Ajuda para hoje, esperança para amanhã 

O Que Faz Uma Nação Ser Grande?

Você está aqui

O Que Faz Uma Nação Ser Grande?

Login or Create an Account

With a UCG.org account you will be able to save items to read and study later!

Sign In | Sign Up

×

Eu amo meu país. Mas isso não significa que, às vezes, ele não me envergonhe.

Particularmente, os últimos anos foram vergonhosos para o governo dos Estados Unidos, que tentaram consistentemente forçar outras nações a mudar suas leis para aceitar e até mesmo promover a agenda homossexual e transgênero. Embaixadas norte-americanas, e diplomatas, no exterior foram cooptadas e usadas como peões para fomentar uma agenda antibíblica e ímpia — forçando, essencialmente, nosso próprio pecado a outros que não queriam fazer parte dele.

Abraão Lincoln mencionou: “Crescemos em número, riqueza e poder como nenhuma outra nação jamais cresceu. Porém, nos esquecemos de Deus … temos nos tornado demasiadamente autossuficientes … orgulhosos demais para orar ao Deus que nos fez.”

Enquanto isso, todo o peso do governo federal foi direcionado contra as escolas norte-americanas que se recusavam a liberar banheiros e vestiários a jovens confusos, ou seja, meninos que pensavam serem meninas e vice-versa. Recentemente, essa situação ignóbil felizmente foi revertida.

Independente da liberdade religiosa, nenhum fotógrafo profissional, padeiro, florista ou proprietário de bufê de casamento estava seguro de não ser processado ao exercer suas garantias constitucionais de liberdade de religião, de associação e de expressão por recusar-se a prestar serviços em casamentos homossexuais. Com muita frequência, funcionários e agências governamentais participam avidamente desses ataques contra a liberdade e a religiosidade de cidadãos norte-americanos.

Para mim, está cada vez mais difícil reconhecer o país onde cresci. Cada vez mais, eu me identifico com o profeta bíblico Jeremias, chamado de “o profeta lamentador” porque derramou lágrimas pelos pecados e pela condição espiritual deplorável de sua nação e das consequências de rejeitar a Deus.

Como Deus vê essas coisas? Essa é a perspectiva que oferecemos em cada edição da revista A Boa Nova e em cada programa de televisão Beyond Today (em inglês). Muitas vezes, essas opiniões — como as expressas acima — não são politicamente corretas. E, por conta disso, recebemos mensagens de ataques e de ódio. Mas devemos estar mais preocupados com o que Deus pensa do que com a opinião das pessoas nesse assunto (Efésios 6:6 Efésios 6:6não servindo somente � vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus,
Almeida Atualizada×
).

O que Ele diria sobre o estado dessa nação hoje?

A obediência a Deus torna um país grande e poderoso, mas o pecado traz vergonha e desonra para uma nação “, escreveu Salomão sob a inspiração de Deus (Provérbios 14:34 Provérbios 14:34A justiça exalta as nações; mas o pecado é o opróbrio dos povos.
Almeida Atualizada×
, Bíblia Viva).

Os Estados Unidos foram engrandecidos e abençoados além da medida, pelas razões explicadas no artigo principal desta edição. Mas será que os Estados Unidos permanecerão assim? Vários capítulos da Bíblia, especialmente Deuteronômio 28 e Levítico 26, descrevem as bênçãos que vêm sobre uma nação pela obediência a Deus e as maldições que resultam da desobediência.

Houve um tempo em que os líderes nacionais eram familiarizados com a Palavra de Deus e buscavam compreendê-la. Por exemplo, em março de 1863, o presidente dos Estados Unidos, Abraham Lincoln, promulgou um “Dia Nacional de Jejum e Oração”, em que exortou a nação a arrepender-se e voltar-se para Deus.

De forma impressionante, suas palavras são apropriadas para os dias atuais: “Nós temos sido os destinatários das generosidades mais seletas do céu. Temos sido preservados, nesses muitos anos, em paz e prosperidade. Crescemos em número, riqueza e poder como nenhuma outra nação jamais cresceu. Porém, nos esquecemos de Deus…

“E temos imaginado em vão, no engano de nossos corações, que todas essas bênçãos foram produzidas por nossa própria sabedoria e virtude superiores. Intoxicados pelo sucesso constante, temos nos tornado demasiadamente autossuficientes …, orgulhosos demais para orar ao Deus que nos fez! É conveniente então nos humilhar diante do Poder ofendido, confessar nossos pecados nacionais e orar por clemência e perdão “.

O presidente Lincoln sentiu profundamente a responsabilidade de declarar a verdade de Deus a seu país. Assim como nós da revista A Boa Nova . Por essa razão, enxergamos a notícia detrás das notícias — os fatores que estão afetando profundamente as nações do mundo.

A Palavra inspirada de Deus contém muitas profecias descrevendo a direção em que o mundo dirige e o motivo. A maioria delas gira em torno da verdade básica mencionada acima — “ A obediência a Deus torna um país grande e poderoso, mas o pecado traz vergonha e desonra para uma nação “.

Será que os Estados Unidos continuarão mantendo seu poder? Olhe ao seu redor. Leia os artigos desta edição e pergunte como tudo isso pode ter algo a ver com você. E pondere na advertência de Abraham Lincoln sobre humilhar-nos, confessar nossos pecados e orar por perdão — antes que seja tarde demais .