Ajuda para hoje e esperança para o amanhã! 

A Bíblia Merece Confiança?

Você está aqui

Índice

Em 16 de março de 1985, o jornalista Terry Anderson foi sequestrado nas ruas de Beirute, no Líbano. Como um peão político, ele foi mantido refém por dois mil quatrocentos e cinquenta e quatro dias―quase sete anos. Durante essa provação dolorosa o senhor Anderson demonstrou uma notável coragem, embora, várias vezes, tenha sido pressionado até quase chegar ao seu limite.

Historicamente, a Bíblia sempre teve a mais alta estima de muitos grandes homens e mulheres—presidentes, primeiros-ministros, monarcas, estudiosos, cientistas, filósofos e muito mais. A seguir veremos o que alguns deles têm dito sobre a Bíblia.

Se a Bíblia é a Palavra autorizada de Deus, o que devemos esperar encontrar nela?

Segmentos inteiros da sociedade têm preconceitos contra a Bíblia. Como o historiador Paul Johnson colocou: “É um fato notável que, no final do século XX, a grande maioria das pessoas no mundo ainda acredita em um deus . . . Mas não se pode negar, também, que o espírito de Prometeu, o espírito daqueles que acreditam que podem fazer tudo sem Deus—ou que podem encontrar substitutos para Deus—também é forte hoje, talvez mais forte do que nunca” (A Busca por Deus [The Quest for God], 1996, pág. 18).

Para ser a Palavra de Deus, a Bíblia tem que merecer confiança e, consequentemente, ser verdadeira. Isto deveria ser auto-evidente. Nos últimos séculos, no entanto, temos visto que alguns estudiosos e cientistas fizeram descobertas que, ao considerar superficialmente, parecem contradizer a Bíblia. Algumas descobertas causaram tremores em todo o mundo cristão.

Somos introduzidos ao relato da criação da terra em Gênesis 1:1-2: “No princípio, criou Deus os céus e a terra. E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo”.

A arqueologia é a recuperação e o estudo do material residual da vida e das atividades das pessoas do passado. Ela envolve a escavação e o estudo sistemático de suas ferramentas, armas, utensílios de cozinha, inscrições e outros objetos e vestígios. A arqueologia bíblica é um pequeno subconjunto do extenso campo da arqueologia, que limita-se ao estudo das civilizações antigas do antigo Oriente Médio, o ambiente geográfico dos eventos registrados na Bíblia.

O notável cilindro do rei Ciro da Pérsia, datado de 538 a.C. e que agora se encontra no Museu Britânico, registra sua conquista da Babilônia e sua política de tolerância e até mesmo de patrocínio das religiões nativas.

A descoberta do antigo Império Assírio foi classificada entre as maiores descobertas arqueológicas de todos os tempos.

Por muitos anos, alguns críticos têm afirmado que muitas figuras bíblicas, incluindo o rei Davi, não passam de mito.

Entre as figuras bíblicas, cuja existência foi confirmada pela arqueologia ou outros registros antigos preservados estão as seguintes.

Os séculos anteriores viram pouco conflito entre as Escrituras e a ciência. Era comum os cientistas e religiosos verem a Bíblia e a ciência em completo acordo. Se uma aparente discrepância vinha à tona, a Bíblia era considerada mais confiável, mas as duas eram amplamente aceitas como harmoniosas.

Salomão, rei de Israel, era um homem de notável erudição.

Em que outro livro bem conhecido podemos encontrar não apenas o futuro revelado, mas também o registro da realização dos eventos preditos que vieram a acontecer muitas centenas de anos mais tarde?

A profecia bíblica predisse uma série de circunstâncias que se realizariam ou somente seria possível nos tempos atuais. E algumas são:

Uma pesquisa realizada em 2004 pela revista Newsweek informou que apenas metade dos norte-americanos acreditam que Jesus Cristo voltará.

A Bíblia contêm erros?