Pelo que celebremos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da malícia e da corrupção, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade.
Almeida Atualizada×
).

Enfim, a verdade é que o Domingo de Páscoa é uma substituição enganosa da Páscoa bíblica e precisa ser inteiramente rejeitado. Em vez disso, a Páscoa e a Festa dos Pães Asmos de Deus devem ser observados fielmente por todos os verdadeiros cristãos anualmente na época estabelecida na Bíblia (Lucas 22:19 Lucas 22:19E tomando pão, e havendo dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim.
Almeida Atualizada×
; Levítico 23:6-8 Levítico 23:6-8 [6] E aos quinze dias desse mês é a festa dos pães ázimos do Senhor; sete dias comereis pães ázimos. [7] No primeiro dia tereis santa convocação; nenhum trabalho servil fareis. [8] Mas por sete dias oferecereis oferta queimada ao Senhor; ao sétimo dia haverá santa convocação; nenhum trabalho servil fareis.
Almeida Atualizada×
).

Ademais, isso é parte do que significa caminhar com Deus em fé e obediência — abandonar nossos antigos estilos de vida, hábitos e costumes e começar a viver de acordo com os mandamentos dEle. (Para saber mais, baixe ou peça nosso guia de estudo bíblico gratuito As Festas Santas de Deus: O Plano de Deus Para a Humanidade).