Ajuda para hoje e esperança para o amanhã! 

Por que Você Nasceu?: Qual é o seu destino?

Você está aqui

Índice

Por que você nasceu? Por que você existe? Há uma razão, um propósito, para a vida humana? Estas perguntas têm desconcertado os maiores pensadores e filósofos através dos tempos.

Certamente, os seres humanos têm um componente espiritual. Como diz Jó 32:8: "Há um espírito no homem." E o apóstolo Paulo interroga: “Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está?” (1 Coríntios 2:11).

O apóstolo Paulo nos diz que Deus fez os planos para o nosso maravilhoso futuro mesmo antes de criar os nossos primeiros pais, Adão e Eva. Ele planejou o nosso destino “segundo o Seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos dos séculos” (2 Timóteo 1:9).

As Escrituras revelam que todas as pessoas descendem dos dois primeiros seres humanos, de Adão e de Eva.

As Escrituras afirmam claramente que há um só Deus (Isaías 46:9; Malaquias 2:10; Romanos 3:30; Tiago 2:19). Todavia, é evidente que esse Deus único consiste em mais de um Ser, que existem juntos como uma família divina (comparar Efésios 3:14-15) —sendo a família humana um exemplo físico disso.

Como esclarece esta publicação, as Escrituras revelam que o destino do homem é ter plenamente Deus como seu legítimo Pai, pois quando Seu Espírito Santo é implantado em nossa mente nós nos tornamos Seus legítimos filhos gerados por Ele. Porém, algumas escrituras do apóstolo Paulo têm sido interpretadas para dizer que Deus nos adotou em vez de dizer diretamente que Ele nos gerou como Seus filhos. Mas que diferença isso faz? E onde está a verdade dessa questão?

Enquanto o conceito bíblico do endeusamento ou divinização — exaltação à divindade — geralmente é ignorada ou descartada no ensinamento do cristianismo moderno, era uma doutrina bem estabelecida entre os primeiros teólogos tradicionais.

O majestoso propósito para o qual Deus criou a humanidade é absolutamente grandioso.

Deus diz em Gênesis 1:26: “Façamos o homem à Nossa imagem, conforme a Nossa semelhança” — o pronome possessivo "nossa" aqui usado, denota a referência a Deus Pai e ao Verbo, que mais tarde nasceria na carne como Jesus Cristo (João 1:1-3, 14). Mas, o que significa à imagem e semelhança de Deus?