Ajuda para hoje e esperança para o amanhã! 

Éramos Todos Leprosos

Você está aqui

Éramos Todos Leprosos

Ao longo dos anos, conversei com veteranos de guerra que mencionaram que oravam assim quando estavam sob fogo inimigo e correndo risco de morte: “Oh Deus, se o Senhor me livrar dessa, eu irei à igreja toda semana”.

Essas súplicas eram sinceras? Que seja! A verdade é que em nossa fraqueza humana nós paramos de pensar sobre o que Deus fez por nós e deixamos de ser gratos e comprometidos. O tempo e o distanciamento provocam uma amnésia quanto à intensa necessidade expressa em nossos momentos de desespero. As palavras em situações de pressão são momentaneamente sinceras, mas no fim do dia se mostram inúteis.

Lembrar onde, quando e como encontramos pessoalmente o amor interventor de Deus é um dos sinais mais claros de que estamos respondendo ao convite de seguir a Jesus (ver Mateus 4:19 Mateus 4:19Disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.
Almeida Atualizada×
; João 21:19 João 21:19Ora, isto ele disse, significando com que morte havia Pedro de glorificar a Deus. E, havendo dito isto, ordenou-lhe: Segue-me.
Almeida Atualizada×
). E é um trampolim para uma vida nova e diferente — não mais solitária. Também é um fator chave que permite que outras pessoas saibam, através de nosso testemunho, que sua vida não precisa ser levada ao desespero, mas a um bem-estar inimaginável. A grata lembrança é o trampolim necessário para uma existência transformada.

Tal é o caso do encontro declarado em Lucas 17:11-19 Lucas 17:11-19 11 E aconteceu que, indo ele a Jerusalém, passava pela divisa entre a Samária e a Galiléia. 12 Ao entrar em certa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez leprosos, os quais pararam de longe, 13 e levantaram a voz, dizendo: Jesus, Mestre, tem compaixão de nós! 14 Ele, logo que os viu, disse-lhes: Ide, e mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, enquanto iam, ficaram limpos. 15 Um deles, vendo que fora curado, voltou glorificando a Deus em alta voz; 16 e prostrou-se com o rosto em terra aos pés de Jesus, dando-lhe graças; e este era samaritano. 17 Perguntou, pois, Jesus: Não foram limpos os dez? E os nove, onde estão? 18 Não se achou quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro? 19 E disse-lhe: Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou.
Almeida Atualizada×
, onde Jesus, que andava pelas regiões adjacentes da Galileia e Samaria em sua caminhada rumo ao seu destino final em Jerusalém, encontra dez leprosos. O tempo é precioso, mas importantes lições serão apresentadas nesses encontros pessoais de Jesus naquele dia — lições que também servem para nós.

Jesus entra em cena onde não há mais esperança

Quando chegou a certa aldeia, dez homens desesperados “levantaram a voz” gritando: “Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós!” (versículo 13). É aqui que entra Jesus onde a esperança está perdida.

O relato não menciona a etnia dessas dez pessoas, exceto que alguns eram judeus e pelo menos um era samaritano. Estes podem ter sido excluídos da sociedade desde muito cedo na vida, já que os samaritanos eram considerados pelos judeus como “mestiços” e sua religião como inútil e contrária a Deus. Eles eram “aqueles” que deviam ser odiados e desprezados. Mas agora eles estavam ligados por uma adversidade, pois todos eram leprosos.

A lepra, um flagelo do mundo antigo, era uma doença progressivamente degenerativa que atacava os membros e as terminações nervosas do corpo. Suas lesões purulentas eram manifestações externas da corrupção crescente do corpo abaixo da superfície da pele.

As escrituras revelam que esses “mortos-vivos” ficavam afastados (versículo 12), um fato corroborado por outros registros dos costumes daquela época em relação aos indivíduos infectados. Eles deveriam permanecer isolados, mantendo afastados pelo menos a dois metros das pessoas, ou a cinquenta metros se estivessem contra o vento. Eles tinham que alertar aos outros de sua presença à distância para evitar o contato com a terra dos vivos e saudáveis. Eles eram considerados amaldiçoados, pois a mentalidade cultural da época ligava as enfermidades físicas ao pecado pessoal ou geracional (ver João 9:1-3 João 9:1-3 1 E passando Jesus, viu um homem cego de nascença. 2 Perguntaram-lhe os seus discípulos: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? 3 Respondeu Jesus: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi para que nele se manifestem as obras de Deus.
Almeida Atualizada×
).

O Filho de Deus intervém na vida desses desesperançados, dizendo aos dez leprosos: “Mostrai-vos aos sacerdotes” (Lucas 17:14 Lucas 17:14Ele, logo que os viu, disse-lhes: Ide, e mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, enquanto iam, ficaram limpos.
Almeida Atualizada×
). Esse ato estava alinhado com Levítico 14:1-32 Levítico 14:1-32 1 Depois disse o Senhor a Moisés: 2 Esta será a lei do leproso no dia da sua purificação: será levado ao sacerdote, 3 e este sairá para fora do arraial, e o examinará; se a praga do leproso tiver sarado, 4 o sacerdote ordenará que, para aquele que se há de purificar, se tomem duas aves vivas e limpas, pau de cedro, carmesim e hissopo. 5 Mandará também que se imole uma das aves num vaso de barro sobre águas vivas. 6 Tomará a ave viva, e com ela o pau de cedro, o carmesim e o hissopo, os quais molhará, juntamente com a ave viva, no sangue da ave que foi imolada sobre as águas vivas; 7 e o espargirá sete vezes sobre aquele que se há de purificar da lepra; então o declarará limpo, e soltará a ave viva sobre o campo aberto. 8 Aquele que se há de purificar lavará as suas vestes, rapará todo o seu pêlo e se lavará em água; assim será limpo. Depois entrará no arraial, mas ficará fora da sua tenda por sete dias. 9 Ao sétimo dia rapará todo o seu pêlo, tanto a cabeça como a barba e as sobrancelhas, sim, rapará todo o pêlo; também lavará as suas vestes, e banhará o seu corpo em água; assim será limpo. 10 Ao oitavo dia tomará dois cordeiros sem defeito, e uma cordeira sem defeito, de um ano, e três décimos de efa de flor de farinha para oferta de cereais, amassada com azeite, e um logue de azeite; 11 e o sacerdote que faz a purificação apresentará o homem que se há de purificar, bem como aquelas coisas, perante o Senhor, � porta da tenda da revelação. 12 E o sacerdote tomará um dos cordeiros, o oferecerá como oferta pela culpa; e, tomando também o logue de azeite, os moverá por oferta de movimento perante o Senhor. 13 E imolará o cordeiro no lugar em que se imola a oferta pelo pecado e o holocausto, no lugar santo; porque, como a oferta pelo pecado pertence ao sacerdote, assim também a oferta pela culpa; é coisa santíssima. 14 Então o sacerdote tomará do sangue da oferta pela culpa e o porá sobre a ponta da orelha direita daquele que se há de purificar, e sobre o dedo polegar da sua mão direita, e sobre o dedo polegar do seu pé direito. 15 Tomará também do logue de azeite, e o derramará na palma da sua própria mão esquerda; 16 então molhará o dedo direito no azeite que está na mão esquerda, e daquele azeite espargirá com o dedo sete vezes perante o Senhor. 17 Do restante do azeite que está na sua mão, o sacerdote porá sobre a ponta da orelha direita daquele que se há de purificar, e sobre o dedo polegar da sua mão direita, e sobre o dedo polegar do seu pé direito, por cima do sangue da oferta pela culpa; 18 e o restante do azeite que está na sua mão, pô-lo-á sobre a cabeça daquele que se há de purificar; assim o sacerdote fará expiação por ele perante o Senhor. 19 Também o sacerdote oferecerá a oferta pelo pecado, e fará expiação por aquele que se há de purificar por causa a sua imundícia; e depois imolará o holocausto, 20 e oferecerá o holocausto e a oferta de cereais sobre o altar; assim o sacerdote fará expiação por ele, e ele será limpo. 21 Mas se for pobre, e as suas posses não bastarem para tanto, tomará um cordeiro para oferta pela culpa como oferta de movimento, para fazer expiação por ele, um décimo de efa de flor de farinha amassada com azeite, para oferta de cereais, um logue de azeite, 22 e duas rolas ou dois pombinhos, conforme suas posses permitirem; dos quais um será oferta pelo pecado, e o outro holocausto. 23 Ao oitavo dia os trará, para a sua purificação, ao sacerdote, � porta da tenda da revelação, perante o Senhor; 24 e o sacerdote tomará o cordeiro da oferta pela culpa, e o logue de azeite, e os moverá por oferta de movimento perante o Senhor. 25 Então imolará o cordeiro da oferta pela culpa e, tomando do sangue da oferta pela culpa, pô-lo-á sobre a ponta da orelha direita daquele que se há de purificar, e sobre o dedo polegar da sua mão direita, e sobre o dedo polegar do seu pé direito. 26 Também o sacerdote derramará do azeite na palma da sua própria mão esquerda; 27 e com o dedo direito espargirá do azeite que está na mão esquerda, sete vezes perante o Senhor; 28 igualmente, do azeite que está na mão, porá na ponta da orelha direita daquele que se há de purificar, e no dedo polegar da sua mão direita, e no dedo polegar do seu pé direito, em cima do lugar do sangue da oferta pela culpa; 29 e o restante do azeite que está na mão porá sobre a cabeça daquele que se há de purificar, para fazer expiação por ele perante o Senhor. 30 Então oferecerá uma das rolas ou um dos pombinhos, conforme as suas posses lhe permitirem, 31 sim, conforme as suas posses, um para oferta pelo pecado, e o outro como holocausto, juntamente com a oferta de cereais; assim fará o sacerdote, perante o Senhor, expiação por aquele que se há de purificar. 32 Esta é a lei daquele em quem estiver a praga da lepra, e cujas posses não lhe permitirem apresentar a oferta estipulada para a sua purificação.
Almeida Atualizada×
, que permitia a volta dos leprosos à comunidade se sua condição não fosse mais detectável.

Mas observe que quando Jesus deu-lhes instruções para irem, eles não estavam curados — ainda! Lucas 17:14 Lucas 17:14Ele, logo que os viu, disse-lhes: Ide, e mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, enquanto iam, ficaram limpos.
Almeida Atualizada×
diz ainda que foi no momento em que partiram, em obediência a instrução de Jesus, é que foram curados. Imagine a alegria deles quando as lesões desaparecem e sua carne se renovou!

Mas nos próximos versículos, Jesus chama a atenção, através de uma exceção, para uma terrível doença humana, a ingratidão: “E um deles, vendo que estava são, voltou glorificando a Deus em alta voz. E caiu aos Seus pés, com o rosto em terra, dando-lhe graças; e este era samaritano. E, respondendo Jesus, disse: Não foram dez os limpos? E onde estão os nove? Não houve quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro? E disse-lhe: Levanta-te e vai; a tua fé te salvou” (versículos 15-19).

Essa história é a nossa história

Como podemos nos identificar com as lições desse relato? Ser agradecido é simplesmente dizer um breve “muito obrigado” ou seria algo mais profundo?

Primeiro, vamos entender que o ministério terreno de Jesus não foi casual, mas planejado. Seus encontros não foram aleatórios, mas intencionais. Nós simplesmente não adoramos um Salvador casual. Ele não tropeçou naquela aldeia nem encontrou esses leprosos porque o GPS dEle não estava funcionando bem. Desde o principio, Ele disse: “Não sabeis que me convém tratar dos negócios de Meu Pai?” (Lucas 2:49 Lucas 2:49Respondeu-lhes ele: Por que me procuráveis? Não sabíeis que eu devia estar na casa de meu Pai?
Almeida Atualizada×
).

O tema do evangelho de Lucas está claro em Lucas 19:10 Lucas 19:10Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.
Almeida Atualizada×
, onde Jesus revela que veio “buscar e salvar o que se havia perdido”. Lucas escreveu um evangelho repleto de histórias sobre mulheres, gentios, leprosos e pessoas atormentadas por demônios — todos aqueles que eram cultural e convenientemente mantidos “fora do acampamento”.

Mais tarde, Lucas escreveu o livro de Atos, que é a primeira história da Igreja de Deus, do Corpo de Cristo com membros unidos contra o isolamento espiritual. A proverbial distância segura da impureza é extinta por meio de Cristo e Seu sacrifício. Lucas nunca deixou de compartilhar a esperança de que a mão de Deus está estendida àqueles que foram rejeitados.

No entanto, esses não eram os únicos rejeitados que precisavam de resgate. Devemos reconhecer que, sob a perspectiva de Deus, todos nós já fomos leprosos uma vez na vida leprosos espirituais! Alguns de nós podemos ter-nos esquecido disso, e outros de nós podemos não entender isso ainda, conforme Deus entra na ‘aldeia’ de nossa existência.

O pecado pode ser comparado à lepra. Considere a história da oposição de Arão e Miriã ao cargo que Deus deu a Moisés em Números 12. A rivalidade entre os irmãos, o orgulho próprio e o espírito de acusação levaram Deus a punir Miriã com lepra, expondo externamente o que a consumia internamente.

As escrituras declaram que “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Romanos 3:23 Romanos 3:23Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;
Almeida Atualizada×
). São os nossos pecados, as lesões que se espalham na natureza de nosso coração, que nos separam de Deus e fazem com que Ele mantenha Seu rosto encoberto para nós (Isaías 59:2 Isaías 59:2mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados esconderam o seu rosto de vós, de modo que não vos ouça.
Almeida Atualizada×
) — uma distância que nós mesmos criamos, muito maior do que cinquenta metros.

Mas agora Deus ouviu seu choro e também nosso clamor, que faz eco no clamor dos leprosos pedindo “misericórdia!” Deus Pai enviou Seu Filho que veio voluntariamente como o Cordeiro imaculado, o Qual não tem nenhuma lesão no coração, na alma ou no corpo — exatamente, “Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós” (2 Coríntios 5:21 2 Coríntios 5:21Âquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.
Almeida Atualizada×
), pagando a pena do pecado para que pudéssemos viver.

Oferta contínua de sacrifício de louvor

O capítulo treze de Hebreus apresenta uma descrição gráfica do sofrimento e isolamento de Jesus na terra dos viventes por nossa causa e, diante disso, como deve ser nossa resposta: “E, por isso, também Jesus, para santificar o povo pelo Seu próprio sangue, padeceu fora da porta [como um leproso]. Saiamos, pois, a Ele fora do arraial, levando o Seu vitupério… [E], portanto, ofereçamos sempre, por Ele, a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o Seu nome” (versículos 12-13, 15).

Agora , quais devem ser nossos passos específicos ao oferecer esses sacrifícios de louvor enquanto atendemos ao chamado de seguir a Cristo? Talvez você também ainda esteja sofrendo com a praga da amnésia espiritual em relação à intervenção de Deus. Assim como fez o samaritano grato, como podemos glorificar a Deus em voz alta?

Assim como esse samaritano, nós também devemos nos ajoelhar em louvor e gratidão — em adoração. Isso é mais do que um rápido aceno de cabeça e um simples “obrigado”. Precisamos demonstrar como valorizamos a contínua intervenção de Deus — transformando-nos de mortos-vivos a uma nova criatura em Cristo (2 Coríntios 5:17 2 Coríntios 5:17Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.
Almeida Atualizada×
) — entregando e dedicando nossos pensamentos, palavras e ações todo o tempo ao grande e amoroso Doador da vida, e confiando todo nosso ser em Suas mãos. Apenas Ele é capaz de acabar com a distância que nos separa dEle e dos outros. Somente Ele pode nos dar um futuro de íntima comunhão em Sua família para sempre.

Uma forma importante de adorarmos a Deus é reconhecer diariamente Sua graça e favor imerecidos, tratando todo ser humano, que foi criado à Sua imagem, com dignidade e respeito. Talvez seja hora de abolir nossa própria regra de distanciamento seguro em relação àqueles que achamos que são incapazes de buscar a Deus. Aceitar o convite de Cristo que disse “Siga-Me” é entender que não é nosso papel escolher quem pode fazer parte da família de Deus.

Assim como o samaritano, nós descobriremos que, quando Deus entra em nossas vidas, Ele sempre nos dará uma tarefa para realizar. Ele poderia fazer tudo sozinho, mas Ele quer que sejamos coparticipantes de Sua graça ao demonstrarmos obediência.

Às vezes, no momento, não faz sentido para nós Ele ter dito aos leprosos para irem aos sacerdotes antes mesmo de serem curados. Mas precisamos entender que Deus vê as coisas como se elas já tivessem acontecido! No fim da história, vimos que Jesus deu outra tarefa ao samaritano agradecido: “Levanta-te e vai; a tua fé te salvou” (Lucas 17:19 Lucas 17:19E disse-lhe: Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou.
Almeida Atualizada×
). Ele deveria continuar a vida em gratidão, permanecendo consciente do que havia sido feito por ele.

Mais uma vez, Deus sempre nos dará uma tarefa! Quando foi a última vez que perguntamos a Deus: “Qual é minha tarefa? Será que a esqueci?” Pode ser uma pequena ou grande tarefa. Não faz diferença, porque adoramos um grande Deus que toma algo nosso que é “pequeno” e o torna grande para servir aos Seus propósitos.

Uma das minhas tarefas e privilégios ao longo da vida tem sido a de ajudar as pessoas a enxergar a capacidade de Deus para curar. Quando eu era um adolescente, Deus me curou de uma doença terrível. Eu não me esqueci disso e continuo eternamente grato a Ele. Como ministro, há mais de quarenta anos, tive a oportunidade de compartilhar minha história com aqueles que enfrentam seu “vale de sombra da morte”. Como o leproso grato, eu obedeço ao chamado de nosso Mestre para seguir caminhando na vida com gratidão e compartilhando essa minha história com Deus. E você está compartilhando a sua?

Um coração grato é um coração que cresce

Como o samaritano agradecido, vamos valorizar o fato de que nosso Pai Celestial e Jesus Cristo estão sempre dispostos a escutar um coração agradecido. A gratidão nos permite crescer e receber entendimento sobre os propósitos de Deus para nós, e através de nós. Quando o samaritano retornou para agradecer, ele descobriu uma peça perdida do quebra-cabeça que tornou possível sua cura quando Jesus disse-lhe: “A tua fé te salvou” (versículo 19).

O que Deus tem reservado para compartilhar contigo quando, inúmeras vezes, você vem a Ele depois de aceitar o maravilhoso convite, oferecido a toda a humanidade — “Siga-Me”? Em nosso próximo encontro nesta coluna, vamos descobrir isso juntos — pois agora entendemos que já fomos leprosos e que permaneceríamos assim se não fosse a graça de nosso Pai Celestial, através de Jesus Cristo, nosso Senhor.