Ajuda para hoje e esperança para o amanhã! 

Jesus acabou com a Lei?

Você está aqui

Jesus acabou com a Lei?

Muitos viram-se para o Sermão da Montanha para apontar a "provas concludentes" de que Jesus retirou os Dez Mandamentos em massa, cumprindo a nossa necessidade de obedecê-los por sua morte. Mas, na verdade, longe de acabar com a lei, o sermão que Jesus deu é uma confirmação e aprofundamento da compreensão da intenção dos santos mandamentos de Deus.

Jesus declarou de forma inequívoca no seu sermão: "Não penseis que vim destruir a Lei ou os Profetas. Eu não vim para destruir, mas cumprir" (Mateus 5:17 Mateus 5:17Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir.
Almeida Atualizada×
). O palavra grega pleroo, aqui traduzida por "cumprir", significa "fazer inteiro", "para preencher ao máximo", "fazer completo em cada detalhe", "para tornar perfeito" ou "levar até ao fim" ( Léxico Grego-Inglês do Novo Testamento por Thayer, de 2005, Número 4137 da Concordância de Strong).

Longe de destruir ou abolir a lei, como alguns interpretam este versículo, Jesus disse que veio para preencher a lei à plenitude — para a completar e aperfeiçoar. Ele fez isso, mostrando a intenção e aplicação espiritual mais profunda da lei.

Vemos isso durante o resto do capítulo, onde Jesus passou a dar um significado mais profundo, contrastando a compreensão dos mandamentos de quem O escutava com a intenção de Deus pelas declarações: "Ouvistes que foi dito aos antigos ... "e "Eu, porém, vos que..."

Ele assinalou para os ouvintes que, embora tivessem sido ensinados que não deveriam assassinar, o significado real do Sexto Mandamento foi que Deus espera que demos o valor a todas as pessoas e reconciliar todas as nossas diferenças com os outros em paz, não apenas abstermo-nos de arrebatar a vida de outrém (Mateus 5:21-26 Mateus 5:21-26 [21] Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; e, Quem matar será réu de juízo. [22] Eu, porém, vos digo que todo aquele que se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e quem disser a seu irmão: Raca, será réu diante do sinédrio; e quem lhe disser: Tolo, será réu do fogo do inferno. [23] Portanto, se estiveres apresentando a tua oferta no altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, [24] deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai conciliar-te primeiro com teu irmão, e depois vem apresentar a tua oferta. [25] Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele; para que não aconteça que o adversário te entregue ao guarda, e sejas lançado na prisão. [26] Em verdade te digo que de maneira nenhuma sairás dali enquanto não pagares o último ceitil.
Almeida Atualizada×
). Da mesma forma, é luxúria nossas mentes que concebe o ato de adultério que é pecado, não apenas o ato em si (versículos 27-32). GN

O que ensinou Jesus sobre o pecado?

A maioria prefere aquecer-se pelas belas histórias a respeito de Cristo, no conhecimento da Sua graça e perdão dos pecados, sem reconhecer os requisitos de obediência para com Ele e Sua lei ou as conseqüências do pecado.

No entanto, longe de honrar o seu Salvador, o cristão que faz isso realmente avilta o sacrifício de Jesus Cristo e mostra uma falta de compreensão do que é o pecado e quanto custa.

O que é exatamente o pecado? A Bíblia define o pecado como transgressão da lei (1 João 3:4).

Jesus ensinou que as ações que levam aos pecados deviam ser interrompidas, e não ser toleradas sob um guarda-chuva de graça incondicional. Em João 8, encontramos uma história de como os líderes religiosos de Seus dias tentaram apanhá-lo numa armadilha por meio de um julgamento difícil. Eles fizeram isso, trazendo-lhe uma mulher apanhada no ato de adultério e perguntando-lhe o castigo que merecia.

Jesus disse aos que a acusaram que a apedrejassem se estavessem sem pecado. Os acusadores partiram um por um. Mas à mulher disse: "Mulher, onde estão os teus acusadores? Ninguém te condenou?" Ela respondeu: "Ninguém, Senhor." Jesus então lhe disse: "Nem Eu te condeno, vai-te e não peques mais" (vv. 10-11, grifo nosso).

Jesus disse-lhe que parasse de pecar. Se somos seguidores de Cristo, não deverímos prestar atenção à Sua instrução também? GN