Pregando o evangelho e preparando um povo

Liberdade mundial é declarada: Profecia do mundo de amanhã, parte 4

Você está aqui

Liberdade mundial é declarada

Profecia do mundo de amanhã, parte 4

Download (Baixar)
MP3 Audio (37.71 MB)

Download (Baixar)

Liberdade mundial é declarada: Profecia do mundo de amanhã, parte 4

MP3 Audio (37.71 MB)
×

Quando Jesus Cristo retorna Ele imediatamente destruirá toda a oposição, imprisionará Satanás e declarará liberdade mundial.

Transcrição

Bom dia, boa tarde, queridos irmãos! Aqui é Jorge de Campos.

A nossa esperança é a vinda de Cristo e o estabelecimento do seu reino na terra. Temos grande desejo e esperamos ansiosamente pelo milênio, pelo seu reino milenar. Mas, como será este reino? Como será o milénio na terra? Como virá?

Nesta série de sermões: profecias do mundo do amanhã; tenho abordado este tema usando o livro de Apocalipse como uma base. No I sermão, descrevemos brevemente os eventos dos seis selos de Apocalipse até aos sinais celestes, o sinal do Filho do Homem, o começo da ira do Cordeiro; no II sermão, descrevemos brevemente os eventos do Dia do Senhor, os eventos do sétimo selo que são as sete trombetas até à última trombeta; no III sermão, descrevemos a sétima e a última trombeta, a vinda de Cristo. O II e III sermões descrevem eventos simbolizados pelo festival de Deus, o Dia das Trombetas.

Ora, vejamos aqui em I Coríntios 15 versículos 51 a 52 para apanharmos o fio de onde paramos no último sermão desta série. No versículo 51, diz:

Eis que vos digo um mistério: nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos,

Num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.

A última trombeta, a sétima trombeta – das sete trombetas do livro de Apocalipse. Os mortos em Cristo ressuscitarão incorruptíveis e nós (que estaremos vivos em Cristo) seremos transformados, nesta altura em seres espirituais, incorruptíveis, tais como, os ressuscitados que serão incorruptíveis.

I Tessalonicenses dá um bocadinho mais de informação adicional acerca deste toque da última trombeta. Então, vejemos neste carta no capítulo 4 versículos 16 e 17:

Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus [como vimos em I Coríntios 15:51-52, esta é a sétima trombeta, a última trombeta], descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro;

Depois, nós, os vivos, os que ficarmos [os vivos em Cristo nesse momento], seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares [no primeiro céu], e assim [daí em diante, a partir deste momento…], estaremos para sempre com o Senhor.

Agora, o quê que vamos fazer? Vejamos então em Apocalipse 5 versículo 10:

E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles [os cristãos ressuscitados e transformados] reinarão sobre a terra.

Nós vamos reinar com reis e sacerdotes sobre a terra no milénio. Então, vemos Cristo voltando, nós ressuscitados, nos encontraremos com ele nas nuvens, no primeiro céu, depois vê-se que vamos reinar na terra. Ora, existe governos na terra hoje em dia. Existe o deus deste mundo na terra hoje em dia que é satanás (II Coríntios 4:4). Então, os governos deste mundo, o governo, por exemplo, alemão? Dos outros países, por exemplo Portugal, Brasil, Angola …? Vão aceitar um governo que não conhecem? Sim, o mundo não conhece, verem nos ares este exército, o mundo vai aceitar isto? Vão aceitar Jesus Cristo a reinar sobre eles, está claro que não! Então este é um dos grandes significados do dia de expiação porque com a vinda de Cristo, existirá uma resistência dos governos humanos e de satanás e esta resistência, como será vencida, liberdade será declarada no mundo, esse é o tema deste sermão. Que é representado pelo dia de expiação. Um dia muito solene quando o mundo finalmente será libertado da influência de satanás e da influência deste mundo para então este mundo vir a ser governado pelo governo de Deus ou como foi profetizado em Daniel 2 e 7.

A vinda de Cristo como lemos em Apocalipse 11, começando a ler no versículo 15, vê-se aí:

O sétimo anjo tocou a trombeta, e houve no céu grandes vozes, dizendo: o reino do mundo se tornou de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará pelos séculos dos séculos.

Sim, inicialmente pelo milénio, mas, finalmente, será um reino eterno.

E os vinte e quatro anciãos que se encontram sentados no seu trono, diante de Deus, prostraram-se sobre o seu rosto e adoraram a Deus, dizendo: graças te damos, Senhor Deus, Todo-Poderoso, que és e que eras, porque assumiste o teu grande poder e passaste a reinar.

Na verdade, as nações se enfureceram [Os governos desta terra não vão aceitar o governo de Deus sobre a terra]; chegou, porém, a tua ira, e o tempo determinado para serem julgados os mortos, para se dar o galardão aos teus servos, os profetas, aos santos e aos que temem o teu nome, tanto aos pequenos como aos grandes, e para destruíres os que destroem a terra.

Este é o Dia de Expiação em que estes que estão a destruir a terra vão ser destruídos. Por isso, uma vez nos ares, digamos assim, no primeiro céu, nesta região dos ares, não vamos ficar lá para sempre porque devemos reinar na terra. Vamos reinar na terra.

E por isso, na vinda de Cristo, vê-se aqui em Apocalipse 19 começando a ler n versículo 11:

Vi o céu aberto, e eis um cavalo branco.  Seu cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro e julga e peleja com justiça. [Este é o quinto cavalo e quinto cavaleiro. Porque cobrimos nos primeiros capítulos quatro cavalos e quatro cavaleiros. Ora, aqui ao fim, aparece o quinto cavaleiro – este é Jesus Cristo]

Os seus olhos são chama de fogo; na sua cabeça, há muitos diademas; tem um nome escrito que ninguém conhece, senão ele mesmo.

Está vestido com um manto tinto de sangue, e o seu nome se chama o Verbo de Deus; [isto é, Jesus Cristo, o Verbo que se fez carne]

E seguiam-no os exércitos que há no céu [seres angélicos e os santos se reunindo com eles, voltando para a terra, para reinar nela], montando cavalos brancos, com vestiduras de linho fínissimo, branco e puro.

Sai da sua boca uma espada afiada, para com ela ferir as nações; e ele mesmo as regerá com cetro de ferro e, pessoalmente, pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-Poderoso.

Tem no seu manto e na sua coxa um nome inscrito: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES.

Jesus Cristo é o Rei dos reis e nós, os cristãos fiéis, reinaremos com ele; nós estamos sendo treinados para reinar com ele, tanto os ressuscitados como os transformados. Nós estamos a ser treinados para ser senhores debaixo do Senhor dos senhores. Isto é, para sermos professores, para sermos instrutores, para sermos ministros, educadores do caminho de Deus no mundo do amanhã, no milénio.

Ora, leiam também em II Tessalonicenses 1 versículos 7 a 8:

E a vós outros, que sois atribulados, alívio juntamente conosco, quando do céu se manifestar o Senhor Jesus  [na sua segunda vinda, aparecer na terra na sua segunda vinda] com os anjos do seu poder  [virá com os anjos, seu exército],

Em chama de fogo, tomando vingança contra os que não conhecem a Deus e contra os que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus.

Por isso, vemos aqui, irmãos, que Jesus Cristo virá e haverá uma batalha. Vejamos mais disto em Apocalipse 19, continuando a ler no versículo 17:

Então, vi um anjo posto em pé no sol, e clamou com grande voz, falando a todas as aves que voam pelo meio do céu: vinde, reuni-vos para a grande ceia de Deus,

Vai haver uma grande batalha e muitas pessoas vão morrer.

Para que comais carnes de reis, carnes de comandantes, carnes de poderosos, carnes de cavalos e seus cavaleiros, carnes de todos, quer livres, quer escravos, tanto pequenos como grandes.

É este exército militar que se juntou para lutar contra Cristo e seu exército na sua vinda. Esses vão ser destruídos. Continuando a ler aqui no versículo 19:

E vi a besta e os reis da terra, com os seus exércitos, congregados para pelejarem contra aquele que estava montado no cavalo e contra o seu exército.

Mas a besta foi aprisionada, e com ela o falso profeta que, com os sinais feitos diante dela, seduziu aqueles que receberam a marca da besta e eram os adoradores da sua imagem  [estes líderes humanos: a besta e o falso profeta]. Os dois foram lançados vivos dentro do lago de fogo que arde com enxofre.

Os restantes foram mortos com a espada que saía da boca daquele que estava montado no cavalo. E todas as aves se fartaram das suas carnes.

O restante dos soldados do exército da besta foram mortos com a espada que saía da boca de Jesus Cristo.

Vê-se aqui no versículo 19 que estavam congregados para pelejarem. Quando é que se congregaram? Lemos em Apocalipse 16 versículos 12 a 16:

Derramou o sexto a sua taça sobre o grande rio Eufrates, cujas águas secaram, para que se preparasse o caminho dos reis que vêm do lado do nascimento do sol.

Então, vi sair da boca do dragão, da boca da besta e da boca do falso profeta três espíritos imundos semelhantes a rãs;

Porque eles são espíritos de demônios, operadores de sinais, e se dirigem aos reis do mundo inteiro com o fim de ajuntá-los para a peleja do grande Dia do Deus Todo-Poderoso.

Esta é a luta, esta é a guerra que os humanos vão lutar contra Deus.

(eis que venho como vem o ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia e guarda as suas vestes, para que não ande nu, e não se veja a sua vergonha.)

Então, os ajuntaram  [estes reis e soldados] no lugar que em hebraico se chama Armagedom.

Ajuntaram-nos no vale de Megido. Continuando a ler no versículo 17:

Então, derramou o sétimo anjo a sua taça pelo ar, e saiu grande voz do santuário, do lado do trono, dizendo: Feito está!

E sobrevieram relâmpagos, vozes e trovões, e ocorreu grande terremoto, como nunca houve igual desde que há gente sobre a terra; tal foi o terremoto, forte e grande.

E a grande cidade  [Jerusalém] se dividiu em três partes, e caíram as cidades das nações. E lembrou-se Deus da grande Babilônia para dar-lhe o cálice do vinho do furor da sua ira.

O terremoto foi tão grande que afectou o mundo inteiro.

Todas as ilhas fugiram, e os montes não foram achados;

Vê-se que este terremoto foi tão grande que afectou o mundo inteiro, originou tsunamis.

Também desabou do céu sobre os homens grande saraivada, com pedras que pesavam cerca de um talento  [talvez 30 kilogramas]; e, por causa do flagelo da chuva de pedras, os homens blasfemaram de Deus, porquanto o seu flagelo era sobremodo grande.

Vê-se aqui a decorrência de um grande terremoto, vê-se também o ajuntamento das nações no vale de Megido e houve este grande terremoto e outras coisas a acontecer. Vamos continuar nesta história num detalhe mais específico em Zacarias 14, começar a ler no versículo 2:

Porque eu ajuntarei todas as nações para a peleja contra Jerusalém  [como vimos, as nações serão ajuntadas em Armagedom, vale do Megido, e, depois, vão marchar para Jerusalém – para a guerra do grande Dia do Deus Todo-Poderoso. Por isso, a guerra vai ser contra Jerusalém. O vale de Megido é simplesmente a área onde se reunem esteas tropas e depois marcham contra Jerusalém]; e a cidade será tomada, e as casas serão saqueadas, e as mulheres, forçadas; metade da cidade sairá para o cativeiro, mas o restante do povo não será expulso da cidade.

Então, sairá o Senhor  [Jesus Cristo, como lemos em Apocalipse 19:11-15 Apocalipse 19:11-15 [11] E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava montado nele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga a peleja com justiça. [12] Os seus olhos eram como chama de fogo; sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito, que ninguém sabia sabia senão ele mesmo. [13] Estava vestido de um manto salpicado de sangue; e o nome pelo qual se chama é o Verbo de Deus. [14] Seguiam-no os exércitos que estão no céu, em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e puro. [15] Da sua boca saía uma espada afiada, para ferir com ela as nações; ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-Poderoso.
Almeida Atualizada×
] e pelejará contra essas nações, como pelejou no dia da batalha  [como pelejou contra o Egipto quando sairam do cativeiro].

Naquele dia, estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente; o monte das Oliveriras será fendido pelo meio  [como vai ser fendido? Porque vai haver um terremoto como lemos em Apocalipse 16:17-21 Apocalipse 16:17-21 [17] O sétimo anjo derramou a sua taça no ar; e saiu uma grande voz do santuário, da parte do trono, dizendo: Está feito. [18] E houve relâmpagos e vozes e trovões; houve também um grande terremoto, qual nunca houvera desde que há homens sobre a terra, terremoto tão forte quão grande; [19] e a grande cidade fendeu-se em três partes, e as cidades das nações caíram; e Deus lembrou-se da grande Babilônia, para lhe dar o cálice do vinho do furor da sua ira. [20] Todas ilhas fugiram, e os montes não mais se acharam. [21] E sobre os homens caiu do céu uma grande saraivada, pedras quase do peso de um talento; e os homens blasfemaram de Deus por causa da praga da saraivada; porque a sua praga era mui grande.
Almeida Atualizada×
], para o oriente e para o ocidente, e haverá um vale muito grande  [como este vale aparece? Por causa deste terremoto]; metade do monte se apartará para o norte,e a outra metade, para o sul.

Tudo aqui vê-se: se juntaram em Megido para a guerra e desceram contra Jerusalém; há o terremoto e aparece o vale. Continuando no versículo 5:

Fugireis pelo vale dos meus montes, porque o vale dos montes chegará até Azal; sim, fugireis [Várias pessoas físicas que habitam Jerusalém nesse momento] como fugistes do terremoto nos dias de Uzias, rei de Judá; então, virá o Senhor, meu Deus, e todos os santos, com ele.

Então, Jesus Cristo vem, com ele os santos e também vimos que com ele vem o exército de anjos. Leiam mais adiante no versículo 12:

Esta será a praga com que o Senhor ferirá a todos os povos que guerrearem contra Jerusalém [mais uma vez: se juntaram no vale de Megido, vai contra Jerusalém para guerrear, Jesus Cristo vem e está aqui esta espada da sua boca que lemos em Apocalipse 19:15 Apocalipse 19:15Da sua boca saía uma espada afiada, para ferir com ela as nações; ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-Poderoso.
Almeida Atualizada×
uma espada afiada, para com ela ferir as nações…]: a sua carne se apodrecerá, estando eles de pé, apodrecer-se-lhes-ão os olhos nas suas órbitas, e lhes apodrecerá a língua na boca.

Naquele dia, também haverá da parte do Senhor grande confusão entre eles; cada um agarrará a mão do seu próximo, cada um levantará a mão contra o seu próximo.

Quer dizer que vão lutar uns aos outros.

Vimos aqui, queridos irmãos, que há esta guerra à vinda de Cristo como acabamos de ler em Apocalipse 19. Vejemos uma vez mais em Apocalipse 19 para ver como isto tudo se encaixa direitinho. Versículo 19:

E vi a besta e os reis da terra, com s seus exércitos, congregados para pelejarem contra aquele que estava montado no cavalo [Cristo] e contra o seu exército [os santos e os anjos do Senhor].

Mas a besta foi aprisionada, e com ela o falso profeta que, com os sinais feitos diante dela, seduziu aqueles que receberam a marca da besta e eram adoradores da sua imagem. Os dois foram lançados vivos dentro do lago de fogo que arde com enxofre.

Os restantes foram mortos com a espada que saía da boca daquele que estava montado no cavalo. E todas as aves se fartaram das suas carnes.

Porque vimos que vão apodrecer seus olhos e línguas aí mesmo, feridos com esta praga. Por isso, como vimos a pouco e vamos repetir em Apocalipse 11 versículo 18, concretamente, ao fim do versículo 18:

… para destruíres os que destroem a terra.

E como vimos, esta vinda de Cristo há esta destruição, há esta resistência dos exércitos do mundo contra Cristo. Por isso as nações são conquistadas e derrotadas.

Continuando em Apocalipse 19, onde estávamos a pouco, acabamos de ler o versículo 21. O quê se segue depois disto? Apocalipse 20 versículo 1:

Então, vi descer do céu um anjo; tinha na mão a chave do abismo e uma grande corrente.

Vê-se este anjo forte que vai aprisionar satanás. Diz assim no versículo 2:

Ele segurou o dragão, a antiga sepente, que é o diabo, Satanás, e o prendeu por mil anos;

Lançou-o no abismo, fechou-o e pôs selo sobre ele, para que não mais enganasse as nações até se completarem os mil anos. Depois disto, é necessário que ele seja solto pouco tempo.

Então, vê-se que satanás é aprisionado por um anjo por mil anos. Está claro que não é só satanás mas também os seus demônios. Este é um evento que é simbolizado pelo Dia de Expiação. Que é um dos dias de festa, é um dia festivo, é um sábado anual do Palno de Salvação de Deus. Os dias de festa representam o Plano de Salvação de Deus. E este é um destes dias de festa que demonstram uma sombra do que há porvir. Esta sombra, este memorial é um memorial solene deste acontecimento da destruição deste exército e de satanás ser aprisionado. Vejemos isto em Levítico 23 a partir do versículo 24, aí temos a festa das trombetas:

Fala aos filhos de Israel, dizendo: No mês sétimo, ao primeiro do mês, tereis descanso solene, memorial, com sonidos de trombetas, santa convocação.

Nenhuma obra servil fareis, mas trareis oferta queimada ao Senhor.

Isto é o significado destas trombetas à vinda de Cristo. Depois, no versículo 27:

Mas, aos dez deste mês sétimo, será o Dia de Expiação; tereis santa convocação e afligireis a vossa alma [isto é, jejuarás]; trareis oferta queimada ao Senhor.

Este é o significado aqui deste Dia de Expiação porque representa satanás a ser aprisionado porque lemos que satanás é a causa principal, este ser espiritual que engana o mundo, enganou Adão e Eva com mentiras … vejam em Gênesis 3 a partir do versículo 1:

Mas a serpente, mais sagaz que todos os animais selváticos que o Senhor Deus tinha feito, disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?

Respondeu-lhe a mulher: do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais.

Então, a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis.

Satanás é mentiroso e para executar os seus erros, as suas maldições, as suas abominações são todas baseadas em mentiras. Por isso, vê-se a primeira mentira… como se lê em João capítulo 8 versículo 44, diz assim, vamos ler:

[vós sois do diabo, que é vosso pai [vocês estão a seguir o que o diabo está a dizer, em analogia é como se fosse pai deles], e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira.]

Satanás é pai da mentira. Por isso, é que em Gênesis 3 versículo 15, depois se lê que, quando Deus falou com Eva:

Porei inimizade entre ti e a mulher [a Igreja], entre a tua descendência e o seu descendente [Jesus Cristo]. Este [o Filho do Homem] te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.

Satanás ferirá a Igreja pelos calcanhares nestes anos e a Igreja tem sofrido mas não é na cabeça. Jesus Cristo vai ferir satanás na cabeça. Veja também em Romanos no capítulo 16 versículo 20:

E o Deus da paz, em breve, esmagará debaixo dos vossos pés a Satanás….

Deus vai esmagar à satanás.

Mas, entretanto, satanás tem sido um mestre de engano neste mundo. Veja em II Coríntios 11 versículo 3:

Mas receio que, assim como a serpente [satanás] enganou a Eva com a sua astúcia, assim também seja corrompida a vossa mente e se aparte [se separe] da simplicidade e pureza devidas a Cristo.

Por isso, satanás tem uma grande influência de enganar na terra. Por isso, enquanto não temos paz na terra, porque Cristo vem, vai destruir a oposição dos exércitos humanos, vai lutar contra as nações e satanás tem que ser removido, tirado, posto na prisão por mil anos e, então, depois pode haver paz na terra. Porque só depois de remover este causador, este incitador de enganos, é que poderá haver paz na terra.

Ora, esse é um simbolismo de uma cerimónia que era executado no Dia de Expiação. Esta cerimónia é descrita em Levítico 16; e vamos ver que esta cerimónia era feito no Dia de Expiação. O décimo dia do sétimo mês. Levítico 16 versículo 29:

Isso vos será por estatuto perpétuo: no sétimo mês, afligireis a vossa alma e nenhuma obra fareis, nem o natural nem o estrangeiro que peregrina entre vós.

Porque, naquele dia, se fará expiação por vós, para purificar-vos; e sereis purificados de todos os vossos pecados, perante o Senhor.

Esta história de Levítico 16, é uma história de dois bodes. Vê-se esta história no versículo 5:

Da congregação dos filhos de Israel tomarás dois bodes, para a oferta pelo pecado, e um carneiro, para o holocausto.

Haviam outros animais que eram oferecidos para os humanos, o sacerdote ser limpo, ser santificado, purificado para poder fazer esta cerimónia porque o sumo sacerdote aqui tinha um simbolismo de representar Cristo, como vamos ver brevemente. Mas estes dois bodes, vejamos no versículos 8-10:

Lançará sortes sobre os dois bodes: uma, para o Senhor, e a outra, para o bode emissário.

Um bode representava o Senhor e o outro bode era o emissário ou Azazel, um nome demoníaco ou nome mau.

Então, temos aqui dois bodes: um representando, simbolicamente, Jesus Cristo e o outro representando satanás. Vê-se no versículo 9:

Arão fará chegar o bode sobre o qual cair a sorte para o Senhor e o oferecerá por oferta pelo pecado [este bode que representa Jesus Cristo].

Este bode apontava para o Cordeiro  - que é Jesus Cristo, mas aqui era simplesmente um simbolismo apontando para o Cordeiro, Cristo.

Mas o bode sobre o qual cair a sorte para bode emissário [que representa satanás] será apresentado vivo perante o Senhor, para fazer expiação por meio dele e enviá-lo ao deserto como bode emissário.

Ao fim da vinda de Cristo, este bode que representa satanás vai ser enviado para o deserto, para o abismo por mil anos. Isso é o que vimos. Veja também no versículo 15:

Depois, imolará o bode da oferta pelo pecado [o bode que representa Cristo, por isso, vê-se que este primeiro bode, Jesus Cristo, é matado e é o que Cristo fez por nós, dando a sua vida por toda humanidade e assim expiou o pecado do mundo. Daí em diante, vê-se uma actividade que é explicada com este bode: de ser morto para uma actividade de expiação. É o que Cristo fez por nós subindo ao céu e estando a dextra do Pai como nosso Sumo Sacerdote, a nos perdoar, a nos limpar até à sua segunda vinda. Ele está-nos a defender quando somos acusados.], que será para o povo, e trará o seu sangue para dentro do véu; e fará com o sangue como fez com o sangue do novilho; aspergi-lo-á no propiciatório e também diante dele.

Veja em Hebreus 9 versículos 9 a 12:

É isto uma parábola para a época presente; e, segundo esta, se oferecem tanto dons como sacrifícios, embora estes, no tocante à consciência, sejam ineficazes para perfeiçoar aquele que presta culto,

Os quais não passam de ordenanças da carne, baseadas somente em comidas, e bebidas, e diversas abluções, impostas até ao tempo oportuno de reforma.

Quando, porém, veio Cristo como sumo sacerdote dos bens já realizados [veio em carne, morreu, ressuscitou e agora é nosso sumo sacerdote], mediante o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, quer dizer, não desta criação,

Não por meio de sangue de bodes e de bezerros, mas pelo seu próprio sangue, entrou no Santo dos Santos [representado por este primeiro bode que morreu, está claro que foi Cristo, o cordeiro pascal, mas nesta cerimónia do Dia de Expiação está a lembrar-nos o que aconteceu, agora, Cristo está como sumo sacerdote], uma vez por todas, tendo obtido eterna redenção.

Por isso, irmãos, estamos aqui hoje em dia, neste período. O que se passa neste período? você e eu estamos a ser acusados dia e noite por satanás. Irmãos, satanás tem algumas razões de nos acusar porque nós não somos perfeitos. Nós, de vez em quando, cometemos alguns erros e ele está a nos acusar. Veja em Apocalipse 12 versículo 10:

Então, ouvi grande voz do céu, proclamando: Agora, veio a salvação, o poder, o reino do nosso Deus e a autoridade do seu Cristo, pois foi expulso o acusador de nossos irmãos, o mesmo que os acusa de dia e de noite, diante do nosso Deus.

Hoje em dia, satanás está a nos acusar dia e noite. Por isso, nós oramos porque Jesus Cristo, como nosso advogado de defesa nos céus, está a nos defender perante o Pai. Está a intervir por nós; está a aplicar o seu sangue para nos perdoar e por isso, quando nos arrependermos, oramos e pedimos ajuda. Jesus Cristo, quando pecamos de novo, vem à nossa ajuda porque é nosso advogado de defesa, o nosso salvador, o nosso irmão que tem compaixão por nós e compreende as nossas dificuldades e intervêm por nós. Por isso, ele é parte deste trono de graça. Veja em Hebreus 4 versículos 14 a 16:

Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão.

Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado.

Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.

Quando precisamos de socorro, Jesus Cristo está aí como nosso sumo sacerdote, no céu, e quando nós nos ajoelhamos e pedimos socorro, ajuda, ele nos ajuda nesta ocasião oportuna.

Continuando a ler em Hebreus 5, a partir do versículo 11:

A esse respeito temos muitas coisas que dizer e difíceis de explicar, porquanto vos tendes tornado tardios em ouvir.

Sim, nós temos muito a aprender irmãos. Temos muito a aprender.

Pois, com efeito, quando devíes ser mestres [Pois, estamos na igreja, alguns de nós, que devíamos saber mais, devíamos de ter feito melhor mas não.], atendendo ao tempo decorrido [devíes estar numa posição de saber mais …], tendes, novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimentos sólido.

Ora, todo aquele que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça, porque é criança.

Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas facudades exercitadas para discenir não somente o bem, mas também o mal.

Isso é o que é maturidade cristã. A capacidade de distinguir o bem do mal e não estar a ser enganado por estas coisas todas do mundo. Por isso, irmãos, precisamos estar perto de Deus e discernir o bem do mal. Precisamos de ser maduros. Mas, Jesus Cristo, entretanto, está a nos ajudar. Isto é a posição em que estamos hoje em dia. Então, veja em Hebreus 9 versículo 14:

Muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito etrno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras obras mortas [por que? Porque as paramos de fazê-las; não fazemos mais isso], para servirmos ao Deus vivo!

Queridos irmãos, este é o simbolismo destes dois bodes: o primeiro bode é Jesus Cristo que morreu. Agora Jesus está no céu como nosso sumo sacerdote ao fim de completarmos isso e Jesus Cristo vier, o bode vivo vai ser posto na prisão por mil anos. Este é o papel, o rol, a responsabilidade de Jesus Cristo como nosso sumo sacerdote a intervir por nós. Vejam, de novo, em Levítico 16 versículo 19:

Do sangue aspergirá, com o dedo, sete vezes sobre o altar, e o purificará, e o santificará das impurezas dos filhos de Israel.

Aqui o sumo sacerdote físico, simbolizando o sumo sacerdote espiritual, que é Jesus Cristo, a aspergir o seu próprio sangue, a nos lavar dos nossos próprios pecados. Os pecados dos filhos de Israel. E nós somos filhos de Israel espirituais.

Havendo, pois, acabado de fazer expiação pelo santuário, pela tenda da congregação e pelo altar, então, fará chegar o bode vivo.

Quando se completar tudo isto e chegar a hora de Jesus Cristo voltar para a terra e, como vimos, quando voltar para a terra, vai ser a hora de estabelecer o reino de Deus sobre a terra, à última trombeta; depois disto, vai haver uma rebelião, das pessoas humanas que se vão juntar no vale de Megido, e depois vão para Jerusalém, depois vai haver um terremoto, as pessoas vivas fugirão e então, haverá esta luta e da própria boca de Cristo, da língua, da palavra, vem esta força capaz de as pessoas sejam destruídas e acabarem apodrecer enquanto ainda vivas como lemos em Zacarias 14. Então, os exércitos das nações serão destruídas. Então, este bode vivo, representando satanás, então, vê-se aí, no versículo 21:

Arão [que representa o sacerdote físico] porá ambas as mãos sobre a cabeça do bode vivo e sobre ele confessará todas as iniquidades dos filhos de Israel, todas as suas transgressões e todos os seus pecados; e os porá sobre a cabeça do bode e enviá-lo-á ao deserto, pela mão de um homem [como lemos em Apocalipse 20, por um anjo, vai ser posto no abismo] à disposição para isso.

Jesus Cristo vai por a responsabilidade dos pecados ao diabo. Nós temos certas responsabilidades mas aquele que está a incitar tem responsabilidades e ele vai ser enviado ara o deserto como lemos em Apocalipse 20 que é para o abismo. Versículo 22:

Assim, aquele bode levará sobre si todas as iniquidades deles para terra solitária; e o homem soltará o bode no deserto [isto é, será posto no abismo e não poderá sair de lá].

Satanás terá responsabilidade sobre estes pecados.

Ora, uma vez que isto tenha acontecido, irmãos, há liberdade na terra. Por que? Porque o enganador está preso. O líder principal destes enganos deste mundo, o culpado principal dos problemas mundiais está finalmente preso e então, leiamos em Levítico 25, vamos começar a ler no versículo 8:

Contarás sete semanas de anos, sete vezes sete anos, de maneira que os dias das sete semanas de anos te serão quarenta e nove anos.

Então, no mês sétimo, aos dez do mês, farás passar a trombeta vibrante; no Dia da Expiação, fareis passar a trombeta por toda a vossa terra.

Santificarás o ano quinquagésimo e proclamareis liberdade na terra a todos os seus moradores; ano de jubileu vos será, e tornareis, cada um à sua possessão, e cada um à sua família.

Aí vemos que este período vai ser um período de jubileu e esta trombeta é tocada no sétimo mês aos dez do mês e vê-se que é o jubileu, liberdade na terra. Então, essa é uma cerimónia muito solene que daí em diante, há liberdade na terra. Continuemos, como vimos em Apocalipse 20 versículos 1 a 3 que satanás foi preso e encerrado no abismo, isto é, neste deserto, em analogia com Levítico 16. Agora, no versículo 4, de Apocalipse 20:

Vi também tronos, e nestes sentaram-se aqueles aos quais foi dada autoridade de julgar [os santos, os ressuscitados, os reis debaixo do Rei dos reis; os senhores debaixo do Senhor dos senhores]. vi ainda as almas dos decapitados por causa do testemunho de Jesus, bem como por causa da palavra de Deus, tantos quantos não adoraram a besta, nem tampouco a sua imagem, e não receberam a marca na fronte e na mão; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos.

Então, o paraíso na terra pode começar e realmente há liberdade no mundo. Finalmente liberdade no mundo. No próximo sermão desta série analisaremos com mais detalhes o milênio, o mundo de amanhã.