Ajuda para hoje e esperança para o amanhã! 

A Nova Aliança: Será que a Lei de Deus foi Abolida?

Você está aqui

Índice

A Nova Aliança anula a lei de Deus e acaba com qualquer necessidade de obedecer aos Dez Mandamentos e outras leis de Deus?

Qual é a mensagem central do evangelho de Jesus Cristo?

A maioria dos professores de teologia diz que os mandamentos de Deus, que foram entregues através de Moisés, somente se aplicam à antiga Israel e não são para nós hoje.

Qual a natureza e o propósito dos Dez Mandamentos de Deus?

A aliança que Deus fez com os antigos israelitas no Monte Sinai — dando-lhes Suas bênçãos especiais e proteção — dependeria da obediência deles a Sua instrução.

As instruções de Deus para o Seu povo e Seus servos geralmente estão resumidas em três grandes categorias de estatutos, juízos e leis.

O pacote de lei da Aliança do Sinai, todos os cinco livros escritos por Moisés, foi concebido para cobrir, a princípio, todos os aspectos importantes da vida nacional da antiga Israel.

A palavra ‘justo ou justiça’ nas traduções portuguesas das Escrituras descreve essencialmente o caráter pessoal, demonstrando um comportamento apropriado.

Muita gente acha que os Dez Mandamentos e a aliança que Deus fez com a antiga Israel são iguais — e que ambos foram abolidos com a morte de Jesus Cristo.

Deus planejou mudar desde o início a aliança limitada e temporária que Ele fez com a antiga Israel — com seus numerosos sacrifícios simbólicos — em um compromisso de uma aliança muito superior com um sacrifício permanente pelo pecado e aberto a toda a humanidade.

Qual era o problema da Aliança do Sinai?

Deus equilibra a justiça com a misericórdia ao levar em conta o que está no coração — se ainda restar alguma possibilidade de arrependimento.

A Nova Aliança, sem dúvida, proporciona um melhor relacionamento com Deus do que o relacionamento retratado, apenas simbolicamente, na aliança anterior.

Na maioria das vezes, o amor de que fala a Bíblia é uma preocupação voltada aos outros, demonstrado por nossas ações e é mais significativo do que meros sentimentos.

Somente com acesso constante a um Sumo Sacerdote vivente e permanente nos é possível obedecer a Deus de uma maneira que Lhe agrada.

A palavra graça é comumente utilizada por algumas pessoas religiosas como substituta de toda necessidade de obedecer à lei de Deus. Esta conclusão não é apenas equivocada, mas também diabólica!

A chave para resolver o problema do pecado é a ajuda que recebemos por meio de Jesus Cristo.

"De nada vale ser circuncidado ou não. O que importa é ser uma nova criação" (Gálatas 6:15, NVI).

Na luta contra a heresia dos gálatas, Paulo às vezes se refere à liberdade cristã. Mas a liberdade que ele descreve é muito diferente da forma como as suas palavras são comumente interpretadas hoje em dia.

Gálatas 3:10-13 frequentemente é uma das passagens da Bíblia mais usada de maneira incorreta.

Alguns veem Gálatas 4:9-10 como uma condenação às leis do Antigo Testamento.

Paulo queria dizer que a desobrigação dos gentios de ter que circuncidarem-se também os desobrigaria a ter que obedecer a uma das leis de Deus?

A Bíblia apresenta Satanás como o mestre manipulador da natureza humana.

Precisamos da ajuda de Deus, através do Seu Espírito, para obedecer-Lhe de coração e harmonizar nossos pensamentos, atitudes e ações com Ele.

Deus como juiz, que a cada ser humano imputa a responsabilidade de prestar contas em conformidade com Sua lei, é um tema muito repetido nas Escrituras.

Um comentário de Paulo em Romanos, que muitos tiram do contexto e interpretam mal.

Para compreender a relação entre a justificação e a salvação, precisamos entender os diferentes sentidos em que estes termos são usados.

Muitos acreditam que Romanos 14 diz que os cristãos estão livres de todas as antigas restrições sobre as carnes que podem comer.

Paulo ensinou que o Sábado não é diferente de qualquer outro dia ou que somos livres para escolher por conta própria que dia que queremos observar?

Muitas pessoas acham que Paulo estava rejeitando qualquer necessidade de guardar o Sábado e outros Dias Santos bíblicos...

A carta de Paulo aos Efésios é sobre o plano maravilhoso de Deus para trazer a paz, a unidade e salvação a todos os povos — judeus e gentios. Sua mensagem para os cristãos de Colossos contém uma linguagem semelhante.

Tanto a evidência bíblica e histórica indica que Paulo estava na prisão quando escreveu suas epístolas de Efésios e Colossenses.

Quase imediatamente após os exércitos romanos destruírem a cidade de Jerusalém e seu templo em 70 d.C., um forte preconceito contra as crenças e costumes judaicos se espalharam como fogo por todo o Império Romano.

A tradução inadequada e enganosa de uma passagem em Colossenses 2, em algumas versões da Bíblia, é usada frequentemente para apoiar a falsa crença de que a lei de Deus foi "cancelada" por Jesus Cristo...

Paulo explica em Colossenses que o Sábado semanal de Deus e as Festas Santas são sombras das coisas futuras.

A seguinte citação de um livro do Dr. Troy Martin, professor de Estudos Religiosos da Universidade Saint Xavier de Chicago, sobre a carta de Paulo aos Colossenses providencia uma refutação eficaz para o argumento comum, mas falso, de que Paulo ensinou aos gentios cristãos a não observarem os dias santos, que os judeus também observavam.

Paulo advertiu aos gentios cristãos de Colossos contra a errônea filosofia humana e não contra a necessária observância da lei de Deus.

Muitas pessoas afirmam que em Colossenses 2:16-17 Paulo está dizendo que as leis de Deus a respeito do Sábado, dos Dias Santos e das carnes puras e impuras não são mais necessárias.

Uma das visões mais equivocadas da Nova Aliança é a ideia de que através dela Jesus Cristo extinguiu a obediência às leis contidas no Antigo Testamento.

Na época de Jesus e Paulo, alguns líderes religiosos judeus haviam distorcido o foco da lei de Deus.

Em muitas versões da Bíblia pode ser difícil dizer quando um escritor do Novo Testamento está citando o Antigo Testamento.

O livro de Atos é um registro histórico fundamental da crença e da prática da Igreja primitiva.

Jesus Cristo, a Palavra de Deus viva, é um exemplo perfeito do que ensina a lei de Deus. Seu caráter e obra nos indica o objetivo da lei.

Algumas pessoas acreditam que a decisão da Igreja primitiva, em Atos 15, liberou os cristãos da necessidade de obedecer às leis reveladas no Antigo Testamento. Mas isso é verdade?

Talvez as controvérsias mais difundidas sobre os ensinamentos de Jesus dizem respeito a Sua atitude para com as leis de Deus registradas no Antigo Testamento.

Consideremos por um momento a pena que nós próprios incorremos pelo pecado.

A crença popular de que a Nova Aliança revoga a lei de Deus reflete uma incompreensão de ambas as alianças.

Jesus substituiu os mandamentos de Deus anteriores apenas com este novo mandamento?

As autoridades religiosas, que acusaram Jesus Cristo de transgredir o Sábado, têm sido retratadas como legalistas. Mas o que significa o termo legalismo?

A vida eterna é o resultado da graça de Deus. Ela é o Seu dom gratuito e imerecido para nós.

Quando Deus confirmou a Aliança do Sinai com a antiga Israel, Ele resumiu como queria que as pessoas reagissem.

Atualmente o sistema de governo aas nações democráticas ocidentais se baseia na liberdade, que tanto é definida como garantida por lei. A liberdade bíblica e esta liberdade não são diferentes. Sem lei não pode haver liberdade efetiva e duradoura.

Poucas pessoas entendem que a Antiga Aliança era essencialmente uma aliança de casamento...

Uma interpretação comum do livro de Gálatas é que Paulo criticou os gálatas por guardarem o Sábado e os Dias Santos bíblicos.