Pregando o evangelho e preparando um povo

Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?: Páscoa

Você está aqui

Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?

Páscoa

Download (Baixar)
MP3 Audio (44.22 MB)

Download (Baixar)

Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?: Páscoa

MP3 Audio (44.22 MB)
×

Através do estudo de Salmos 22 este sermão nos ajuda a entender mais profundamente os sentimentos de Jesus Cristo quando estava na cruz.

Transcrição

Bom dia, boa tarde, queridos irmãos! Aqui é Jorge de Campos.

Três homens estavam pendurados no madeiro no dia da Páscoa.

Cordeiros estavam a ser preparados para serem sacrificados no templo. Lemos em Mateus capítulo 27 versículos 45 e 46:

Desde a hora sexta até à hora nona, houve trevas sobre toda a terra.

[Isto é, das 15 horas da tarde, cerca da nona hora; porque eles começavam a contar o dia a partir das 6 horas da manha, por isso que era a hora nona; que hoje chamamos 3 horas da tarde. Por isso, desde a hora sexta a nona hora; quer dizer, desde o meio dia até as 15 horas, houve trevas sobre toda a terra.]

Por volta da hora nona, clamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni? O que quer dizer: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?

Sabia Jesus o que lhe ia acontecer?

O Pai abandonou Jesus Cristo nesse momento?

Vamos responder as essas perguntas hoje.

O meu propósito hoje é de entender o sacrifício que Jesus Cristo fez por todos nós.

Certamente, Jesus Cristo sabia o que lhe ia acontecer, pois, ele, o Verbo, foi encarnado e foi o Verbo que inspirou cerca de 700 anos atrás em Isaías 53 versículos 3 a 5:

Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso.

Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido.

Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.

Em Lucas capítulo 18 versículos 31 a 33, vê-se que Jesus Cristo sabia que ia ser traído; lemos:

Tomando consigo os doze, disse-lhes Jesus: Eis que subimos para Jerusalém, e vai cumprir-se ali tudo quanto está escrito por intermédio dos profetas, no tocante ao Filho do Homem;

Pois será ele entregue aos gentios, escarnecido, ultrajado e cuspido;

E, depois de o açoitarem, tirar-lhe-ão a vida; mas, ao terceiro dia, ressuscitará.

Vê-se que Jesus Cristo disse essas palavras aos apóstolos antes de morrer e por isso sabia muito bem o que lhe ia acontecer. Também sabia muito bem que ia cumprir essa profecia. Ele ia cumprir a parte da Lei que apontava para Jesus como Cordeiro Pacal. Ele sabia exactamente o que lhe ia acontecer e quando.

Pois lemos em Mateus capítulo 26 versículos 1 a 2:

Tendo Jesus acabado todos estes ensinamentos, disse a seus discípulos:

Sabeis que, daqui a dois dias, celebrar-se-á a Páscoa; e o Filho do Homem será entregue para ser crucificado.

Sim, Jesus Cristo cumpriu a Lei e os profetas e os Salmos também. Veja em Lucas capítulo 24 versículo 44; depois de ter ressuscitado, Jesus Disse:

A seguir, Jesus lhes disse: São estas as palavras que eu vos falei, estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos.

Jesus Cristo cumpriu a Lei, sim, os Profetas e os Salmos. Cumpriu o que estava escrito acerca dele na Lei, nos Profetas e nos Salmos. Sim, ele obedeceu a Lei. Ele cumpriu; pois, nunca pecou. Mas, ele também cumpriu as palavras proféticas da Lei que apontavam para ele. Estava escrito acerca dele que iria acontecer.

Por isso vemos que a Lei, os Profetas e os Salmos prediziam que o Cristo tinha que sofrer e morrer e isso tinha que acontecer. Então, o que estamos a ver em Mateus 27:41 Mateus 27:41De igual modo também os principais sacerdotes, com os escribas e anciãos, escarnecendo, diziam:
Almeida Atualizada×
a 46, quando Jesus Cristo disse: «Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?» O que isso quer dizer? O que isso significa?

Queridos irmãos, aqui estamos a ver um exemplo de citação de uma escritura exactamente como foi escrita. E, assim ao caso, aquelas pessoas que estavam presentes no local,  se recordaram da escritura que tinha na memória. Este ato de recordar é uma coisa que tinham posto na memória é conhecido como “remes” e esse ponto de recordação de escrituras postas à memória é muito usado no Novo Testamento. Vê-se várias vezes que Jesus Cristo fala uma parte inicial ou uma parte de uma escritura, ele menciona essa parte e o povo que estava a ouví-lo imediatamente sabia o resto dessa escritura.

E por isso entendiam o que Jesus Cristo estava a dizer e em muitos casos se vê que Jesus Cristo dizia uma coisa e eles ficavam “fulos”.

Se estamos só a ler o que ele disse no Novo Testamento as vezes não entendemos porque eles ficavam “fulos” mas se formos ver essas escrituras no Antigo Testamento e se formos ler o que essas escrituras diziam depois, que eles tinham essas escritura de memória, então vê-se porque eles ficavam “fulos” e zangados com Jesus Cristo. Porque viram que Jesus estava a referir-se a essas escrituras.

Vou dar dois exemplos simples do que é “remes”. Se você é brasileiro e ouvir estas palavras, deixa ver se consigo, escrevê-las aqui:  

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas

De um povo heroico o brado retumbante

E o sol da liberdade, em raios fúlgidos

Brilhou no céu da pátria nesse instante

Você vai se lembrar que estou citando a primeira estrofe do Hino Nacional Brasileiro. E vai se lembrar das palavras seguintes e as palavras seguintes são:

Se o penhor dessa igualdade

Conseguimos conquistar com braço forte

Em teu seio, ó liberdade

Desafia o nosso peito a própria morte!

E por isso, se você é brasileiro está já a pensar nas palavras seguintes, quer dizer, isso é uma recordação de uma parte que faz recordar o resto. E não precisa avançar porque você recorda o resto.

O segundo exemplo, vamos supor que é português:

Heróis do mar, nobre povo, Nação valente, imortal

Levantai hoje de novo o esplendor de Portugal!

Entre as brumas da memória, ó Pátria sente-se a voz

Se você leu acima, e se é português, certamente vai reconhecer que é o Hino Naciona Português e vai se recordar das palavras seguintes que são:

Dos teus egrégios avós, que há-de guiar-te à vitória!

Às armas, às armas!

Sobre a terra, sobre o mar,

Às armas, às armas!

Pela Pátria lutar

Contra os canhões marchar, marchar

E você já avança no que vem asseguir. E se você é patrióta português ou brasileiro, você vai entender certamente estas palavras e vai entender o que vem asseguir. Sem estarem escritas. É ou não é? Está claro que é.

Ora, isso é conhecido como “remes” como disse, e é muito usado no Novo Testamento. Como disse, Jesus Cristo dizia uma parte da escritura e as pessoais ouvindo isso ficavam “fulas” com Cristo porque sabiam de cor salteado o resto das escrituras e por isso entendiam que Jesus estava a dizer dele mesmo.

Como sabiam isso decor salteado? É porque o povo na era de Jesus Cristo parte da educação da juventude (quando tinham cerca de 12 anos de idade), os jovens já sabiam os primeiros cinco livros, o pentateuco, da Lei de Moisés decor e salteado.

Imagine, o seu filho, a sua filha de 12 anos, saber recitar decor e salteado os primeiro cinco livros da Bíblia… E, uma pessoa adulta, daqueles que eram mais dedicado, principalmente aqueles que iam ser fariseus e sacerdotes ou de posições de responsabilidade, sabiam decor e salteado todo o Antigo Testamento.

Acho que é difícil nós compreendermos isto, mas imagine a capacidade mental que nós temos se estamos a usar a nossa mente e se estamos a treiná-la, o que se pode fazer com a nossa mente e com a nossa memória.

Por isso quando Jesus Cristo disse em Mateus capítulo 27 versículos 41 a 46, «Eli Eli lama sabactâni?, isto é, Deus meu, Deus meu por que me desamparaste?»  eles sabiam muito bem o que Jesus Cristo estava a recitar.

E sabiam muito bem as palavras seguintes. Um ponto de nota, esse é o único lugar nos evangelhos que Jesus Cristo se dirige ao Pai como Deus meu. Este é o único lugar, é só aqui em Mateus capítulo 27 versículo 46.

Porque noutros lugares ele dirigia-se ao Pai como Pai. Por quê? Porque Jesus Cristo estava a especificamente e deliberadamente citando exactamente Salmos 22. E isto causou essa lembrança, “remes”, do resto da escritura aos que o ouviam. E conforme o ouviam entendiam o que estava a acontecer.

Por isso, hoje, queridos irmãos, para entendermos o significado do sacrifício que Jesus Cristo fez por nós vamos analisar Salmos capítulo 22, duma maneira mais detalhada e assim vamos ter uma perspectiva da crucificação de Jesus Cristo, uma perspectiva dos olhos dele, como Cristo estava pensando. Porque Jesus Cristo estava recitando ou cogitando esse Salmos na sua cabeça.

Também notem que este Salmo 22, nessa era, era tão popular como para hoje é o Salmo 23, O Senhor é meu Pastor nada me faltará… e esse entre cristãos é muito popular. E Salmo 22 era igualmente muito popular para eles.

Então, vamos começar a ler, Salmos capítulo 22 versículo 1:

Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que se acham longe de minha salvação a palavras de meu bramido?

Por isso, a pergunta que fiz inicialmente, a minutos atrás, foi que estava Jesus Cristo a dizer que o Pai o tinha desamparado?  Sim, eu sei que muitos dizem que isso foi o caso e alguns na Igreja de Deus disseram isto. O entendimento que tomavam, visto que Jesus Cristo tomou o pecado por nós, então, essas pessoas dizem o Pai teve qe virar as costas a Jesus Cristo naquele momento. Mas, queridos irmãos, isso é uma dedução incorrecta. Porque isso não é bíblico. Vejamos alguns exemplos de porquE isso não ser bíblico.

Isaías capítulo 59 versículo 1, vemos que o pecado é que nos separa de Deus. Mas Jesus Cristo nunca pecou. Por isso, não podia estar separado de Deus. A única maneira pela qual o Pai o teria abandonado é se o Espírito Santo o tivesse deixado, mas isto nunca aconteceu.

Depois, lemos também em Isaías capítulo 53, vemos que Jesus Cristo sabia o que o havia de lhe acontecer, pois o seu sacrifício e a sua morte estava profetizado. Aliás, sabemos que ele era o Verbo e o Verbo foi aquele que falou e inspirou e profetizou aqui estas escrituras. É a palavra de Deus – o Verbo.

E também vemos nesse mesmo Salmo capítulo 22 vê-se no versículo 24:

Pois não desprezou [vê-se aqui], nem abominou a dor do aflito, nem ocultou dele o rosto [o Pai não escondeu o seu rosto, antes, quando ele chamou ele o ouviu], mas o ouviu, quando lhe gritou por socorro.

Por isso vê-se aqui que o Pai não escondeu a cara ao seu Filho, Jesus Cristo, Deus Pai nã abandonou a Jesus Cristo. Até Jesus Cristo disse em João capítulo 16 versículo 32:

Eis que vem a hora e já é chegada, em que sereis dispersos, cada um para sua casa, e me deixareis só; contudo, não estou só, porque o Pai está comigo.

Jesus Cristo disse isso na noite em que foi traído por Judas. Ele sabia que os irmãos o iam deixar só, os discípulos (apóstolos) todos fugiram mas não estava só porque o Pai está com ele.

Vemos também em João capítulo 8 versículo 29:

E aquele que me enviou está comigo, não me deixou só [o Pai não me tem deixado só], porque eu faço sempre o que lhe agrada.

E vemos também em Lucas capítulo 23 versículo 46:

Então, Jesus clamou em alta voz: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito! E, dito isto, expirou.

E por isso, o Pai nunca deixou Jesus Cristo, precisamos entender o quê que está aqui a deixar neste contexto.

Veja o caso de Josué capítulo 1 versículo 5:

Ninguém te poderá resistir todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei, nem te desampararei.

E também lemos isso em Hebreus capítulo 13 versículo 5:

Seja a vossa vida sem avareza. Contentai-vos com as coisas que tendes; porque ele tem dito: De maneira alguma te deixarei, nunca jamais  te abandonarei.

O problema aqui, queridos irmãos, é o mau entendimento da palavra hebráica traduzida como desampararei. A palabra hebráica é 05800 ‘azab’ (ler: ah-zei-ave) que tem vários significados, como ... afrouxar, ou seja, renunciar, permitir, etc.

E daí vêm várias traduções... vejam: 

Salmos 22:1 Salmos 22:1Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? por que estás afastado de me auxiliar, e das palavras do meu bramido?
Almeida Atualizada×
“Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste [azab]?”

Gênesis 2:24 Gênesis 2:24Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á � sua mulher, e serão uma só carne.
Almeida Atualizada×
“Por isso, deixa [azab] o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.”

Não é que o homem esteja a desamparar os seus pais, mas, simplesmente, vai agora estar com sua esposa. Por isso, deixa o pai e a mãe.

Veja em Gênesis 39 versículo 6, falando acerca de Potífar:

 “Potifar tudo o que tinha confiou [azab] às mãos de José...”

A mesma palavra hebráica foi traduzida para confiar, temos aqui, traduzida para desamparar, deixar, confiar. E por isso temos que ver o contexto.

Os tradutores as vezes têm dificuldades em traduzir certas questões e entendemos porquê.

Veja em I Reis capítulo 21 versículo 21:

Eis que trarei o mal sobre ti, arrancarei a tua posteridade e exterminarei de Acabe a todo do sexo masculino, quer escravo quer livre [azab], em Israel.

A palavra quer livre é azab. Por isso vemos azab ser traduzido como desamparaste em Salmos 22:1 Salmos 22:1Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? por que estás afastado de me auxiliar, e das palavras do meu bramido?
Almeida Atualizada×
, ser traduzida como deixa em Gênesis 2:24 Gênesis 2:24Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á � sua mulher, e serão uma só carne.
Almeida Atualizada×
, ser traduzida como confiou em Gênesis 39:6 Gênesis 39:6Potifar deixou tudo na mão de José, de maneira que nada sabia do que estava com ele, a não ser do pão que comia. Ora, José era formoso de porte e de semblante.
Almeida Atualizada×
, ser traduzida quer livre em I Reis 21:21.

Então, porquê uma palavra hebraica é assim traduzida em muitas maneiras? E vemos certa conexão livre, deixar, desamparar… a uma certa conexão nos significados das mesmas. Por quê isto? É porque o vocabulário hebraico no Antigo Testamento é muito limitado. Tem um vocabulário limitado. Só existem cerca de 10.000 palavras. Enquanto, em grego, existem cerca de 200.000 palavras.

Então, temos que tomar em atenção o contexto total da escritura não só desta seção, mas o total, para ver o que seria uma inerpretação mais exata. Isto é que se chama o peso das escrituras.

O significado é que Deus, o Pai, temporariamente permitiu (isto é, desamparou) Jesus Cristo ser entregue na mão de seus inimigos. Porquê? Por quê que o Pai permitiu isso temporariamente? Para ele sofrer e morrer por nós. Para ele, Jesus Cristo, redimir, pagar, com a sua vida pela nossa vida de pecados. E por isso o Pai permitiu isso temporariamente. Entre aspas, digamos, desamparou.

Assim, Jesus, “se tornou pecado” por nós, mas isso não significa que Jesus Cristo foi um pecador. NÂO. Nem isso significa que Deus Pai o rejeitou. NÃO. Mas, isso, significa que Deus Pai permitiu isso temporariamente que ele sofresse e moresse por nós e aí se vê o amor de Deus para conosco.

Deus, sim, viu o pecado em satanás, viu o pecado de Adão e Eva, viu o pecado durante a geração do dilúvio, viu o pecado dos israelitas mas Deus odeia o pecado. Não só porque causa dor, sofrimento e morte mas porque causou o sacrifício do seu Filho Unigênito por nós.

Até vemos, naquela nite em que foi traído, Jesus Cristo estava a orar (orou por três vezes) antes dos apóstolos estarem  a adormecer. O Pai mandou um anjo para confortá-lo quando nessa noite estava a orar. E está claro, visto que Jesus Cristo esteve que passar nessa experiência, teve que passar por este sofrimento e estas dores; ele aprendeu em primeira mão o que realmente é quando nós sofremos, quando nós temos sofrimentos, nós próprios ou os nossos filhos sofrem, nós sabemos que podemos ter a confiança que o Pai de Jesus Cristo sabe o que isso. Sabe-o muito bem. Por isso Jesus Cristo e Deus tem carinho, o nosso Sumo Sacerdote atua por nós porque ele sabe o que é sofrimento.

Assim que, Salmos 22, é uma profecia para nós entendermos o que Jesus Cristo estava pensando. Vamos continuar agora nos versículos 2 e 3:

Deus meu, clamo de dia, e não me respondes; também de noite, porém não tenho sossego.

Contudo, tu és santo, entronizado entre os louvores de Israel.

E como sabemos, Jesus orava de dia e de noite e pediu «se possível houver outra maneira que tirasse dele esse teste, essa dificuldade» Mas sempre confiou ao Pai e disse: «não a minha vontade mas a tua». Ele sabia que o Pai estava no comando. Tinha que temporiamente permitir que isto acontecesse para nós podermos ser salvos.

Veja nos versículos 4 e 5 de Salmos 22:

Nossos pais confiaram em ti; confiaram, e os livraste.

A ti clamaram e se livraram; confiaram em ti e não foram confundidos.

Aqui vê-se uma expressão de completa fé como Jesus Cristo estava no madeiro, pendurado no madeiro, mostrando uma completa fé pelo Pai.

Continuando no versículo 6:

Mas eu sou verme [H 08438 – towla] e não homem; opróbrio dos homens e desprezado do povo.

A palavra verme é uma palavra interessante da palavra hebráica [H 08438 – towla]; H 08438 = Verme escarlate, verme vermelho.

Um comentário da Biblical Basis for Modern Science (Base Bíblica para a moderna ciência), Baker Book House, 1985, p. 73, por Henry Morris: 

- “Quando a fêmea da espécie de verme escarlate estava pronta para dar à luz seus filhotes, ela prendia seu corpo ao tronco de uma árvore, fixando-se com tanta firmeza e permanência que nunca mais sairia. Os ovos depositados sobre seu corpo eram assim, protegidos até que as larvas eclodissem e pudessem entrar em seu próprio ciclo de vida [e os filhotes comiam o corpo da mãe para poderem viver – o resto do corpo da mãe caía como escamas brancas como a neve].

- “Conforme a mãe morria, o fluído carmesim manchava seu corpo e a madeira ao redor. Dos cadáveres dessas fêmeas de vermes vermelhos, os corantes escarlates comerciais da antiguidade.

- “Que imagem isto dá de Cristo, morrendo na árvore, derramando seu precioso sangue para 'trazer muitos filhos à glória' (Hebreus 2:10 Hebreus 2:10Porque convinha que aquele, para quem são todas as coisas, e por meio de quem tudo existe, em trazendo muitos filhos � glória, aperfeiçoasse pelos sofrimentos o autor da salvação deles.
Almeida Atualizada×
)!

- “Ele morreu por nós, para que pudéssemos viver por meio dele! Salmos 22:6 Salmos 22:6Mas eu sou verme, e não homem; opróbrio dos homens e desprezado do povo.
Almeida Atualizada×
descreve tal verme e nos dá esta imagem de Cristo."

Jesus foi batido e estava vermelho de sangue no madeiro.

Simbolicamente o verme representava a Cristo.  Por isso diz, «eu sou verme e não homem» visto dessa analogia.

Outro ponto mencionado, depois dos filhotes comerem a carne da mãe, e o resto de comida era como excama de camadas que iam no chão como neve. Veja então em Isaías capítulo 1 versículo 18:

“Vinde então, e argüi-me, diz o SENHOR: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.”

Vemos analogias muito interessantes aqui.

Considerem os 4 paralelos:

1 – conectado à árvore para morrer, Cristo ligado ao madeiro;

2 – O líquido vermelho sai do verme, sangue de Cristo derramado, sendo ela aí como uma pessoa vermelha pendurada no madeiro;

3 – Dá a vida para os filhotes viverem, Jesus Cristo deu sua vida à favor de nós, para pudermos ter vida;

4 – O verme morre para a família viver, Jesus Cristo morreu para nós, filhos e filhas de Deus, pudermos viver.

Pontos muito significantes que acabamos de ler.

Continuando então, vamos ler os versículos 7 e 8:

Todos os que me vêem zombam de mim; afrouxam os lábios e meneiam a cabeça:

Confiou no Senhor! Livre-o ele; salve-o, pois nele tem prazer.

Mas isso foi realmente o que aconteceu quando lemos em Mateus capítulo 27 versículos 41 a 43:

De igual modo, os principais sacerdotes, com os escribas e anciãos, escarnecendo, diziam:

Salvou os outros, a si mesmo não pode salvar-se. É rei de Israel! Desça da cruz, e creremos nele.

Confiou em Deus; pois venha livrá-lo agora, se, de fato, lhe quer bem; porque disse: Sou Filho de Deus.

Queridos irmãos, vemos a profecia a ser cumprida. Este Salmo que apontava para o sofrimento de Cristo. Estavam a ser cumpridos.

Veja nos versículos 9 e 10:

Contudo, tu és quem me fez nascer; e me preservaste, estando eu ainda ao seio de minha mãe.

A ti me entreguei desde o meu nascimento; desde o ventre de minha mãe, tu és meu Deus.

Então, vê-se aí que foi gerado pelo Pai milagrosamente mas também vê-se que os pensamentos de Jesus Cristo estavam também na sua mãe. É possível que neste momento, nessa sequência de eventos, foi quando Jesus disse o que lemos em João capítulo 19 versículos 26 e 27:

– “Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho.

Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.”

Vê-se então que Jesus Cristo no momento de recitar esse Salmo, tomou esta consideração pela sua mãe.

Continuando a ler nos versículos 11 e 12 de Salmos 22:

Não te distancies de mim, porque a tribulação está próxima, e não há quem me acuda.

Muitos touros me cercam, fortes touros de Basã [Basã é uma região muito rica em agropecuária e os touros daí são muito fortes] me rodeiam.

Mas aqui vê-se uma profecia dos soldados romanos. Que eram pessoas muito fortes, em óptimas condições físicas e brutais como touros.

Continuando a ler no versículo 13:

Contra mim abrem a boca, como faz o leão que despedaça e ruge.

Esses touros, esses soldados romanos, rasgaram, despedaçaram-no, como um leão que despedaça a sua presa. A carne de Jesus Cristo foi despedaçada como quando um leão está a comer a sua presa. Arranca, come. Uma coisa muito interessante, se puderes ver um filme, acerca disso, pensa como Jesus Cristo sofreu. Vemos aqui o sofrimento de Jesus Cristo.

No versículo 14, continuando:

Derramei-me como água, e todos os meus ossos se desconjuntaram; meu coração fez-se como cera, derreteu-se dentro de mim.

Jesus Cristo estava desidratado, seus ossos, imaginem, estando aí pendurado, seus ossos a se desconjuntarem, as dores nos ligamentos com o peso do seu corpo, nos ombros e ossos, seria uma coisa inimaginável para nós.

Vejam por exemplo em Êxodo capítulo 12 versículo 46, que diz:

“Numa casa se comerá[isto é o cordeiro pascal]; não levarás daquela carne fora da casa, nem dela quebrareis osso.”

E por isso vemos que os ossos estavam desconjuntados mas não foram quebrados.

Em João capítulo 19 versículo 33, diz:

“Mas, vindo a Jesus e vendo-o já morto, não lhe quebraram as pernas.”

Quebraram os outros mas não ele. Os seus ossos não foram quebrados.

Continuando a ler em Salmos capítulo 22 versículo 15:

“A minha força se secou como um caco, e a língua se me pega ao paladar; e me puseste no pó da morte.

Você alguma vez esteve em condições da sua língua estar colada ao teto da sua boca e os lábios estão colados ?

Eu quando durmo tenho uma máquina para evitar eu ressonar porque sofro de uma coisa que se chama ressonar e continuamente a noite acordo e uso essa máquina que se chama cipepe que é a ação contínua no nariz e as vezes, por uma razão ou outra, fico com a boca muito seca; mas as vezes, em certas manhãs acordo com a boca e a língua tão seca que nem consigo abrir a boca, nem consigo mover a língua do paladar. É como estivessem coladas de tanto seca que estão. E por isso eu entendo o que Jesus Cristo estava aqui aa sentir nesse caso. Parte, acerca disso, pois que estava a dizer que  a «língua se me pega ao paladar e me puseste no pó da morte».

E por isso vemos que Jesus Cristo estava com sede. Veja em João capítulo 19 versículo 28:

“Agora Jesus sabia que tudo estava completado. Então, para que se cumprisse o que dizem as Escrituras Sagradas, disse: -Estou com sede!

 Ele estava a recitar o Salmos 22 e estava a cumprir essa escritura que diz: «estou com sede».

Continuando no versículo 16:

“Pois me rodearam cães [selvagens]; o ajuntamento de malfeitores me cercou, traspassaram-me as mãos e os pés.”

 Queridos irmãos, transpassaram-me as mãos e os pés. Quer dizer, eles usaram grandes pregos e transpassaram o punho; pois, se fosse na mão, rasgava. Talvez no punho porque os ossos estavam desconjuntados, fora do seu lugar. Mas o ponto interessante aqui irmãos, é que no tempo de Davi, isto foi cerca de de 1000 anos antes de Jesus Cristo ser crucificado, no tempo em que Salmos 22 foi escrito o método de morte via a crucificação ainda não tinha sido inventado mas este Salmo já estava a predizer que isto iria de acontecer.

E por isso imagine as pessoas que estavam presentes, os que sabem este Salmo, que ouviram Jesus Cristo nestas ações de dizer a mãe, tenho sede, vê-lo como estavam a tratá-lo, seu corpo vermelho, estavam a recitar mentalmente, estavam a seguir com Cristo este Salmo.

Certamente, se você estivesse lá,  e se você estivesse a recitar isso, e se você estivesse a ver, a olhar a Cristo, só posso dizer que vocÊ estaria arrepiado, arrepiado. Seria um sentimento enorme a ver isto.

Então, quantas dessas pessoas estavam assim? Seguramente que dessas pessoas podiam estar no número das 3000 pessoas que foram baptizadas no dia de pentecostes. Porque viram isto, foram testemunhas e tocou-lhes o coração.

Continuando a ler no versículo 17 de Salmos 22:

“Poderia contar todos os meus ossos; eles vêem e me contemplam.” Talvez pela carne arrancada de si, é como que ossos visíveis em certas partes do seu corpo, possivelmente na caixa torácica...viam-se as costelas.

Vejam em Isaías capítulo 52 versículo:

“Como pasmaram muitos à vista dele, pois o seu parecer estava tão desfigurado, mais do que o de outro qualquer, e a sua figura mais do que a dos outros filhos dos homens.”

Estava desfigurado.

Continuando a ler no versículo 18:

“Repartem entre si as minhas vestes, e lançam sortes sobre a minha roupa.”

Imagine, Jesus estava aí no madeiro, a sofrer, e os romanos estavam a tirar sortes para ver com quem ficariam as suas vestes. Lê-se isso em Mateus 27 versículo 35:

“Em seguida os soldados o crucificaram e repartiram as suas roupas entre si, tirando a sorte com dados, para verem qual seria a parte de cada um.”

Outra profecia cumprida. Jesus Cristo veio a cumprir a Lei, os Profetas e os Salmos. Estava predito acerca dele. Isto não quer dizer, como sabemos, que Jesus Cristo cumpriu a Lei com isso não podemos obedecer a Lei.

Continuando a ler em Salmos 22 versículos 19 a 21:

“Mas tu, SENHOR, não te alongues de mim. Força minha, apressa-te em socorrer-me. Livra a minha alma da espada, e a minha predileta da força do cão. Salva-me da boca do leão; ...”

Aqui vê-se, Jesus Cristo está a morrer e a pedir a Deus para salvação. E nesse momento vê-se a confiança. Porque a partir daqui o tom do Salmo muda. Muda para um tom de grande confiança porque diz no versículo seguinte:

“... sim, ouviste-me, das pontas dos bois selvagens. Então declararei o teu nome aos meus irmãos; louvar-te-ei no meio da congregação.”

Nós somos os irmãos, nós somos a congregação da Igreja de Deus. Por isso o tom muda para o tom de grande confiança em Deus e paz.

Continuando a ler nos versículos 23 a 27:

Vós que temeis o Senhor, louvai-o; glorificai-o, vós todos, descendÊncia de Jacó; reverenciai-o, vós todos, posteridade de Israel. [O que estamos a ver aqui é o fruto, é o resultado do sacrifício de Jesus Cristo. ]

Pois não desprezou, nem abominou a dor do aflito. Nem ocultou dele o rosto, mas o ouviu [como lemos anteriormente], quando lhe gritou por socorro. [O Pai não desprezou isso.]

De ti vem o meu louvor na grande congregação; cumprirei os meus votos na presença dos que o temem.

Os sofredores [os mansos, os maleáveis, prontos a serem submissos e a fazer o que Deus manda…os pacificadores, os humildes …estes] hão de comer e fartar-se; louvarão o Senhor os que o buscam[aqui está a falar de Jesus Cristo. Nós quando entendermos isso, vamos louvar a Jesus Cristo e ao Pai está claro]. Viva para sempre o vosso coração.

Lembrar-se-ão do Senhor [vamos lembrar do que Jesus Cristo fez] e a ele se converterão [vamos nos converter ao Pai] os confins da terra [sejam de que lugar as pessoas sejam. Não são só israelitas mas os de todas as nações, vão se converter]; perante ele se prostrarão todas as famílias das nações. [todo joelho se dobrará perante o Filho e celebrará a ele. Veja em Filipenses 2:10-11 Filipenses 2:10-11 [10] para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, [11] e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.
Almeida Atualizada×
]

O Pai não o desamparou, apenas, permitiu temporariamente que isto acontecesse para nossa salvação.

Jesus Cristo vai cumprir as promessas que fez.

Pois, do Senhor é o Reino. O reino foi dado a Jesus Cristo. A última trombeta vai ser o retorno de Cristo para reinar na terra e trazer paz a este mundo terrível  queridos irmãos.

Versículos 28 a 31:

Pois do Senhor é o reino, é ele quem governa as nações. [Cristo será o governante das nações aqui na terra e nós como reis debaixo dele como Rei dos reis e como senhores debaixo do Senhor]

Todos os opulentos da terra hão de comer e adorar, e todos os que descem ao pó se prostrarão perante ele, até aquele que não pode preservar a própria vida.

A posteridade o servirá [isto é, os nossos filhos netos, bisnetos, etc.]; falar-se-á do Senhor à geração vindoura.

Hão de vir anunciar a justiça dele; ao povo que há de nascer, contarão que foi ele quem o fez.[foi Jesus Cristo que sofreu, que cumpriu e fez isto]

Aqui vemos uma mudança de atitude no Salmo porque inicialmente começa por falar dos sofrimentos de Cristo mas agora fala do resultado do sacrifício de Jesus Cristo. O que vai acontecer por conta desse sacrifício.

A palavra quem o fez é outra palavra interessante que é do hebraico “quem o fez” (H06213 – aw-saw) – que o fez, que o completou. Isto é, o que consumou.

Vejamos em João 19:29-30 João 19:29-30 [29] Estava ali um vaso cheio de vinagre. Puseram, pois, numa cana de hissopo uma esponja ensopada de vinagre, e lha chegaram � boca. [30] Então Jesus, depois de ter tomado o vinagre, disse: está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.
Almeida Atualizada×
:

“Estava, pois, ali um vaso cheio de vinagre. E encheram de vinagre uma esponja, e, pondo-a num hissope, lha chegaram à boca[lembram-se, na cerimónia em Êxodo 12, quando a Páscoa foi introduzida tinham que matar aquele cordeiro e tinham que por o sangue nas ombreiras das portas e nas vergas. O quê que usavam para por o sangue? hissopo]. E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado [5055 - teleo]. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.”

Que é exatamente a conclusão de Salmos 22 versículo 31. Foi ele quem o fez, quem o completou, quem o consumou.

Esta palavra em Grego 5055 – teleo – está completado! Está pago!

No tempo romano punham um carimbo teleo – está pago. Num recibo, numa nota fiscal punham teleo – está pago completamente.

O plano de Deus agora está seguro!

Espero que este estudo de Salmos 22 tenha dado a vocês um entendimento melhor do sfrimento e sacrifício de Jesus Cristo, e como foi necessário que o Pai permitisse isto acontecer, temporariamente, para nós podermos ser salvos.

Mas que benção e graça de Deus é o Cordeiro Pascal para nós!

Depois temos um segundo movimento com Salmos 23 (Ele é o Pastor) e 24 ( Ele é o Rei da Glória), pois os salmos são músicas muito encorajadoras depois deste sacrifício.

Que dia glorioso será quando o Rei da Glória virá mas quando lemos em Salmos 24, vê-se o Rei da Glória a entrar no Reino de Deus.

Ele é o Pastor – e Ele é o Rei da Glória!