Ajuda para hoje e esperança para o amanhã! 

O Céu e o Inferno: O que Realmente Ensina a Bíblia?

Você está aqui

Índice

A maioria das religiões e organizações religiosas, inclusive a maior parte das denominações cristãs, ensinam que as pessoas boas quando morrem vão para um tipo de paraíso, algum lugar no céu, que é geralmente descrito como um lugar de incomparável felicidade—o paraíso perfeito. Este é o ensinamento comum e as pessoas acreditam que uma vez lá, serão felizes para sempre.

As crenças tradicionais sobre o céu e o inferno se baseiam essencialmente em um ensinamento—que todo mundo tem uma alma imortal que deve ir para algum lugar quando termina a vida física.

Apesar do uso generalizado da expressão alma imortal, esta terminologia não se encontra em nenhum lugar da Bíblia. De onde veio a ideia de uma alma imortal?

Algumas pessoas acreditam que muitas escrituras apoiam a crença em uma alma imortal. Vamos analisar algumas dessas passagens e entender o que realmente dizem.

Faça um simples teste, ou melhor, apenas imagine isso porque um teste seria demasiadamente doloroso.

Muitos interpretam uma das parábolas de Jesus como prova de que as pessoas têm almas imortais e que vão para o céu ou para o inferno imediatamente após a morte. Mas será que esta parábola realmente diz isso? Vamos examinar o assunto, prestando atenção ao contexto histórico.

“E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está [ou foram lançados, segundo diversos estudiosos da Bíblia] a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre” (Apocalipse 20:10).

“E será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro. E a fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso, nem de dia nem de noite, os que adoram a besta e a sua imagem e aquele que receber o sinal do seu nome” (Apocalipse 14:10-11).

A recompensa dos justos é a vida eterna no céu? Quase quatro em cada cinco norte-americanos acreditam que sim (Periódico Nacional [National Review], 9 de novembro de 1998). Através dos séculos, esta tem sido a esperança apregoada pelo cristianismo tradicional.

A ideia de que as “almas” vão para o céu no momento da morte se originou na religião pagã e não na Bíblia. Um breve olhar sobre a história antiga revela que os povos da Babilônia, do Egito e de outros reinos imaginavam a vida após a morte.

O apóstolo Paulo dedicou sua vida à pregação do Evangelho do Reino de Deus (Atos 14:22; 19:8; 20:25; 28:23, 31). Nesse processo, ele foi sujeito a perseguições, espancamentos e prisões em muitas ocasiões. Quando escreveu a sua carta aos Filipenses, ele estava em Roma em prisão domiciliar. Paulo sabia que as autoridades romanas tinham o poder para matar os prisioneiros. Paulo não podia ignorar o que o futuro lhe reservava, pois poderia ser executado ou libertado.

Em Apocalipse 19:1, ao retransmitir uma visão espiritual que ele experimentou, o apóstolo João diz: “E, depois destas coisas, ouvi no céu como que uma grande voz de uma grande multidão, que dizia: Aleluia! Salvação, e glória, e honra, e poder pertencem ao Senhor, nosso Deus!”.

“Morrendo o homem, porventura, tornará a viver?” (Jó 14:14). Esta pergunta tem intrigado as mentes dos homens desde a antiguidade até nossos dias.

Algumas pessoas acreditam que Gênesis 5:24 e Hebreus 11:5 declaram que Deus levou Enoque para o céu. Mas realmente é isso que dizem essas passagens?

Um evento bíblico muito citado para, supostamente, apoiar a crença de que os justos vão para o céu quando morrem, diz respeito ao profeta Elias.

Quando Jesus estava pendurado na cruz e prestes a morrer, disse para um criminoso confesso que estava sendo crucificado com Ele, “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso” (Lucas 23:43). A Bíblia de Jerusalém, traduz da seguinte maneira essa passagem: “Ele respondeu: Em verdade, eu te digo, hoje estarás comigo no Paraíso”. Muitas pessoas pensam que Jesus garantiu àquele homem que ele iria para o céu com Ele, naquele mesmo dia. Mas, foi realmente isso que Jesus disse?

À luz destas verdades bíblicas, a que conclusões nós chegamos? Como vimos, as crenças das pessoas acerca da natureza do céu e do inferno nos trazem um grande—e confuso—espectro. Mas, existe algo no qual todos deveriam concordar: Todos nós morreremos. “Porque os vivos sabem que hão de morrer” (Eclesiastes 9:5).

O que acontece a uma pessoa quando morre? A Bíblia compara a morte a um estado de sono. Isto é, ao ato de dormir. Certamente, não é tal como um “sono” normal. É um sono em que os sentidos não funcionam, não existe nem pensamento e nenhuma atividade cerebral ou algum tipo de vida. Encontramos passagens na Bíblia que demostram que esta é a situação.

Muitos supõem que as duas passagens bíblicas que provam que os ímpios devem ser torturados eternamente no inferno são Mateus 25:41 e 25:46. Mas, é isso o que elas dizem? Vamos dar uma olhada mais de perto.

Os seres humanos têm um componente espiritual em sua estrutura. Como diz Jó 32:8: “Há um espírito no homem”. E Zacarias 12:1 nos diz que Deus formou “o espírito do homem dentro dele”. E o apóstolo Paulo salientou: “Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? “(1 Coríntios 2:11).