Ajuda para hoje e esperança para o amanhã! 

Entendendo Corretamente o Conceito de 'Justificação' e 'Justiça'

Entendendo Corretamente o Conceito de 'Justificação' e 'Justiça'

Download (Baixar)
MP3 Audio (5.26 MB)

Download (Baixar)

Entendendo Corretamente o Conceito de 'Justificação' e 'Justiça'

MP3 Audio (5.26 MB)
×

Mas justificar, justificado e justificação tem um foco um pouco diferente.

Apesar de os estudiosos definirem corretamente o significado de justificação como "imputar justiça" ou "ser declarado justo", pode-se tirar conclusões erradas a partir dessas definições. Embora não seja tecnicamente impreciso usar as palavras portuguesas ‘justo e justiça’ para definir ou descrever justificação, às vezes, isso obscurece importantes distinções, contextual e comportamental, de como Paulo usa especialmente nas palavras justiça e justificação.

Nas cartas de Paulo, o enfoque da justificação é mais na absolvição legal da culpa, enquanto justiça é usada principalmente para se referir ao caráter virtuoso. A justificação — ser declarado legalmente livre de culpa — não torna de imediato alguém perfeitamente justo. Paulo deixa muito claro que o crescimento na justiça divina é um processo.

Esse processo começa com o batismo, "porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo" (Gálatas 3:27 Gálatas 3:27Porque todos quantos fostes batizados em Cristo vos revestistes de Cristo.
Almeida Atualizada×
). Mas alcançar a maturidade na justiça de Jesus Cristo é um objetivo pelo qual temos de continuar lutando. Ela não é legada a nós instantaneamente, mas vem através de um processo de crescimento espiritual, como podemos aprender com as Escrituras através da orientação de outras pessoas que nos precederam em Cristo.

"E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo, até que todos cheguemos à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo vento de doutrina, pelo engano dos homens que, com astúcia, enganam fraudulosamente. Antes, seguindo a verdade em caridade, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo" (Efésios 4:11-15 Efésios 4:11-15 [11] E ele deu uns como apóstolos, e outros como profetas, e outros como evangelistas, e outros como pastores e mestres, [12] tendo em vista o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; [13] até que todos cheguemos � unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, ao estado de homem feito, � medida da estatura da plenitude de Cristo; [14] para que não mais sejamos meninos, inconstantes, levados ao redor por todo vento de doutrina, pela fraudulência dos homens, pela astúcia tendente � maquinação do erro; [15] antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo,
Almeida Atualizada×
).

Para permanecer justificada depois de ser perdoada, a pessoa deve se comportar com justiça ou de maneira justa a partir daquele momento. Em outras palavras, a fé necessária para uma pessoa ser justificada deve ser confirmada por suas ações. Como Tiago explica: "Porventura Abraão, o nosso pai, não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Isaque? Bem vês que a fé cooperou com as suas obras e que, pelas obras, a fé foi aperfeiçoada, e cumpriu-se a Escritura, que diz: E creu Abraão em Deus, e foi-lhe isso imputado como justiça, e foi chamado o amigo de Deus. Vedes, então, que o homem é justificado [tornado justo] pelas obras e não somente pela fé" (Tiago 2:21-24 Tiago 2:21-24 [21] Porventura não foi pelas obras que nosso pai Abraão foi justificado quando ofereceu sobre o altar seu filho Isaque? [22] Vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada; [23] e se cumpriu a escritura que diz: E creu Abraão a Deus, e isso lhe foi imputado como justiça, e foi chamado amigo de Deus. [24] Vedes então que é pelas obras que o homem é justificado, e não somente pela fé.
Almeida Atualizada×
).

No entanto, as palavras de Tiago não implica, de modo algum, que o perdão do pecado é conquistado pelas obras. Ele apenas está confirmando que, uma vez perdoado, é necessário continuar na vida justa. O poder e a capacidade de fazer isso vêm de Deus. Observe como Paulo explica isso: "De sorte que, meus amados, assim como sempre obedecestes, não só na minha presença, mas muito mais agora na minha ausência, assim também operai a vossa salvação com temor e tremor; porque Deus é o que [ativamente ] opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade" (Filipenses 2:12-13 Filipenses 2:12-13 [12] De sorte que, meus amados, do modo como sempre obedecestes, não como na minha presença somente, mas muito mais agora na minha ausência, efetuai a vossa salvação com temor e tremor; [13] porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.
Almeida Atualizada×
).

O Dicionário Bíblico de Hastings faz esta distinção entre as palavras justificação e justiça: "Nem o hebraico nem o grego original permite qualquer outra definição de "justificar" como "considerar justo”, que é um termo de relacionamento ético e não de qualidade ética, e significa a posição em que alguém está definido diante de outro, não o caráter transmitido a alguém" (1996, "Justificação, Justificar", ênfase adicionada). Em outras palavras, uma vez perdoado, o status aos olhos de Deus é a de uma pessoa "justa" ou "virtuosa". O poder do Espírito de Deus capacita a pessoa a continuar na justiça.

Mas muito dessa edificação do caráter ainda está por vir. Uma pessoa justificada não deve considerar como garantida a sua justificação. Ela deve crescer de acordo com o exemplo de justiça estabelecido por Jesus Cristo. Cada filho de Deus deve aprender e crescer em direção "à medida da estatura da plenitude de Cristo".