Ajuda para hoje e esperança para o amanhã! 

Introdução

Introdução

Todas as nações celebram feriados pátrios. Estes dias especiais são lembranças de acontecimentos importantes na história de um país. Eles são a linha contínua entre o passado e o presente de uma nação.

Provavelmente, qualquer o cidadão sabe e até consegue explicar, pelo menos em parte, o significado dessas celebrações. Contudo, paradoxalmente, esse mesmo cidadão raramente dificilmente sabe dizer algo sobre os dias em que adora e honra a Deus. As raízes não bíblicas destas práticas religiosas são tranquilamente ignoradas em suas celebrações.

Por conta disso, as pessoas, geralmente, creem que comemorações populares como a Sexta-Feira Santa, o Domingo de Páscoa e o Natal representam corretamente os temas bíblicos. Contudo, a Palavra de Deus em nenhuma parte ordena essas práticas e não há registro na Bíblia sobre isso ser praticado pela Igreja primitiva do Novo Testamento. Na verdade, Deus ordena outras festas, às quais as pessoas, raramente, prestam atenção.

Algumas pessoas têm observado que a Bíblia menciona determinados dias para celebrações religiosas. Porém, pouquíssimas pessoas citam os nomes dessas celebrações religiosas bíblicas, e muito menos pessoas sabem explicar significado delas.

Geralmente, quem conhece essas festas acredita que somente dizem respeito à antiga Israel e que chegaram ao fim com a crucificação de Jesus Cristo. E supõem que esses dias simplesmente apontavam para Cristo e, como Ele viveu na terra há dois mil anos, eles já não têm mais importância. A maioria das pessoas considera essas festas como meras relíquias da história que são irrelevantes para o mundo moderno.

Mas, por incrível que possa parecer, a própria Bíblia refuta essas ideias populares. Uma olhada objetiva nos registros bíblicos revela que o Natal nem o Domingo de Páscoa — as duas maiores festas do calendário cristão — não se encontram em parte alguma da Bíblia. Para a surpresa de muitos, o Novo Testamento mostra Jesus celebrando os Dias Santos de Deus, assim como também os Seus discípulos, que continuaram seguindo o Seu exemplo muitas décadas depois de Sua morte e ressurreição.

O que os apóstolos ensinaram durante o primeiro século, depois da ressurreição de Cristo, também difere do que acredita a maioria das pessoas. As instruções dos apóstolos revelam um Deus que deseja que todos os cristãoscristãos guardem os Dias Santos bíblicos — por uma razão importante.

O que esses Dias Santos revelam

Por que Deus quer que observemos esses Dias Santos? Porque Ele quer que conheçamos o nosso futuro, e, por isso, revela-nos o Seu grande propósito para a humanidade.

Deus explica o motivo de ter nos criado e revela o nosso destino final, dizendo-nos ainda como podemos alcançar! A observância dos Dias Santos de Deus é a chave para se entender o grande plano de Deus para o futuro da humanidade.

 As festasfestas bíblicas, e os Dias Santos no decorrer delas, acontecem em três épocas do ano ― a colheita no princípio da primavera, a colheita ao fim da primavera e a colheita ao princípio do outono na terra de Israel. Os temas que esses dias retratam refletem o plano de Deus da colheita espiritual da humanidade para a eternidade, a qual se referiu Jesus Cristo (João 4:35-38 João 4:35-38 [35] Não dizeis vós: Ainda há quatro meses até que venha a ceifa? Ora, eu vos digo: levantai os vossos olhos, e vede os campos, que já estão brancos para a ceifa. [36] Quem ceifa já está recebendo recompensa e ajuntando fruto para a vida eterna; para que o que semeia e o que ceifa juntamente se regozijem. [37] Porque nisto é verdadeiro o ditado: Um é o que semeia, e outro o que ceifa. [38] Eu vos enviei a ceifar onde não trabalhaste; outros trabalharam, e vós entrastes no seu trabalho.
Almeida Atualizada×
). 

Essas celebrações servem de lembranças eternas de como o plano de Deus proporciona a vida eterna ao homem mortal. O Nosso Criador cumprirá Seu plano, independente das escolhas e ações do homem, que têm levado à consistentemente  separação de Deus, ao sofrimento e à morte (Provérbios 14:12 Provérbios 14:12Há um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele conduz � morte.
Almeida Atualizada×
; 16:25; Isaías 59:1-8 Isaías 59:1-8 [1] Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para que não possa ouvir; [2] mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados esconderam o seu rosto de vós, de modo que não vos ouça. [3] Porque as vossas mãos estão contaminadas de sangue, e os vossos dedos de iniqüidade; os vossos lábios falam a mentira, a vossa língua pronuncia perversidade. [4] Ninguém há que invoque a justiça com retidão, nem há quem pleiteie com verdade; confiam na vaidade, e falam mentiras; concebem o mal, e dão � luz a iniqüidade. [5] Chocam ovos de basiliscos, e tecem teias de aranha; o que comer dos ovos deles, morrerá; e do ovo que for pisado sairá uma víbora. [6] As suas teias não prestam para vestidos; nem se poderão cobrir com o que fazem; as suas obras são obras de iniqüidade, e atos de violência há nas suas mãos. [7] Os seus pés correm para o mal, e se apressam para derramarem o sangue inocente; os seus pensamentos são pensamentos de iniqüidade; a desolação e a destruiçao acham-se nas suas estradas. [8] O caminho da paz eles não o conhecem, nem há justiça nos seus passos; fizeram para si veredas tortas; todo aquele que anda por elas não tem conhecimento da paz.
Almeida Atualizada×
; Jeremias 10:23 Jeremias 10:23Eu sei, ó Senhor, que não é do homem o seu caminho; nem é do homem que caminha o dirigir os seus passos.
Almeida Atualizada×
). Essas festas revelam o desenvolvimento progressivo do plano de Deus para a humanidade e como Ele estabelecerá o Seu Reino na terra. Esta é a boa nova, ou o evangelho anunciado por Jesus Cristo (Marcos 1:14-15 Marcos 1:14-15 [14] Ora, depois que João foi entregue, veio Jesus para a Galiléia pregando o evangelho de Deus [15] e dizendo: O tempo está cumprido, e é chegado o reino de Deus. Arrependei-vos, e crede no evangelho.
Almeida Atualizada×
). (Para mais informação sobre este importante assunto,  por favor, solicite nosso guia de estudo bíblico gratuito O Evangelho do Reino de Deus). 

A intenção de Deus de conceder à humanidade a vida eterna tem existido “desde a fundação do mundo” (Mateus 25:34 Mateus 25:34Então dirá o Rei aos que estiverem � sua direita: Vinde, benditos de meu Pai. Possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;
Almeida Atualizada×
). Os Dias Santos de Deus ensinam à humanidade este notável projeto. O apóstolo Paulo resumiu isso, de forma brilhante, em sua carta aos efésios: “descobrindo-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo, de tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra; nele, digo, em quem também fomos feitos herança, havendo sido predestinados conforme o propósito daquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade” (Efésios 1:9-11 Efésios 1:9-11 [9] fazendo-nos conhecer o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que nele propôs [10] para a dispensação da plenitude dos tempos, de fazer convergir em Cristo todas as coisas, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra, [11] nele, digo, no qual também fomos feitos herança, havendo sido predestinados conforme o propósito daquele que faz todas as coisas segundo o conselho da sua vontade,
Almeida Atualizada×
).

Os Dias Santos nos ajudam a compreender o plano mestre de Deus —como realmente posemos nos tornar o Seu povo. Atentemos para esta descrição de nosso destino: “Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles e será o seu Deus” (Apocalipse 21:3 Apocalipse 21:3E ouvi uma grande voz, vinda do trono, que dizia: Eis que o tabernáculo de Deus está com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e Deus mesmo estará com eles.
Almeida Atualizada×
). Passo a passo, os Dias Santos mostram-nos como este maravilhoso cenário se tornará realidade.

No capítulo 23 de Levítico encontramos uma lista das festas de Deus. Depois de mencionar o Sábado semanal, o texto descreve essas celebrações especiais com nomes incomuns tais como Festa dos Pães Asmos, Festa das Semanas e Festa dos Tabernáculos — a palavra “festa” aqui foi traduzida do hebraico chag ou hag, especificando um “festival ou celebração”. Quando Deus revelou essas celebrações a Moisés, Ele disse-lhe:“São estas as festas fixas do SENHOR” (versículos 2, 4 e 37, ARA, grifo nosso). A palavra hebraica traduzida como “festas fixas” [ou solenidades] é moedim, que significa “tempos designados” — compromissos que Deus quer que consideremos.

A Bíblia nos diz que, eventualmente, Deus ensinará a todos a observarem esses dias (Zacarias 14:16 Zacarias 14:16Então todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém, subirão de ano em ano para adorarem o Rei, o Senhor dos exércitos, e para celebrarem a festa dos tabernáculos.
Almeida Atualizada×
). Nas páginas deste livro você entenderá o fascinante propósito de cada um desses Dias Santos de Deus, que, na verdade, é a única esperança da humanidade!