Pregando o evangelho e preparando um povo

A importância da família

Você está aqui

A importância da família

Downloads
MP3 Audio (20.87 MB)

Downloads

A importância da família

MP3 Audio (20.87 MB)
×

A família é uma instituição divina – estabelecida por Deus.

Notas de sermão

A família é uma instituição divina – estabelecida por Deus.

As nossas famílias são in iciadas – quando nos conduzimos de acordo com os mandamentos de Deus – pelo compromisso do matrimónio.

Daí – se entende que sem um bom matrimónio a família se desfaz. Sim,é c ríticamente importante ter um bom matrimónio.

Por exemplo – se o matrimónio não é bom, e acaba num divórcio, aqueles que são mais afetados pelo divórcio são os filhos.

É i mportante, porque Deus criou a família e tem um plano especial para a família.

1 João 3:1-3 1 João 3:1-3 1 Vede que grande amor nos tem concedido o Pai: que fôssemos chamados filhos de Deus; e nós o somos. Por isso o mundo não nos conhece; porque não conheceu a ele. 2 Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é, o veremos. 3 E todo o que nele tem esta esperança, purifica-se a si mesmo, assim como ele é puro.
Almeida Atualizada×
– Somos filhos de Deus

Efé 3:14-19 – Toda a família! Para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus!

Este sermão descreve sete p rincípios vitais para termos uma boa família.

#1 – ENTENDER

Infelizmente muitas pessoas que vivem juntas – frequentemente não se entendem!   Mas não estou a falar de “viver juntos” …. mas estou a falar de sermos UM - de estarmos verdadeiramente unidos.

Gênesis 2:18 Gênesis 2:18Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora que lhe seja idônea.
Almeida Atualizada×
, 20-24
– Uma só carne (está claro que são dois seres) - Echad

Como Altíssimo e o Verbo eram UM - Deus o Pai e o Filho são UM

João 17:20-22 João 17:20-22 20 E rogo não somente por estes, mas também por aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim; 21 para que todos sejam um; assim como tu, ó Pai, és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. 22 E eu lhes dei a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um;
Almeida Atualizada×
– como somos UM — não é só viver juntos! Perfeitos em unidade ( V23 )

1 Coríntios 9:19-22 1 Coríntios 9:19-22 19 Pois, sendo livre de todos, fiz-me escravo de todos para ganhar o maior número possível: 20 Fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivesse eu debaixo da lei (embora debaixo da lei não esteja), para ganhar os que estão debaixo da lei; 21 para os que estão sem lei, como se estivesse sem lei (não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo), para ganhar os que estão sem lei. 22 Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns.
Almeida Atualizada×
– Tratamos os nossos filhos todos da “mesma maneira” – porque amamos a todos. Mas também tratamos os nossos filhos  diferentemente, pois respeitamos e reconhecemos (em amor) as diferentes personalidades deles. Por isso damos a cada um individualmente, o que eles necessitam individualmente. 

1 Coríntios 13:11 1 Coríntios 13:11Quando eu era menino, pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
Almeida Atualizada×
– alinhado à outra pessoa. Por exemplo:  tratar os mais pequenos / os moços / as moças da maneira que entendam!

– Como é que devemos de tratar o próximo – os filhos e filhas? Desejamos tratar a todos corretamente - isto é - o que é correto em amor para eles. E por causa disso têm necessidades diferentes, e tratamos-os diferentemente. 

#2 RESPEITAR (mútuamente)

R espeito de  pai para filho e de filho para pai. Por exemplo: Sair dum c huveiro escorregadio com cuidado: Exemplo num hotel quase que caí…

T ratar com respeito e cuidado

R om 14:12 – todos somos diferentes

D eut 30:19 – Deus no dá arbítrio livre: Respeitar o próximo: Precisamos de escolher esse respeito de livre vontade. 

S im farão erros– mas há perdão – quando existe arrependimento.

1 Pe d 2:17 respeitar as pessoas que têm que aprender de fazer as suas escolhas. 

Ajude as crianças a ver as conseqüências lógicas: Por exemplo: 

Não comem o jantar – e por isso não podem comer sobremesa: é lógico! Mas se n ão comem o jantar – e por isso não podem ver TV: Essa disciplina não tem a mesma lógica. 

# 3 – ENSINAR (pela pratica e pelo que dizemos)

S uas atitudes falam tão alto que não consigo ouvir o que você diz…

É necessário haver integridade…. Mas se as atitudes não são segundo Deus, os filhos vêm logo a hipocrisia.

É preciso ter  respeito, obediência, honra, honestidade … em casa … e  se viverem num ambiente de completa integridade então serão dignos. 

T ito 2:7 – sejas um bom exemplo. Doutrina (ensinar)

E fésios 6:1-4 – Honra – não provoqueis à ira…

P rov 12:1; 13:1 – Ensine!

D eut 6:6-7 – Use todas as oportunidades para ensinar… seja à  mesa; seja atividades sociais; seja passeadas; seja convivência…

O s seus pais deixaram uma marca em você.  Que marca você está deixando nos seus filhos?

# 4 – LEALDADE

L ealdade a cada um – lealdade ao nome da família

E cles 7:1 – uma boa reputação

A poc 2:10 – Sê fiel até a morte – alguns vão ter que ter fieis até à morte! Quer dizer que não receberão alívio durante esta vida.

S almos 127:3-5 – A sua aljava: os seus “Filhos”; e as suas situções, o seu emprego; saúde; finanças, etc…

# 5 – AMAR

A  base do matrimónio é o amor.

J oão 3:16 – Mas amor não é sómente uma emoção – amor é ação – atos de amor!

T ito 2:3-5 – Ensinar a amar – não é somente uma emoção – Ensinar atos de amor!

P rov 3:27 – Não digas somente – faz, porque os amas!

A  maior demonstração de amor: dar tempo.

# 6 – ENCORAJAR

Dar  (por exemplo aos seus filhos) uma visão – uma meta – um sonho realístico – e encorajar a perseguir essa meta.

P rov 29:18 – Profecia: uma visão

S em profecia – sem visão – perdem direção – não vêm a meta – e perdem o desejo de fazer o correto para ‘conquistar’ a meta.

Igualmente, g uarda a lei porque vê o propósito – a meta: amor! Q ueremos que os nossos filhos tenham uma visão  – uma meta – um sonho realístico na vida deles.

Mateus 6:33 Mateus 6:33Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.
Almeida Atualizada×
Deus nos dá uma visão: O Reino de Deus

– isso nos motiva a fazer o que é correto: A Sua Justiça!

– e nos ajuda a desenvolver o domínio próprio para fazermos o que é correto.

H eb 3:13 NVI: Encorajem-se mutuamente

E fé 6 :4 – Não os provoques à ira – encoraja-os!

# 7 - ENVOLVER DEUS EM SUA FAMÍLIA

A  família que ora unida, permanece unida:

- porque faz (ou tem)  lembranças para sempre

- porque  entendemos as preocupações dos outros (dos nossos filhos) – e por isso o nosso relacionamento (amor) torna-se maior.

- porque  ensina humildade (pais para com os filhos)

- porque en sina aos filhos que Deus está sempre perto

F il 2:13 – Deus vos ajudará.

P ermita que seus filhos vejam que você ora.

J osué 24:14-15 – “Eu e a minha casa…”

Nós vimos sete p rincípios vitais para termos uma boa família.

#1 – ENTENDER o outro para sermos UM

# 2 – RESPEITAR (mútuamente) – demonstramos confiança neles

# 3 – ENSINAR (pela pratica diária e não só pelo que dizemos)

# 4 – LEALDADE – à família – promove o desejo de manter uma boa reputação (um bom nome)

#5  – AMAR – é ações, como dar tempo e atenção

#6  – ENCORAJAR – a ter uma neta / visão na vida e encorajar a seguir essa meta / usar o seu domínio próprio

# 7 - ENVOLVER DEUS EM SUA FAMÍLIA – orem juntos – Nós seguiremos o Senhor!

P raticando estes princípios diáriamente – faz uma impressão duradoura

E nsine que a família é realmente imortante

G anhe o coração dos seus filhos