Ajuda para hoje, esperança para amanhã 

A receita de uma mulher para um casamento feliz: Confiar humildemente em Deus

Você está aqui

A receita de uma mulher para um casamento feliz

Confiar humildemente em Deus

Login or Create an Account

With a UCG.org account you will be able to save items to read and study later!

Sign In | Sign Up

×

Marissa acreditava em Deus e queria viver uma vida cristã. No entanto, quando ela lia algumas passagens do Novo Testamento que tratam da relação entre marido e mulher, ela se sentia incomodada. Para ela, essas escrituras pareciam ultrapassadas e escritas para uma cultura muito diferente.

Por exemplo, o apóstolo Paulo escreveu em Efésios 5:22-24: “Vós, mulheres, sujeitai-vos a vosso marido, como ao Senhor; porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo. De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seu marido”.

Marissa achava que Deus certamente não iria considerar válida esta passagem hoje. Afinal de contas, Paulo viveu em uma cultura machista, onde, quase sempre, as mulheres eram dependentes de seus pais ou maridos para sobreviverem. Hoje, as mulheres são capazes de sustentar a si mesmas, na maioria dos casos são muito cultas ou até mesmo mais cultas do que seus maridos.

Marissa tinha sido casada com Tony por três anos. Ele também compartilhava de suas crenças cristãs e tentou viver uma vida piedosa. Embora amasse muito amava a seu marido, às vezes, ela achava difícil se submeter às suas decisões. Ela frequentemente sentia que suas escolhas e metas eram melhores que as dele. Geralmente, após “discussões” acaloradas ela aceitava o que o marido queria fazer. Mas nem sempre, pois ela insistia em fazer as coisas à sua maneira.

O casamento de Tony e Marissa havia se estagnado em uma rotina bastante vazia. Ambos trabalhavam durante o dia e juntos faziam as tarefas domésticas à noite e nos fins de semana. No entanto, Marissa se ​​lembrava-se de como Tony costumava lhe trazer presentes especiais ou surpreendê-la com um poema que lhe havia escrito. Mas ele já não fazia essas coisas e passava a maior parte de seu tempo livre com seus irmãos e amigos.

Então, recentemente, ele expressou que sente que ela não o respeita mais. Ela ficou surpreendida ao ouvir isso e começou a pensar se o casamento deles duraria. Poderia ser que ela estava prejudicando o seu casamento ao se recusar a submeter-se a Tony? No entanto, como ela poderia fazer isso já que não concorda com muitas de suas decisões? Mais uma vez, Marissa decidiu olhar para o que as Escrituras dizem sobre o relacionamento conjugal.

Esta instrução bíblica está ultrapassada?

Talvez você também já tenha questionado se instruções bíblicas sobre o casamento ainda são válidas hoje. Especificamente, as palavras do apóstolo estão Paulo fora de moda ou podem ser usadas ​​como uma base para os casamentos cristãos?

Precisamos primeiro entender que a visão bíblica dos papéis conjugais não decorre da antiga cultura patriarcal, mas da ordem estabelecida por Deus na criação do homem e da mulher (Gênesis 2:21-24). Quando os casais se submetem ao padrão de Deus para o casamento, o resultado é a paz e a felicidade.

Infelizmente, a nossa sociedade ocidental ensina às mulheres a rejeitarem a visão bíblica da liderança do marido e da submissão da esposa. O fato de ignorar a distinção desse papel dentro de casamentos é a principal causa das inúmeras separações de hoje em dia.

Tanto homens como mulheres podem não entender o que Deus realmente pretende para a relação entre marido e mulher. A liderança do marido não significa dominação sobre a mulher, e sim a sua responsabilidade dada por Deus para assumir a liderança cuidadosa de assegurar as necessidades físicas, emocionais e espirituais de sua esposa e filhos. A submissão da esposa ao marido não significa servi-lo como uma “inferior”, mas sim estar disposta a aceitar sua liderança amorosa.

Será que isso significa, porém, que todas as decisões da família devem ser tomadas pelo marido? Nem todas, pois muitas vezes o marido deve sabiamente acatar a vontade de sua esposa (compare com o princípio de todos os cristãos que se submetem uns aos outros em Efésios 5:21). Isso seria especialmente verdadeiro nas áreas em que a mulher é mais experiente. Ambos os parceiros devem sempre discutir as principais decisões e metas. No entanto, se as suas opiniões divergem, Deus instruiu que o marido deve tomar a decisão final, e todos os membros da família devem honrar e respeitar isso (Colossenses 3:18 Colossenses 3:18Vós, mulheres, sede submissas a vossos maridos, como convém no Senhor.
Almeida Atualizada×
).

As mulheres são inferiores aos homens?

Uma razão pela qual às vezes é difícil para as esposas se submeterem a seus maridos é que em nossa sociedade a palavra “submissão” soa como um relacionamento imperfeito entre inferiores e superiores. Por acaso as Escrituras dizem que as mulheres são inferiores aos homens? Os homens são os favoritos de Deus e as mulheres foram criadas apenas para cuidar deles? Estas são questões relevantes para abordar o papel fundamental de uma esposa cristã.

Por exemplo, pondere Gênesis 2:18: “E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma adjutora que esteja como diante dele”. Através deste versículo algumas pessoas podem considerar que o papel de uma esposa é meramente o de ajudar o marido a atingir os seus objetivos. Mas um exame cuidadoso do texto revela que o papel divino de uma mulher é muito mais do que simplesmente agir como assistente de seu marido.

A palavra hebraica traduzida como “adjutora” em Gênesis 2:18 é ezer . É interessante notar que esta palavra é frequentemente usada para descrever o próprio Deus e tem o sentido de dar força. Veja o Salmo 115:11: “Vós, os que temeis ao SENHOR, confiai no SENHOR; ele é vosso auxílio [ ezer ] e vosso escudo”. Outros textos como Deuteronômio 33:26, 33:20, Salmo 70:5 e Oséias 13:9 também usam esta mesma palavra hebraica para se referir a Deus como a nossa ajuda ou socorro.

Certamente se a palavra hebraica ezer conotasse uma classe ou posição inferior não seria usada para descrever a Deus. Deus é o nosso ajudador e certamente Ele não é inferior aos seres humanos! Da mesma forma, a mulher não é inferior ao marido só porque o Criador deu-lhe o papel de colaboradora. Homens e mulheres são iguais perante Deus, uma vez que ambos são feitos à Sua imagem (Gênesis 1:27). Do mesmo modo, cristãos, homens e mulheres são iguais perante Deus, porque são “um em Cristo” (Gálatas 3:28).

É claro, o marido e a esposa são iguais perante Deus, mas seus papéis são diferentes —  como são algumas de suas responsabilidades.

Deus espera submissão?

Muitas escrituras revelam que a esposa está sob a autoridade de seu marido. Considere, por exemplo, 1 Coríntios 11:3: “Mas quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo varão, e o varão, a cabeça da mulher; e Deus, a cabeça de Cristo”.

Esta escritura explica claramente que o marido é o cabeça da mulher. Mas algumas mulheres acham que não devem estar sob a autoridade de seus maridos porque eles não são totalmente submissos a Cristo. Além disso, elas também podem achar que seus maridos estão falhando em conduzi-las com amor como Cristo amou a Igreja (Efésios 5:25-29).

Como acabamos de ler em 1 Coríntios 11:3, o marido deve se submeter à liderança de Jesus Cristo para que ele realmente possa liderar sua esposa. Os maridos também devem amar verdadeiramente a suas esposas como Cristo amou a Igreja (Efésios 5:25, Colossenses 3:19 Colossenses 3:19Vós, maridos, amai a vossas mulheres, e não as trateis asperamente.
Almeida Atualizada×
).

Jesus nos deu um exemplo maravilhoso de amor sacrificial. Quando o marido apresenta o mesmo amor e compromisso com a sua esposa, que Jesus mostrou a Igreja, então, se torna muito mais fácil para ela seguir seu exemplo. Ela sabe que ele sempre lhe deseja as melhoras coisas em seu coração. Por outro lado, se o marido não está a submeter-se a Cristo, ou não ama a sua esposa como Cristo amou a Igreja, pode ser difícil para sua esposa se submeter.

Naturalmente, nenhum marido é perfeito em submeter-se a Jesus Cristo e a amar a sua esposa. Muitos estão longe disso. Mas isso dá às esposas o direito de ignorar os mandamentos bíblicos de submeter-se? Algumas esposas até chegar ao ponto de terem dificuldade de amar e aceitar seus maridos.

Como uma mulher pode se submeter a um marido humanamente imperfeito? E se ela estiver convencida que as decisões dele não são as melhores para ela ou seus filhos? E o que dizer de seus direitos como pessoa? E se ele quer que ela faça algo moral ou eticamente errado?

A Bíblia revela que sempre devemos obedecer a Deus antes do homem (Atos 5:29 Atos 5:29Respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Importa antes obedecer a Deus que aos homens.
Almeida Atualizada×
). Ele não coloca o ser humano sob a autoridade incondicional do outro. Somente a obediência a Deus é absoluta. A mulher não deve esperar desobedecer a Deus, para se submeter a um marido equivocado. Por exemplo, se um marido pede à esposa para assinar uma declaração fiscal fraudulenta ou não denunciar a agressão dele contra seus filhos para a polícia, ela não teria que cumprir isso.

A Bíblia é clara ao dizer que as esposas devem ser submissas aos seus maridos e obedecê-los, a menos que a obediência envolva transgredir as leis de Deus e os princípios bíblicos. Infelizmente, pode haver situações em que uma esposa pode ter que ir contra a vontade de seu marido (1 Samuel 25:3-38 1 Samuel 25:3-38 3 Chamava-se o homem Nabal, e sua mulher chamava-se Abigail; era a mulher sensata e formosa; o homem porém, era duro, e maligno nas suas ações; e era da casa de Calebe. 4 Ouviu Davi no deserto que Nabal tosquiava as suas ovelhas, 5 e enviou-lhe dez mancebos, dizendo-lhes: Subi ao Carmelo, ide a Nabal e perguntai-lhe, em meu nome, como está. 6 Assim lhe direis: Paz seja contigo, e com a tua casa, e com tudo o que tens. 7 Agora, pois, tenho ouvido que tens tosquiadores. Ora, os pastores que tens acabam de estar conosco; agravo nenhum lhes fizemos, nem lhes desapareceu coisa alguma por todo o tempo que estiveram no Carmelo. 8 Pergunta-o aos teus mancebos, e eles to dirão. Que achem, portanto, os teus servos graça aos teus olhos, porque viemos em boa ocasião. Dá, pois, a teus servos e a Davi, teu filho, o que achares � mão. 9 Chegando, pois, os mancebos de Davi, falaram a Nabal todas aquelas palavras em nome de Davi, e se calaram. 10 Ao que Nabal respondeu aos servos de Davi, e disse: Quem é Davi, e quem o filho de Jessé? Muitos servos há que hoje fogem ao seu senhor. 11 Tomaria eu, pois, o meu pão, e a minha água, e a carne das minhas reses que degolei para os meus tosquiadores, e os daria a homens que não sei donde vêm? 12 Então os mancebos de Davi se puseram a caminho e, voltando, vieram anunciar-lhe todas estas palavras. 13 Pelo que disse Davi aos seus homens: Cada um cinja a sua espada. E cada um cingiu a sua espada, e Davi também cingiu a sua, e subiram após Davi cerca de quatrocentos homens, e duzentos ficaram com a bagagem. 14 um dentre os mancebos, porém, o anunciou a Abigail, mulher de Nabal, dizendo: Eis que Davi enviou mensageiros desde o deserto a saudar o nosso amo; e ele os destratou. 15 Todavia, aqueles homens têm-nos sido muito bons, e nunca fomos agravados deles, e nada nos desapareceu por todo o tempo em que convivemos com eles quando estávamos no campo. 16 De muro em redor nos serviram, assim de dia como de noite, todos os dias que andamos com eles apascentando as ovelhas. 17 Considera, pois, agora e vê o que hás de fazer, porque o mal já está de todo determinado contra o nosso amo e contra toda a sua casa; e ele é tal filho de Belial, que não há quem lhe possa falar. 18 Então Abigail se apressou, e tomou duzentos pães, dois odres de vinho, cinco ovelhas assadas, cinco medidas de trigo tostado, cem cachos de passas, e duzentas pastas de figos secos, e os pôs sobre jumentos. 19 E disse aos seus mancebos: Ide adiante de mim; eis que vos seguirei de perto. Porém não o declarou a Nabal, seu marido. 20 E quando ela, montada num jumento, ia descendo pelo encoberto do monte, eis que Davi e os seus homens lhe vinham ao encontro; e ela se encontrou com eles. 21 Ora, Davi tinha dito: Na verdade que em vão tenho guardado tudo quanto este tem no deserto, de sorte que nada lhe faltou de tudo quanto lhe pertencia; e ele me pagou mal por bem. 22 Assim faça Deus a Davi, e outro tanto, se eu deixar até o amanhecer, de tudo o que pertence a Nabal, um só varão. 23 Vendo, pois, Abigail a Davi, apressou-se, desceu do jumento e prostrou-se sobre o seu rosto diante de Davi, inclinando-se � terra, 24 e, prostrada a seus pés, lhe disse: Ah, senhor meu, minha seja a iniqüidade! Deixa a tua serva falar aos teus ouvidos, e ouve as palavras da tua serva. 25 Rogo-te, meu senhor, que não faças caso deste homem de Belial, a saber, Nabal; porque tal é ele qual é o seu nome. Nabal é o seu nome, e a loucura está com ele; mas eu, tua serva, não vi os mancebos de meu senhor, que enviaste. 26 Agora, pois, meu senhor, vive o Senhor, e vive a tua alma, porquanto o Senhor te impediu de derramares sangue, e de te vingares com a tua própria mão, sejam agora como Nabal os teus inimigos e os que procuram fazer o mal contra o meu senhor. 27 Aceita agora este presente que a tua serva trouxe a meu senhor; seja ele dado aos mancebos que seguem ao meu senhor. 28 Perdoa, pois, a transgressão da tua serva; porque certamente fará o Senhor casa firme a meu senhor, pois meu senhor guerreia as guerras do Senhor; e não se achará mal em ti por todos os teus dias. 29 Se alguém se levantar para te perseguir, e para buscar a tua vida, então a vida de meu senhor será atada no feixe dos que vivem com o Senhor teu Deus; porém a vida de teus inimigos ele arrojará ao longe, como do côncavo de uma funda. 30 Quando o Senhor tiver feito para com o meu senhor conforme todo o bem que já tem dito de ti, e te houver estabelecido por príncipe sobre Israel, 31 então, meu senhor, não terás no coração esta tristeza nem este remorso de teres derramado sangue sem causa, ou de haver-se vingado o meu senhor a si mesmo. E quando o Senhor fizer bem a meu senhor, lembra-te então da tua serva. 32 Ao que Davi disse a Abigail: Bendito seja o Senhor Deus de Israel, que hoje te enviou ao meu encontro! 33 E bendito seja o teu conselho, e bendita sejas tu, que hoje me impediste de derramar sangue, e de vingar-me pela minha própria mão! 34 Pois, na verdade, vive o Senhor Deus de Israel que me impediu de te fazer mal, que se tu não te apressaras e não me vieras ao encontro, não teria ficado a Nabal até a luz da manhã nem mesmo um menino. 35 Então Davi aceitou da mão dela o que lhe tinha trazido, e lhe disse: Sobe em paz � tua casa; vê que dei ouvidos � tua voz, e aceitei a tua face. 36 Ora, quando Abigail voltou para Nabal, eis que ele fazia em sua casa um banquete, como banquete de rei; e o coração de Nabal estava alegre, pois ele estava muito embriagado; pelo que ela não lhe deu a entender nada daquilo, nem pouco nem muito, até a luz da manhã. 37 Sucedeu, pois, que, pela manhã, estando Nabal já livre do vinho, sua mulher lhe contou essas coisas; de modo que o seu coração desfaleceu, e ele ficou como uma pedra. 38 Passados uns dez dias, o Senhor feriu a Nabal, e ele morreu.
Almeida Atualizada×
).

Uma esposa que não tem certeza sobre a possibilidade de submeter ao seu marido em algum assunto deve procurar a orientação de Deus através da oração e do estudo da Sua Palavra — e através do aconselhamento de um ministro, se necessário. Em alguns casos, apenas discutindo seus sentimentos e preocupações com o seu marido, de maneira humilde pode levá-lo a reconsiderar sua decisão (1 Pedro 3:1 1 Pedro 3:1Semelhantemente vós, mulheres, sede submissas a vossos maridos; para que também, se alguns deles não obedecem � palavra, sejam ganhos sem palavra pelo procedimento de suas mulheres,
Almeida Atualizada×
).

A chave para a submissão

A chave para compreender a submissão é perceber que, enfim, uma esposa está servindo a Deus e não ao homem. Observe o que Paulo escreveu em Colossenses 3: “Vós, mulheres, estai sujeitas a vosso próprio marido, como convém no Senhor… E, tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor e não aos homens, sabendo que recebereis do Senhor o galardão da herança, porque a Cristo, o Senhor, servis” (versículos 18, 23-24).

O próprio Jesus foi o modelo perfeito de submissão e liderança amorosa. Paulo discute a atitude de Cristo em Filipenses 2:5-9 Filipenses 2:5-9 5 Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus, 6 o qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar, 7 mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens; 8 e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz. 9 Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome;
Almeida Atualizada×
e enfatiza que Cristo se fez obediente ao Pai até à morte.

Do mesmo modo, toda esposa deve se esforçar para se submeter à liderança de seu marido com a mesma atitude que Cristo demonstrou em Sua relação com Seu pai. Mesmo que seja igual ao marido, aos olhos de Deus, ela não deve questionar a liderança dele, ordenada por Deus, assim como Jesus, que compartilhava a divindade com Deus o Pai, não questionou a Sua autoridade (João 6:38).

A confiança em Deus é necessária

Embora a submissão de Cristo ao Pai seja um exemplo maravilhoso para nos ajudar a entender como uma esposa deve se submeter a seu marido no Senhor, ainda assim é difícil para muitas esposas fazerem isso. E isto é especialmente verdadeiro quando uma esposa está convencida da imprudência de algumas decisões de seu marido. A resposta para este dilema se encontra em 1 Pedro 3:5 1 Pedro 3:5Porque assim se adornavam antigamente também as santas mulheres que esperavam em Deus, e estavam submissas a seus maridos;
Almeida Atualizada×
: “Porque assim se adornavam também antigamente as santas mulheres que esperavam em Deus e estavam sujeitas ao seu próprio marido”. A frase chave aqui é: “esperavam em Deus”, significando que tinham completa esperança e confiança em Deus .

Ao seguir a liderança de seu marido, uma esposa deve confiar na proteção e livramento de Deus. Esta submissão é equivalente à submissão de Cristo a Deus, até à Sua morte (Lucas 22:42 Lucas 22:42dizendo: Pai, se queres afasta de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua.
Almeida Atualizada×
). Se o seu marido realmente erra em suas decisões, ele será julgado por Deus. No entanto, ela será abençoada, em longo prazo, se confiar em Deus e seguir a advertência bíblica de se submeter ao seu marido.

A submissão exige fé em Deus (1 Pedro 1:21 1 Pedro 1:21que por ele credes em Deus, que o ressuscitou dentre os mortos e lhe deu glória, de modo que a vossa fé e esperança estivessem em Deus.
Almeida Atualizada×
) e a crença de que seguir os mandamentos bíblicos, inspirados por Deus, sobre o relacionamento conjugal trará o sucesso. Satanás, o diabo quer que as esposas pensem que os caminhos de Deus nem sempre funcionam, e que elas devem recusar-se a se submeter, a menos que estejam totalmente de acordo com as decisões do marido.

Deus requer um tipo de submissão que, enfim, precisa da fé em Seu eterno poder e bondade. Os caminhos de Deus não são os nossos caminhos! Logicamente, a esposa pode sentir que a única maneira de conseguir a segurança que ela deseja é controlar a sua própria vida, e até mesmo controlar seu marido, tanto quanto ele permitir. Porém, na realidade, ela pode mais bem alcançar a verdadeira felicidade e segurança, confiando e se submetendo a Deus, mesmo que no momento não pareça ser a melhor escolha.

Deus chamou Seus discípulos para seguirem um caminho diferente do da sociedade ao seu redor (Mateus 7:13-14 Mateus 7:13-14 13 Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz � perdição, e muitos são os que entram por ela; 14 e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que conduz � vida, e poucos são os que a encontram.
Almeida Atualizada×
). Os cristãos são orientados a fazer o bem aos seus inimigos, dar a outra face e sempre perdoar (Mateus 5:44 Mateus 5:44Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem;
Almeida Atualizada×
). Então, seria surpresa que o nosso grande Deus provesse um padrão de felicidade conjugal que requer fé na Sua onisciente sabedoria? Pois é somente confiando em Deus que uma esposa pode se submeter verdadeiramente ao seu marido em toda situação (1 Pedro 3:5 1 Pedro 3:5Porque assim se adornavam antigamente também as santas mulheres que esperavam em Deus, e estavam submissas a seus maridos;
Almeida Atualizada×
).

Caminhando pela fé

E agora de volta ao casal citado no início deste artigo. Depois de muita oração e estudo, Marissa decidiu seguir o padrão bíblico para o casamento. Ela teve uma surpresa muito agradável ao descobrir que Tony tornou-se muito mais atencioso com seus sentimentos e necessidades. Ela tinha medo de que não fosse feliz se sujeitando a ele, mas ao fazê-lo isso ela encontrou muita paz.

Tony mais uma vez sentiu respeitado e valorizado porque Marissa reconheceu-o como líder. Não estando mais ameaçado, ele começou a perceber a incrível responsabilidade de amar e cuidar dela como Jesus Cristo se importava com a Igreja. Ele já não temia que agradar sua esposa faria dele um escravo de seus caprichos e por isso ele se tornou ainda mais sensível a suas necessidades.

Marissa e Tony foram repletos de bênçãos, que vieram ao seguir as instruções de Deus para o casamento. Marissa encontrou o amor e a segurança que tanto desejava profundamente, e Tony finalmente sentiu o cumprimento de seu desejo de ter uma companheira solidária para lhe ajudar e fortalecer. Eles também tiveram muita alegria ao saber que o casamento deles reflete intimamente a relação entre Cristo e a Igreja.

Se você deseja ter um casamento melhor, peça a Deus que lhe dê fé para acreditar e confiar Nele. A Palavra de Deus tanto vai abençoar o seu casamento como também irá prepará-lo para tornar-se mais semelhante a Jesus Cristo, que viveu uma vida de constante submissão à vontade de Seu pai.

Jesus explicou que somente podemos encontrar a nossa vida se a perdemos (Marcos 8:35 Marcos 8:35Pois quem quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas quem perder a sua vida por amor de mim e do evangelho, salvá-la-á.
Almeida Atualizada×
). Um marido deve ter o genuíno amor sacrificial, e uma esposa deve procurar voluntariamente cumprir suas responsabilidades ordenadas por Deus mediante a submissão, em vez de em primeiro lugar, buscar fazer a sua própria vontade. Isso pode ser feito confiando em Deus e em Suas leis, assim permitindo que possam viver um casamento imensamente feliz! BN