Ajuda para hoje e esperança para o amanhã! 

O Que nos Ensina a Ressurreição de Cristo?

Você está aqui

O Que nos Ensina a Ressurreição de Cristo?

Download (Baixar)
MP3 Audio (4.98 MB)

Download (Baixar)

O Que nos Ensina a Ressurreição de Cristo?

MP3 Audio (4.98 MB)
×

“Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá” (João 11:25 João 11:25Declarou-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá;
Almeida Atualizada×
).

O apóstolo Paulo nos diz que “carne e sangue não podem herdar o Reino de Deus” (1 Coríntios 15:50 1 Coríntios 15:50Mas digo isto, irmãos, que carne e sangue não podem herdar o reino de Deus; nem a corrupção herda a incorrupção.
Almeida Atualizada×
). Por isso a ressurreição de Cristo para a vida eterna foi para um corpo espiritual glorificado (Filipenses 3: 21), da mesma essência divina do Pai. Contudo, as aparições de Cristo ressuscitado tiveram uma maravilhosa variedade de formas. Os registos dos evangelhos nos mostram que ninguém O reconhecia a não ser que Ele quisesse.

Maria Madalena foi a primeira pessoa a ver Jesus depois de Sua ressurreição. João regista que ela foi ao túmulo de Jesus quando ainda era noite e percebeu que estava vazio (João 20:1-2 João 20:1-2 [1] No primeiro dia da semana Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu que a pedra fora removida do sepulcro. [2] Correu, pois, e foi ter com Simão Pedro, e o outro discípulo, a quem Jesus amava, e disse-lhes: Tiraram do sepulcro o Senhor, e não sabemos onde o puseram.
Almeida Atualizada×
). Imediatamente ela se pôs ansiosa e desesperada por supor que o corpo de Cristo tinha sido roubado.

A extraordinária experiência de Maria Madalena

Maria foi informar Pedro e João, que então correram para o túmulo. Mas tudo quanto encontraram lá foram as roupas de sepultamento de Cristo. Quando Deus ressuscitou Cristo para a vida eterna, Ele aparentemente passou através das roupas como se elas não existissem.

Abordamos o registo no versículo 14: “[Ela] voltou-se para trás e viu Jesus em pé, mas não sabia que era Jesus”. Maria Madalena não reconheceu alguém que ela conhecia muito bem. Ela supôs tratar-se do jardineiro. O que se seguiu foi um impressionante reconhecimento.

“Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, voltando-se, disse-lhe: Raboni (que quer dizer Mestre)!” (versículo 16). O sonho impossível tornou-se real—o inacreditável aconteceu!

Esse momento particular de reconhecimento talvez seja inigualável em toda a história. Uma mulher abalada e em prantos pensando que tudo está perdido, subitamente percebe que o seu Salvador está vivo e bem, e em pé diante dela! A onda de emoção que a atingiu deve ter sido indescritível. Simplesmente Jesus dirigiu-se a ela da mesma maneira, como tantas outras vezes antes, quando era um ser humano.

Muitos de nós já tivemos a experiência de encontramos inesperadamente alguém que conhecemos bem, e temos afeto, e que não vemos há muito tempo. A emoção que experimentamos é difícil de descrever adequadamente. Mas imagine se fosse um ente querido que houvesse tido uma morte brutal e que por isso estávamos de luto!

Mas, era muito mais do que isso, essa mulher—a quem Jesus expulsara sete demônios—foi o primeiro ser humano na história a ver Cristo ressuscitado, em pessoa, e a reconhecer quem Ele era. Que honra!

Mas por que ela? Talvez porque ela creu e devotou-se a Jesus de tal modo que poucos seres humanos jamais fizeram. Ela sempre se demonstrou agradecida pelo que Cristo fizera. A sua vida antes de ser curada deve ter sido de muitíssimo sofrimento.

O corpo de Cristo ressuscitado

Jesus ressuscitado passava através de densas paredes e podia aparecer e desaparecer subitamente a Seu bel-prazer (Lucas 24:31 Lucas 24:31Abriram-se-lhes então os olhos, e o reconheceram; nisto ele desapareceu de diante deles.
Almeida Atualizada×
; Marcos 16:12 Marcos 16:12Depois disso manifestou-se sob outra forma a dois deles que iam de caminho para o campo,
Almeida Atualizada×
). Há quem argumente que o corpo de Cristo ressuscitado era o mesmo corpo físico que tinha morrido ao se comparar essas capacidades às da Sua miraculosa caminhada sobre a água, quando era humano. Contudo, a Bíblia agora nos assegura que Jesus agora era novamente espírito, como tinha sido antes com o Pai no céu (João 17:5 João 17:5Agora, pois, glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que eu tinha contigo antes que o mundo existisse.
Almeida Atualizada×
)—livre das leis físicas que limitam a nós, seres humanos físicos.

Paulo declara explicitamente que conquanto “o primeiro homem, da terra, é terreno” (1 Coríntios 15:45-47 1 Coríntios 15:45-47 [45] Assim também está escrito: O primeiro homem, Adão, tornou-se alma vivente; o último Adão, espírito vivificante. [46] Mas não é primeiro o espíritual, senão o animal; depois o espiritual. [47] O primeiro homem, sendo da terra, é terreno; o segundo homem é do céu.
Almeida Atualizada×
), “o último Adão [Jesus] [é] espírito vivificante”.

Decerto, Ele voltou a ser “o Alto e o Sublime, que habita na eternidade” com o Pai (Isaías 57:15 Isaías 57:15Porque assim diz o Alto e o Excelso, que habita na eternidade e cujo nome é santo: Num alto e santo lugar habito, e também com o contrito e humilde de espírito, para vivificar o espírito dos humildes, e para vivificar o coração dos contritos.
Almeida Atualizada×
). Por isso como explicar a variedade de aparições semelhantes à forma humana pós-ressurreição registradas nas Escrituras? Vamos ler e estudar algumas.

Mais tarde, no diálogo de Cristo com Maria Madalena, em João 20:17 João 20:17Disse-lhe Jesus: Deixa de me tocar, porque ainda não subi ao Pai; mas vai a meus irmãos e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus.
Almeida Atualizada×
, Ele diz: “Não me detenhas [‘Não me segure’, NTLH], porque ainda não subi para meu Pai”. Aparentemente Maria podia tocar em Jesus Cristo com se Ele fosse um homem normal. Obviamente, Jesus aqui apareceu em forma e aspecto de um ser humano normal.

Nessa noite Cristo apareceu a um grupo dos primeiros apóstolos. “E . . . mostrou-lhes as mãos e o lado. De sorte que os discípulos se alegraram, vendo o Senhor” (versículo 20). Mas Tomé que não estava lá nessa ocasião e não acreditou nos outros.

Quando Jesus apareceu-lhes oito dias depois (versículo 26), Tomé estava presente. “Disse [Cristo] a Tomé: Põe aqui o teu dedo e vê as minhas mãos; chega a tua mão e põe-na no meu lado; não sejas incrédulo, mas crente. Tomé respondeu e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu!” (versículos 27-28). Tomé agora sabia, sem sombra de dúvidas, que Jesus Cristo era Deus!

Provavelmente devem ter sido essas ocasiões incríveis (e outras como essas) que levaram o apóstolo João a escrever as palavras introdutórias da sua primeira epístola: “O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam—isto proclamamos a respeito da Palavra da vida” (1 João 1:1 1 João 1:1O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam, a respeito do Verbo da vida
Almeida Atualizada×
NVI).

Lembremos que o Verbo tornou-se Jesus Cristo (João 1:14 João 1:14E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai.
Almeida Atualizada×
). Uma vez mais, pode ser que no versículo agora citado, João tenha tido mais em mente a Cristo ressuscitado que o Jesus humano.

Aparecendo em forma física

Mais tarde Cristo apareceu-lhes novamente. “Depois disso, manifestou-se Jesus outra vez aos discípulos, junto ao mar de Tiberíades; e manifestou-se assim” (João 21:1 João 21:1Depois disto manifestou-se Jesus outra vez aos discípulos junto do mar de Tiberíades; e manifestou-se deste modo:
Almeida Atualizada×
). Nesta ocasião particular Ele preparou-lhes o café da manhã (versículo 9), e depois disse três vezes a Pedro: “Apascenta as minhas ovelhas” (versículo 17).

Este capítulo não diz que Jesus comeu café da manhã [pequeno almoço] com eles, mas outros registros dos Evangelhos mostram que Ele comeu depois de Sua ressurreição. “Então, eles apresentaram-lhe parte de um peixe assado e um favo de mel, o que Ele tomou e comeu diante deles” (Lucas 24:42-43 Lucas 24:42-43 [42] Então lhe deram um pedaço de peixe assado, [43] o qual ele tomou e comeu diante deles.
Almeida Atualizada×
). Mais tarde, Pedro confirmou as aparições de Cristo aos apóstolos: “Nós que comemos e bebemos juntamente com ele, depois que ressuscitou dos mortos” (Atos 10:41 Atos 10:41não a todo povo, mas �s testemunhas predeterminadas por Deus, a nós, que comemos e bebemos juntamente com ele depois que ressurgiu dentre os mortos;
Almeida Atualizada×
). E Ele ainda comerá e beberá com a Sua recém-nascida família na grande ceia matrimonial, depois da ressurreição dos fiéis no Seu regresso (Mateus 26:29 Mateus 26:29Mas digo-vos que desde agora não mais beberei deste fruto da videira até aquele dia em que convosco o beba novo, no reino de meu Pai.
Almeida Atualizada×
).

Tais passagens têm convencido a muitos que Cristo ainda tem o Seu corpo físico. Contudo, deve-se tomar em conta que no Antigo Testamento, muito antes do Verbo tornar-se carne como Jesus, Ele, “o Senhor” apareceu a Abraão em forma física e comeu uma refeição com ele (Gênesis 18). A partir dessas narrativas torna-se óbvio que Deus pode manifestar-Se de forma física tangível. Também está claro que Ele pode comer para celebrar e por prazer, embora não tenha necessidade de comida e bebida para sustentar a Sua vida espiritual eterna (João 5:26 João 5:26Pois assim como o Pai tem vida em si mesmo, assim também deu ao Filho ter vida em si mesmos;
Almeida Atualizada×
).

Na ocasião em que Jesus ressuscitado comeu com os Seus discípulos, Ele apareceu no meio deles e eles ficaram com medo porque “pensavam que viam algum espírito”, (Lucas 24:37 Lucas 24:37Mas eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito.
Almeida Atualizada×
). Então Cristo disse: “Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; tocai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. E, dizendo isso, mostrou-lhes as mãos e os pés” (Lucas 24:39-40 Lucas 24:39-40 [39] Olhai as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede; porque um espírito não tem carne nem ossos, como percebeis que eu tenho. [40] E, dizendo isso, mostrou-lhes as mãos e os pés.
Almeida Atualizada×
).

Por conta disso, muitos argumentasm que isso prova que o corpo de Cristo ressuscitado era físico. Porém, já vimos em 1 Coríntios 15:45 1 Coríntios 15:45Assim também está escrito: O primeiro homem, Adão, tornou-se alma vivente; o último Adão, espírito vivificante.
Almeida Atualizada×
que Ele foi e agora continua sendo um espírito. A aparente contradição é facilmente resolvida quando analisamos porque é que os discípulos de Jesus se atemorizaram. Talvez tenha sido porque eles pensaram inicialmente que Ele era um espírito maligno ou um demônio, que não pode assumir a forma física. Na verdade, esta explicação é dada em uma carta atribuída ao líder da igreja primitiva Inácio de Antioquia, escrito por volta de 110 d.C. (Epístola aos Esmirnenses 1:10). Contudo, Cristo provou com a Sua aparição carnal que Ele não era um demônio. Que realmente, era Ele.

Os apóstolos seriam testemunhas da ressurreição e dariam prova da missão messiânica de Jesus. Jesus certificou-se de que eles tivessem a certeza de Sua ressurreição para a vida eterna—e de que era verdade que Ele era a mesma pessoa com quem tinham andado nos últimos três anos e meio.

Não podemos descartar eventualmente todas essas passagens como se não tivessem significado em termos da natureza de Deus. Podemos não entendê-las completamente, mas esses acontecimentos ocorreram (João 20:30-31 João 20:30-31 [30] Jesus, na verdade, operou na presença de seus discípulos ainda muitos outros sinais que não estão escritos neste livro; [31] estes, porém, estão escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome.
Almeida Atualizada×
; 21:24). Não devemos nos atrever a limitar a Deus ou o que Ele pode fazer. Uma vez mais, compreendemos a Sua natureza e ser pelas Sagradas Escrituras—não pelos antigos conceitos filosóficos.