Ajuda para hoje e esperança para o amanhã! 

Temos Motivos Para Crer na Bíblia?

Você está aqui

Temos Motivos Para Crer na Bíblia?

A Bíblia foi escrita durante vários séculos e por dezenas de autores, que viveram em três continentes. Suas páginas registram milhares de detalhes, inclusive pessoas, lugares, eventos, costumes, datas e características geográficas.

Apesar de a arqueologia — o estudo do material remanescente de povos e culturas antigas — pode revelar muitas coisas, ela tem seus limites. Nas terras da Bíblia, por exemplo, há milhares de sítios arqueológicos antigos conhecidos que nunca foram escavados. E aqueles que foram descobertos, somente um a cinco por cento foi escavado, mesmo depois de décadas de estudo e escavação. Assim, muita coisa permanece enterrada e ainda por descobrir.

Além disso, como era de se esperar, muitos vestígios do mundo antigo simplesmente não sobreviveram. Qualquer material que pode decompor-se já sofreu o efeito da deterioração (com raras exceções, como alguns materiais deteriorados encontrados em climas de deserto, extremamente seco). Devido a isso, artefatos de tecido, madeira, couro, osso, pergaminho e papiro são raros.

Normalmente, o que poderia ser reutilizado já foi reutilizado. E os objetos de valor não foram deixados lá para serem enterrados debaixo do acúmulo de poeira e detritos, mas foram guardados com mais segurança e transmitidos a outros. Nos palácios, templos e casas ricas, onde os artigos mais importantes estariam, foram conservados, restando muito pouco para ser encontrado mais tarde. Novas construções em cidades antigas costumavam ser feitas em cima das demolições da construção anterior e, às vezes, essas demolições removiam algo que restasse da construção anterior.

Sabe-se também que muitas ou pelo menos a maioria das cidades e vilas do Oriente Médio foram destruídas pelo fogo por causa de terremotos ou guerras. Muitas vezes, os invasores saqueavam ou, deliberadamente, destruíam os objetos de valor nas áreas que conquistavam.

Portanto, o resultado final disso é que os restos de materiais que temos dos tempos bíblicos, e que podem testemunhar a veracidade da Bíblia, são relativamente raros. Apenas uma fração ínfima dos vestígios da antiguidade tem sido recuperada e, muito ainda menos, estudada e analisada.

As opiniões distorcidas dos críticos sobre a Bíblia

Diante de tal escassez, os críticos da Bíblia miram na falta de evidências para argumentar que isso significa ausência de evidências — isto é, porque como a evidência ainda não foi encontrada para apoiar partes da Bíblia, isso constitui uma evidência de que os eventos nunca aconteceram.

Esse tipo de raciocínio, obviamente, é totalmente falho. Somente porque uma evidência ainda não foi encontrada não significa que não existem ou nunca existiram evidências. Mas isso não impede críticos, como o escritor e "ateu evangélico" Richard Dawkins, de fazerem determinados comentários sobre a Bíblia, como neste caso, acerca dos Evangelhos:

"Os evangelhos não são relatos confiáveis sobre o que aconteceu na história do mundo real. Todos foram escritos muito depois da morte de Jesus... Ninguém sabe quem foram os quatro evangelistas, mas é quase certo que eles nunca conheceram a Jesus pessoalmente. Boa parte do que escreveram não representava de maneira nenhuma uma tentativa honesta de registrar a história" (Deus, Um Delírio, 2006, p. 95).

Do mesmo modo, o falecido ateu Christopher Hitchens escreveu o seguinte sobre os primeiros livros da Bíblia: "Muito antes de a pesquisa moderna, as difíceis traduções e as escavações terem nos iluminado, as pessoas pensavam que já podiam ver que a ‘revelação’ no Sinai e o resto do Pentateuco eram uma ficção mal realizada, concebida bem depois dos não acontecimentos, que não consegue descrever convincentemente ou mesmo de forma plausível” (Deus não é Grande: Como a Religião Envenena Tudo, 2007, página 104).

É notadamente interessante que Hitchens afirma que essas "escavações" (provavelmente se referindo a escavações arqueológicas) "terem nos iluminado" — embora ele acredite que essas descobertas arqueológicas realmente apoiem seu argumento de que a Bíblia é um registro de "não acontecimentos" ou coisas que nunca aconteceram. Na realidade, nada poderia estar mais longe da verdade!

Poucas pessoas têm conhecimento de que os escritos do historiador judeu Flávio Josefo e vários historiadores romanos e funcionários do governo dos séculos primeiro e segundo debatem especificamente sobre Jesus Cristo, João Batista, o meio irmão de Jesus, Tiago, vários líderes judeus e romanos e as crenças básicas da Igreja de Deus primitiva.

E isso é muito relevante se, como diz Dawkins, "os evangelhos não são relatos confiáveis sobre o que aconteceu" e "não representava de maneira nenhuma uma tentativa honesta de registrar a história". Então, Dawkins está sugerindo que esses antigos e renomados historiadores também tinham inventado suas histórias?

O que realmente diz as evidências?

Ao contrário dos escritos supostamente "sagrados" de outras religiões, a Bíblia está arraigada na história real. Ela trata de pessoas reais, lugares reais e eventos reais. E essa história pode ser verificada por meio da arqueologia, como também por registros históricos independentes.

Artefatos como estátuas, inscrições, selos, moedas e tabuletas de argila dos arquivos confirmam a existência de dezenas de indivíduos mencionados na Bíblia (ver "A Arqueologia Comprova a Existência de Determinados Personagens Bíblicos?).

Como alguém que estudou arqueologia por muitos anos (participei de minha primeira escavação arqueológica aos treze anos de idade), eu sei o que a arqueologia revela sobre a Palavra de Deus. Eu também passei muitos dias em museus que abrigam as melhores coleções de artefatos relacionados à Bíblia no mundo, viajei muitas vezes para as terras bíblicas, visitei as escavações da maioria dos principais sítios arqueológicos referidos nas Escrituras e encontrei muitos arqueólogos renomados que ainda hoje trabalham na área.

Uma e outra vez, eu fui testemunha de evidências que confirmam o que o prolífico escritor Erwin Lutzer declara em sua obra Sete Razões Para Confiar na Bíblia: "Todos os meses ocorrem novas descobertas arqueológicas...Nossa compreensão da vida e da época bíblica tem aumentado ano após ano. E também a nossa confiança de que a Bíblia é um livro radicado no solo da história do Oriente Médio, e seus relatos têm as marcas da credibilidade. A geografia da Bíblia, a cronologia e sua descrição acerca da ascensão e queda dos impérios estão em conformidade com os dados da história secular" (1998, página 74).

Uma viagem esclarecedora à Grécia

Eu tive o privilégio de ver uma dessas típicas evidências em uma recente viagem à Grécia. Pois, não é todo o dia que você se depara com evidências concretas da autenticidade de indivíduos e eventos específicos mencionados nas páginas da Bíblia, mas eu consegui ver várias vezes nessa viagem.

Eu tive a oportunidade de ver as evidências de grandes personagens do mundo antigo mencionadas na Bíblia, como o imperador romano César Augusto (27 AEC a 14 EC), este era o imperador quando Jesus Cristo nasceu (Lucas 2:1-6 Lucas 2:1-6 [1] Naqueles dias saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo fosse recenseado. [2] Este primeiro recenseamento foi feito quando Quirínio era governador da Síria. [3] E todos iam alistar-se, cada um � sua própria cidade. [4] Subiu também José, da Galiléia, da cidade de Nazaré, � cidade de Davi, chamada Belém, porque era da casa e família de Davi, [5] a fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida. [6] Enquanto estavam ali, chegou o tempo em que ela havia de dar � luz,
Almeida Atualizada×
). Eu vi bustos bem preservados dele em vários museus, o que não é surpresa porque tanto Grécia quanto a Terra Santa faziam parte do Império Romano durante seu reinado.

Outro grande personagem em que vi retratado em vários bustos foi Alexander, o Grande. Embora não seja diretamente mencionado na Bíblia, ele foi prenunciado expressamente na profecia bíblica. Ele era o "chifre notável" e o "primeiro rei" em uma visão registrada no oitavo capítulo de Daniel sobre um bode que simbolizava o Império Greco-Macedônio que, sob sua liderança, venceu o Império Persa e governou a maior parte do mundo conhecido de sua época (versículos 5-7, 21). Alexandre é uma das várias figuras notáveis cujo papel histórico e futuro foi predito na Bíblia com antecedência.

Enquanto esses críticos da Bíblia argumentam que é fácil inserir personagens tão notáveis em uma narrativa falsa, como eles afirmam que os escritores bíblicos fizeram, certamente é muito mais difícil argumentar que um funcionário de baixo escalão de governo, mencionado numa passagem na Bíblia, é parte de uma história fabricada quando uma inscrição com o nome dessa pessoa é encontrada exatamente no lugar certo e na época certa da história!

Um desses indivíduos é “Erasto, administrador da cidade" de Corinto, mencionado na passagem de Romanos 16:23 Romanos 16:23Saúda-vos Gaio, hospedeiro meu e de toda a igreja. Saúda-vos Erasto, tesoureiro da cidade, e também o irmão Quarto.
Almeida Atualizada×
(NVI), aonde o apóstolo Paulo envia cumprimentos dos cristãos em Roma a vários membros da Igreja em Corinto.

Em 1929, os arqueólogos que escavavam uma área pavimentada perto do teatro de Corinto descobriram uma grande inscrição que dizia: “Erasto, em troca de sua edilidade, assentou [o pavimento] às suas próprias custas”. Um edil era um adminstrador responsável pelos edifícios públicos, ruas, mercados e atividades afins — ou seja, um "diretor de obras públicas", tal como a passagem bíblica o descreve.

A inscrição é datada da metade do primeiro século EC — exatamente no período em que Paulo escreveu sua carta aos romanos, na qual menciona Erasto (57-58 EC). Tudo indica que o Erasto da inscrição e o Erasto da carta são a mesma pessoa — isso demonstra que Paulo estava escrevendo sobre pessoas reais, em um lugar real e em uma época real!

“O tribunal” de Gálio

Mas essa não é a única evidência arqueológica de Corinto que apoia fortemente a autenticidade do registro bíblico. Não muito longe dali, entre as ruínas antigas da cidade, há os restos de outro grande lugar de encontro público, uma tribuna oratória elevada chamada de bema. A maioria dos arqueólogos identifica essa tribuna, construída em mármore branco e azul, e, ricamente, decorada com entalhes delicados, como uma bema, um lugar onde os funcionários do governo falavam ao povo e os magistrados locais emitiam suas decisões perante o público.

Observe o que aconteceu com Paulo quando ele estava em Corinto, conforme registrado por Lucas em Atos 18:12-18 Atos 18:12-18 [12] Sendo Gálio procônsul da Acaia, levantaram-se os judeus de comum acordo contra Paulo, e o levaram ao tribunal, [13] dizendo: Este persuade os homens a render culto a Deus de um modo contrário � lei. [14] E, quando Paulo estava para abrir a boca, disse Gálio aos judeus: Se de fato houvesse, ó judeus, algum agravo ou crime perverso, com razão eu vos sofreria; [15] mas, se são questões de palavras, de nomes, e da vossa lei, disso cuidai vós mesmos; porque eu não quero ser juiz destas coisas. [16] E expulsou-os do tribunal. [17] Então todos agarraram Sóstenes, chefe da sinagoga, e o espancavam diante do tribunal; e Gálio não se importava com nenhuma dessas coisas. [18] Paulo, tendo ficado ali ainda muitos dias, despediu-se dos irmãos e navegou para a Síria, e com ele Priscila e Áqüila, havendo rapado a cabeça em Cencréia, porque tinha voto.
Almeida Atualizada×
: "Sendo Gálio procônsul da Acaia, levantaram-se os judeus de comum acordo contra Paulo, e o levaram ao tribunal, dizendo: Este persuade os homens a render culto a Deus de um modo contrário à lei.

"E , quando Paulo estava para abrir a boca, disse Gálio aos judeus: Se de fato houvesse, ó judeus, algum agravo ou crime perverso, com razão eu vos sofreria; mas, se são questões de palavras, de nomes, e da vossa lei, disso cuidai vós mesmos; porque eu não quero ser juiz destas coisas.

"E expulsou-os do tribunal. Então todos agarraram Sóstenes, chefe da sinagoga, e o espancavam diante do tribunal; e Gálio não se importava com nenhuma dessas coisas. Paulo, tendo ficado ali ainda muitos dias" (grifo nosso).

A estratégia dos oponentes de Paulo fracassara. Em vez de impedir seus ensinamentos e pregações, o procônsul do governo Gálio rejeitou aquelas acusações e permitiu que Paulo continuasse pregando. Então, agora protegido pela lei, Paulo ficou em Corinto por mais algum tempo, continuando a ensinar e servir aos membros da Igreja local.

Um fato interessante sobre esse relato é a tripla menção do "tribunal", ou bema em grego, que significa uma plataforma elevada sobre a qual se fazia uma palestra pública. Qualquer um que visite Corinto hoje pode ver, em uma parte saliente das ruínas da cidade, essa mesma estrutura mencionada aqui e para onde Paulo foi trazido! (Para saber mais estruturas encontradas em outros lugares, leia "Edificações e Estruturas Bíblicas Descobertas Por Arqueólogos”).

Portanto, a existência de tal estrutura, mencionada apenas naquela passagem bíblica, foi confirmada como a mesma da época e lugar indicado na Bíblia!

E, evidentemente, isso não é tudo. Eu vi muito mais provas materiais da precisão do registro bíblico nessa viagem — inclusive o Areópago ou Monte Marte em Atenas (ainda hoje identificável, quase dois mil anos após a visita de Paulo ao local, conforme registrado em Atos 17), o fórum ateniense (ou "mercado") aonde ele ensinou, e as estátuas de multidões de deuses e deusas adoradas pelos atenienses e seus vizinhos do oeste, os coríntios.

E é muito gratificante e satisfatório ver essas evidências tão incontestáveis da autenticidade da Bíblia. Realmente ela contém um relato genuíno de pessoas reais, lugares reais e eventos reais registrados há séculos e preservados para nós hoje.

Muitíssimas outras evidências respaldam a Bíblia

Por mais esclarecedora que tenha sido essa viagem à Grécia, ela apenas mostrou superficialmente a grande quantidade de evidências materiais que apoiam a Bíblia. Considerando as limitações do registro arqueológico discutido anteriormente, é surpreendente a quantidade de evidências encontradas e que respaldam a precisão da Bíblia.

Em viagens semelhantes a Israel, Jordânia, Egito, Turquia (a "Ásia" da Bíblia) e a Itália, bem como em museus ao redor do mundo, eu tive o privilégio de ver inúmeros sítios arqueológicos bíblicos, que provam a existência de dezenas de personagens bíblicos, e uma série de estruturas específicas, costumes e práticas mencionadas na Bíblia. Alguns desses achados mais convincentes incluem:

• Uma laje de pedra com a inscrição "Pôncio Pilatos, prefeito da Judéia" e mencionando o imperador romano Tiberíades, que data da primeira metade do primeiro século, foi encontrada em 1961 em Cesareia Marítima, na costa de Israel (onde os procuradores romanos da República viviam na época dos Evangelhos). Sem dúvida, esse é o mesmo Pôncio Pilatos que, como registrado nos Evangelhos, condenou Jesus Cristo à crucificação.

• Uma caixa de pedra ornamentada datada do primeiro século e com o nome de "José, filho de Caifás", descoberto em um túmulo sacerdotal perto de Jerusalém em 1990. Este mesmo indivíduo, um sumo sacerdote, desempenhou um papel importante na conspiração da liderança religiosa de Jerusalém para que Jesus fosse executado por meio da crucificação.

• O esqueleto de um homem crucificado no primeiro século encontrado em um túmulo de Jerusalém em 1968. Cujo osso do calcanhar ainda continha o cravo usado para pregá-lo na cruz. Esses restos mortais são prova de que a crucificação era praticada naquela época como descrito nos Evangelhos há quase dois mil anos.

Outra boa fonte é o livro recém-publicado Zondervan Handbook of Biblical Archaeology: A Book by Book Guide to Archaeological Discoveries Related to the Bible (em inglês, edição november 2017), que detalha muitos artefatos relacionados com as Escrituras.

A Palavra de Deus permanece inabalável

Portanto, à luz de tantas evidências claras é imponderável que tantas pessoas continuem negando essas provas irrefutáveis — mesmos assim, seguem tentando. Essa atitude, em parte, é explicada em Romanos 8:7 Romanos 8:7Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita � lei de Deus, nem em verdade o pode ser;
Almeida Atualizada×
: “Porque a mentalidade controlada pela natureza pecaminosa é inimiga de Deus, pois ela não se submete à lei de Deus; e de fato, nem pode" (Versão Palavra Viva). As pessoas não querem reconhecer a veracidade da Bíblia porque tal atitude carrega consigo a obrigação de viver pelo que ela diz!

Apesar das opiniões falíveis, das desculpas e da opinião dos homens, a Palavra de Deus mantém-se inabalável. Como nos diz Isaías 40:8 Isaías 40:8Seca-se a erva, e murcha a flor; mas a palavra de nosso Deus subsiste eternamente.
Almeida Atualizada×
: “Seca-se a erva, e murcha a flor; mas a palavra de nosso Deus subsiste eternamente”.

A batalha cultural de hoje sobre a Bíblia foi muito bem resumida décadas atrás pelo notável escritor e professor Bernard Ramm: "Mais de mil vezes já ecoou o som da morte da Bíblia, realizaram um cortejo fúnebre, escreveram seu epitáfio numa lápide e já leram seu veredito final. Porém, de alguma forma, o cadáver nunca foi posto no túmulo”.

"Nenhum outro livro foi tão fatiado, triturado, peneirado, examinado e vilipendiado. Qual livro sobre filosofia, religião ou psicologia... dos tempos clássicos ou modernos esteve sujeito a um ataque massivo como a Bíblia? E com tanto veneno e ceticismo? E com tanto rigor e erudição? E com ataques em cada capítulo, linha e princípio? Mesmo assim, a Bíblia ainda é amada e estudada por milhões de pessoas" (Provas Cristãs Protestantes, 1957, pp. 232-33).

Nós, editores de A Boa Nova, encorajamos você a continuar amando e estudando a inestimável Palavra de Deus. Estamos felizes por estar com você nessa jornada e sentimos prazer em ajudá-lo e orientá-lo ao longo desse caminho!

Saiba mais

Este artigo apenas toca na superfície dessas inúmeras provas de que a Bíblia é, de fato, a verdadeira e inspirada Palavra de Deus. Para aprender muito mais, baixe ou solicite nosso guia de estudo bíblico gratuito. A Bíblia Merece Confiança? Uma cópia gratuita está esperando por você!


Edificações e Estruturas Bíblicas Descobertas Por Arqueólogos

O arqueólogo Bryant Wood, diretor de pesquisa do Associates for Biblical Research e editor da revista de arqueologia Bible and Spade, enumera uma série de estruturas feitas pelo homem mencionadas na Bíblia que foram identificadas e escavadas. As seguintes são algumas das mais interessantes:

● O tanque de Gibeão: O local onde as forças de Davi e Isbosete lutaram durante a luta pelo trono de Israel (2 Samuel 2:12-32 2 Samuel 2:12-32 [12] Depois Abner, filho de Ner, com os servos de Isbosete, filho de Saul, saiu de Maanaim para Gibeão. [13] Saíram também Joabe, filho de Zeruia, e os servos de Davi, e se encontraram com eles perto do tanque de Gibeão; e pararam uns de um lado do tanque, e os outros do outro lado. [14] Então disse Abner a Joabe: Levantem-se os mancebos, e se batam diante de nós. Respondeu Joabe: Levantem-se. [15] Levantaram-se, pois, e passaram, em número de doze por Benjamim e por Isbosete, filho de Saul, e doze dos servos de Davi. [16] E cada um lançou mão da cabeça de seu contendor, e meteu-lhe a espada pela ilharga; assim caíram juntos; pelo que se chamou �quele lugar, que está junto a Gibeão, Helcate-Hazurim. [17] Seguiu-se naquele dia uma crua peleja; e Abner e os homens de Israel foram derrotados diante dos servos de Davi. [18] Ora, estavam ali os três filhos de Zeruia: Joabe, Abisai, e Asael; e Asael era ligeiro de pés, como as gazelas do campo. [19] Perseguiu, pois, Asael a Abner, seguindo-o sem se desviar nem para a direita nem para a esquerda. [20] Nisso Abner, olhando para trás, perguntou: És tu Asael? Respondeu ele: Sou eu. [21] Ao que lhe disse Abner: Desvia-te para a direita, ou para a esquerda, e lança mão de um dos mancebos, e toma os seus despojos. Asael, porém , não quis desviar-se de seguí-lo. [22] Então Abner tornou a dizer a Asael: Desvia-te de detráz de mim; porque hei de ferir-te e dar contigo em terra? e como levantaria eu o meu rosto diante de Joabe, teu irmão? [23] Todavia ele recusou desviar-se; pelo que Abner o feriu com o conto da lança pelo ventre, de modo que a lança lhe saiu por detrás; e ele caiu ali, e morreu naquele mesmo lugar. E sucedeu que, todos os que chegavam ao lugar onde Asael caíra morto, paravam. [24] Mas Joabe e Abisai perseguiram a Abner; e pôs-se o sol ao chegarem eles ao outeiro de Amá, que está diante de Giá, junto ao caminho do deserto de Gibeão. [25] E os filhos de Benjamim se ajuntaram atrás de Abner e, formando-se num batalhão, puseram-se no cume dum outeiro. [26] Então Abner gritou a Joabe, e disse: Devorará a espada para sempre? não sabes que por fim haverá amargura? até quando te demorarás em ordenar ao povo que deixe de perseguir a seus irmãos? [27] Respondeu Joabe: Vive Deus, que, se não tivesses falado, só amanhã cedo teria o povo cessado, cada um, de perseguir a seu irmao. [28] Então Joabe tocou a buzina, e todo o povo parou; e não perseguiram mais a Israel, e tampouco pelejaram mais. [29] E caminharam Abner e os seus homens toda aquela noite pela Arabá; e, passando o Jordão, caminharam por todo o Bitrom, e vieram a Maanaim. [30] Voltou, pois, Joabe de seguir a Abner; e quando ajuntou todo o povo, faltavam dos servos de Davi dezenove homens, e Asael. [31] Mas os servos de Davi tinham ferido dentre os de Benjamim, e dentre os homens de Abner, a trezentos e sessenta homens, de tal maneira que morreram. [32] E levantaram a Asael, e o sepultaram no sepulcro de seu pai, que estava em Belém. E Joabe e seus homens caminharam toda aquela noite, e amanheceu-lhes o dia em Hebrom.
Almeida Atualizada×
).

● O palácio real de Samaria: Lugar onde viviam os reis de Israel (1 Reis 20:43 1 Reis 20:43E o rei de Israel seguiu para sua casa, desgostoso e indignado, e veio a Samária.
Almeida Atualizada×
; 21:1, 2; 22:39; 2 Reis 1:2 2 Reis 1:2Ora, Acazias caiu pela grade do seu quarto alto em Samária, e adoeceu; e enviou mensageiros, dizendo-lhes: Ide, e perguntai a Baal-Zebube, deus de Ecrom, se sararei desta doença.
Almeida Atualizada×
; 15:25).

● O túnel de água sob Jerusalém: Ele foi escavado pelo rei Ezequias para fornecer água durante o cerco assírio (2 Reis 20:20 2 Reis 20:20Ora, o restante dos atos de Ezequias, e todo o seu poder, e como fez a piscina e o aqueduto, e como fez vir a água para a cidade, porventura não estão escritos no livro das crônicas dos reis de Judá?
Almeida Atualizada×
; 2 Crônicas 32:30 2 Crônicas 32:30Também foi Ezequias quem tapou o manancial superior das águas de Giom, fazendo-as correr em linha reta pelo lado ocidental da cidade de Davi. Ezequias, pois, prosperou em todas as suas obras.
Almeida Atualizada×
).

● O palácio real da Babilônia: Local onde o rei Belsazar realizou uma festa na qual Daniel interpretou a escritura na parede (Daniel 5).

● O palácio real de Susã: Lugar onde Ester era a rainha do rei persa Assuero (Xerxes I) (Ester 1:2 Ester 1:2que, estando o rei Assuero assentado no seu trono do seu reino em Susã, a capital,
Almeida Atualizada×
; 2:3, 5, 9, 16).

● O portão real, em Susã: Onde Mardoqueu, primo de Ester, assentou-se (Ester 2:19 Ester 2:19Quando pela segunda vez se ajuntavam as virgens, Mardoqueu estava sentado � porta do rei.
Almeida Atualizada×
, 21; 3:2-3; 4:2; 5:9, 13; 6:10, 12).

● A fundação da sinagoga, em Cafarnaum: Onde Jesus ensinava e realizava milagres (Marcos 1:21-28 Marcos 1:21-28 [21] Entraram em Cafarnaum; e, logo no sábado, indo ele � sinagoga, pôs-se a ensinar. [22] E maravilhavam-se da sua doutrina, porque os ensinava como tendo autoridade, e não como os escribas. [23] Ora, estava na sinagoga um homem possesso dum espírito imundo, o qual gritou: [24] Que temos nós contigo, Jesus, nazareno? Vieste destruir-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus. [25] Mas Jesus o repreendeu, dizendo: Cala-te, e sai dele. [26] Então o espírito imundo, convulsionando-o e clamando com grande voz, saiu dele. [27] E todos se maravilharam a ponto de perguntarem entre si, dizendo: Que é isto? Uma nova doutrina com autoridade! Pois ele ordena aos espíritos imundos, e eles lhe obedecem! [28] E logo correu a sua fama por toda a região da Galiléia.
Almeida Atualizada×
; João 6: 25-59).

● A casa de Pedro, em Cafarnaum: Habitação onde Jesus curou a sogra de Pedro e outros (Mateus 8:14-16 Mateus 8:14-16 [14] Ora, tendo Jesus entrado na casa de Pedro, viu a sogra deste de cama; e com febre. [15] E tocou-lhe a mão, e a febre a deixou; então ela se levantou, e o servia. [16] Caída a tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados; e ele com a sua palavra expulsou os espíritos, e curou todos os enfermos;
Almeida Atualizada×
).

● O poço de Jacó: Onde Jesus falou com a mulher samaritana (João 4).

● O tanque de Betesda, em Jerusalém: Onde Jesus curou um homem aleijado (João 5:1-14 João 5:1-14 [1] Depois disso havia uma festa dos judeus; e Jesus subiu a Jerusalém. [2] Ora, em Jerusalém, próximo � porta das ovelhas, há um tanque, chamado em hebraico Betesda, o qual tem cinco alpendres. [3] Nestes jazia grande multidão de enfermos, cegos, mancos e ressicados [esperando o movimento da água.] [4] [Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava a água; então o primeiro que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse.] [5] Achava-se ali um homem que, havia trinta e oito anos, estava enfermo. [6] Jesus, vendo-o deitado e sabendo que estava assim havia muito tempo, perguntou-lhe: Queres ficar são? [7] Respondeu-lhe o enfermo: Senhor, não tenho ninguém que, ao ser agitada a água, me ponha no tanque; assim, enquanto eu vou, desce outro antes de mim. [8] Disse-lhe Jesus: Levanta-te, toma o teu leito e anda. [9] Imediatamente o homem ficou são; e, tomando o seu leito, começou a andar. Ora, aquele dia era sábado. [10] Pelo que disseram os judeus ao que fora curado: Hoje é sábado, e não te é lícito carregar o leito. [11] Ele, porém, lhes respondeu: Aquele que me curou, esse mesmo me disse: Toma o teu leito e anda. [12] Perguntaram-lhe, pois: Quem é o homem que te disse: Toma o teu leito e anda? [13] Mas o que fora curado não sabia quem era; porque Jesus se retirara, por haver muita gente naquele lugar. [14] Depois Jesus o encontrou no templo, e disse-lhe: Olha, já estás curado; não peques mais, para que não te suceda coisa pior.
Almeida Atualizada×
).

● O tanque de Siloé, em Jerusalém: Onde Jesus curou um cego (João 9:1-4 João 9:1-4 [1] E passando Jesus, viu um homem cego de nascença. [2] Perguntaram-lhe os seus discípulos: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? [3] Respondeu Jesus: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi para que nele se manifestem as obras de Deus. [4] Importa que façamos as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; vem a noite, quando ninguém pode trabalhar.
Almeida Atualizada×
).

● O tribunal de Corinto: Onde o apóstolo Paulo foi julgado (Atos 18:12-17 Atos 18:12-17 [12] Sendo Gálio procônsul da Acaia, levantaram-se os judeus de comum acordo contra Paulo, e o levaram ao tribunal, [13] dizendo: Este persuade os homens a render culto a Deus de um modo contrário � lei. [14] E, quando Paulo estava para abrir a boca, disse Gálio aos judeus: Se de fato houvesse, ó judeus, algum agravo ou crime perverso, com razão eu vos sofreria; [15] mas, se são questões de palavras, de nomes, e da vossa lei, disso cuidai vós mesmos; porque eu não quero ser juiz destas coisas. [16] E expulsou-os do tribunal. [17] Então todos agarraram Sóstenes, chefe da sinagoga, e o espancavam diante do tribunal; e Gálio não se importava com nenhuma dessas coisas.
Almeida Atualizada×
).

● O teatro de Éfeso: Onde ocorreu o tumulto contra Paulo, causado pelo ourives Demétrio (Atos 19:29 Atos 19:29A cidade encheu-se de confusão, e todos � uma correram ao teatro, arrebatando a Gaio e a Aristarco, macedônios, companheiros de Paulo na viagem.
Almeida Atualizada×
).

● O palácio de Herodes, em Cesareia: Onde Paulo foi mantido preso (Atos 23:33-35 Atos 23:33-35 [33] os quais, logo que chegaram a Cesaréia e entregaram a carta ao governador, apresentaram-lhe também Paulo. [34] Tendo lido a carta, o governador perguntou de que província ele era; e, sabendo que era da Cilícia, [35] disse: Ouvir-te-ei quando chegarem também os teus acusadores; e mandou que fosse guardado no pretório de Herodes.
Almeida Atualizada×
).

(Direito autoral de ChristianAnswer.net, 1996, “Have Any Man-Made Structures Mentioned in the Bible Been Unearthed by Archaeologists?”).

Além disso, recentes escavações em Jerusalém começaram a identificar partes das seguintes estruturas:

● O palácio de Davi, que foi construído em Jerusalém (2 Samuel 5:11 2 Samuel 5:11Hirão, rei de Tiro, enviou mensageiros a Davi, e madeira de cedro, e carpinteiros e pedreiros, que edificaram para Davi uma casa.
Almeida Atualizada×
).

● As fortalezas de Salomão na cidade de Jerusalém (1 Reis 11:27 1 Reis 11:27E esta foi a causa por que levantou a mão contra o rei: Salomão tinha edificado a Milo, e cerrado a brecha da cidade de Davi, seu pai.
Almeida Atualizada×
).

● O muro defensivo que Neemias construiu após o retorno dos exilados judeus da Babilônia (Neemias 3:4 Neemias 3:4Ao seu lado fez os reparos Meremote, filho de Urias, filho de Hacoz; ao seu lado Mesulão, filho de Berequias, filho de Mesezabel; ao seu lado Zadoque, filho de Baaná;
Almeida Atualizada×
:1-6) (ver também "A Vinha de Nabote e uma Latrina em Laquis")


A Arqueologia Comprova a Existência de Determinados Personagens Bíblicos?

Em praticamente todas as páginas da Bíblia você encontrará o nome de uma pessoa ou lugar. Uma vez que a Bíblia afirma ser uma história real, sua credibilidade depende da sua precisão histórica. Se as pessoas, lugares e eventos mencionados na Bíblia são parte de relatos fatuais, por isso esperamos encontrar evidências para apoiar esses relatos. Então, o que mostram as evidências? A arqueologia e a história confirmam a Bíblia?

À medida que os arqueólogos escavavam as antigas terras bíblicas, eles iam descobrindo inscrições e outras evidências que comprovam a existência de dezenas de personagens mencionados na Bíblia. Além disso, os historiadores encontraram ainda mais registros antigos.

Entre os personagens da Bíblia, cuja existência foi atestada pela arqueologia ou por outros registros antigos conservados, se encontram os seguintes:

Antigo Testamento:

Adrameleque, príncipe da Assíria
Acabe, rei de Israel
Acazias (Jeocaz), rei de Judá
Acazias, rei de Israel
Apries, faraó do Egito
Artaxerxes I, rei da Pérsia
Assurbanipal, rei da Assíria
Azalias, o escriba
Azarias, avô de Esdras
Baruque, escriba do profeta Jeremias
Balaão, profeta moabita
Belsazar, corregente da Babilônia
Ben-Hadade, o rei de Aram
Ciro II, rei da Pérsia
Dario I, rei da Pérsia
Davi, rei de Israel
Senaqueribe, rei da Assíria
Evil-merodaque, rei da Babilônia
Gedalias, governador de Judá
Gemarias, o escriba
Gesem, governador de Dedã
Hazael, rei de Damasco
Ezequias, rei de Judá
Hilquias, sumo sacerdote
Hofra, faraó do Egito
Oseias, rei de Israel
Joás, rei de Israel
Joaquim, rei de Judá
Jeorão, rei de Israel
Jeú, rei de Israel
Jeucal, oficial da corte
Jerameel, príncipe de Judá
Jezabel, esposa de Acabe, rei de Israel
Jesuá, neto do sumo sacerdote Eliasibe
Josias, rei de Judá
Jotã, rei de Judá
Manassés, rei de Judá
Menaém, rei de Israel
Merodaque-Baladã, rei da Babilônia
Mesa, rei de Moabe
Mesulão, pai de Azalia, o escriba
Nebo-Sarsequim, ofical da Babilônia
Nabucodonosor II, rei da Babilônia
Nebuzaradã, chefe da guarda na Babilônia
Neco II, faraó do Egito
Nergal-Sarezer, rei da Babilônia
Nerias, pai de Baruque, o escriba
Onri, rei de Israel
Peca, rei de Israel
Rezim, rei de Damasco
Sambalate, governador da Samaria
Sargão II, rei da Assíria
Senaqueribe, rei da Assíria
Seraías, oficial da corte de Zedequias
Salmanaser III, rei da Assíria
Salmanaser V, rei da Assíria
Safã, pai de Gemarias, o escriba
Sarezer, filho de Senaqueribe
Sebna, mordomo real de Ezequias
Selemias, pai de Jeucal (Jucal)
Sisaque, faraó do Egito
Taharqa, faraó do Egito
Tiglate-Pileser III, rei da Assíria
Uzias, rei de Judá
Tiraca, faraó do Egito
Xerxes I, rei da Pérsia
Zedequias, rei de Judá

Novo Testamento:

Anás, sumo sacerdote
Antonio Félix, procurador da Judéia
Aretas IV, rei dos nabateanos
Augusto César, imperador de Roma
Caifás, sumo sacerdote
Cláudio César, imperador de Roma
Erastos, funcionário público em Corinto
Gálio, procônsul da Acaia
Herodes, o Grande, rei da Judéia
Herodes Antipas, tetrarca da Galileia e Pereia
Herodes Agripa I, rei da Judéia
Herodes Agripa II, rei da Judéia
Herodes Arquelau, tetrarca da Judéia
Tiago, meio-irmão de Jesus
Jesus Cristo
João Batista
Pôncio Pilatos, procurador da Judéia
Pórcio Festo, procurador da Judéia
Quirino, governador da Síria
Sérgio Paulo, procônsul de Chipre
Tibério César, imperador de Roma

Alguns críticos argumentaram que os livros bíblicos foram escritos muito tempo depois dos eventos citados e que esses nomes foram adicionados para que os relatos simplesmente parecessem autênticos. Outros sugeriram que personagens importantes da história de épocas posteriores foram inseridos disfarçadamente em relatos anteriores. Então, como eles podem explicar esses personagens bíblicos, cuja existência foi comprovada por achados arqueológicos, em épocas e locais exatos tal como descritos na Bíblia? E, como visto nessa lista, isso aconteceu dezenas de vezes com pessoas que vão desde reis a autoridades judiciais e até plebeus!

Uma e outra vez, à medida que os arqueólogos escavam as terras da Bíblia, as evidências descobertas comprovam que a Bíblia é um registro antigo verdadeiro, fiel e preciso.

(Adaptado de nosso guia de estudo gratuito A Bíblia Merece Confiança?).