Ajuda para hoje e esperança para o amanhã! 

A Páscoa Bíblica

A Páscoa Bíblica

Transferência

Transferência

A Páscoa Bíblica

×

A Páscoa é o primeiro dos sete festivais anuais de Deus enumerados em Levítico 23, seguido imediatamente pela Festa dos Pães Asmos por sete dias. (Veja o capítulo intitulado “Os Festivais de Deus”, começando na página 39). Como o Novo Testamento nos instrui, devemos observar a Páscoa, em comemoração do sacrifício de Jesus Cristo.

A observância da Páscoa tal como revelada aos israelitas quando da libertação deles do Egito, como registrado em Êxodo 12-13, envolvia cada família sacrificar um cordeiro sem defeito no dia 14 do primeiro mês do calendário Hebraico (Abibe ou Nisan) e comê-lo com pães Asmos e ervas amargas. Além da carne, ervas e pão asmo, tradicionalmente, a Páscoa também veio a incluir vinho.

O sangue do cordeiro, colocado nessa noite à volta das portas dos israelitas, foi um sinal ao Senhor para “passar por cima”2 das casas deles (protegendo-os) quando Deus em julgamento justo matou os primogênitos do Egito. A vida dos primogênitos israelitas foram, assim, redimidas (compradas de volta ou resgatadas) pelo sangue do cordeiro.

Daí em diante, quando os israelitas observavam a Páscoa na mesma data, eles deviam recordar esta redenção no Egito (enquanto que a Festa dos Pães Asmos, que se segue, comemora a libertação da escravidão Egita durante o Êxodo).

No entanto, além de recordar a redenção dos israelitas no passado, a Páscoa do Antigo Testamento prefigurava uma redenção ainda muito maior—por um sacrifício muito maior. “Porque Cristo, nossa Páscoa, foi sacrificado por nós” (1 Coríntios 5:7 1 Coríntios 5:7Expurgai o fermento velho, para que sejais massa nova, assim como sois sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado.
Almeida Atualizada×
). Jesus Cristo é referido como “o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (João 1:29 João 1:29No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.
Almeida Atualizada×
). Nós somos “resgatados…com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado [sem defeito] e incontaminado [sem mancha]” (1 Pedro 1:18-19 1 Pedro 1:18-19 18 sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver, que por tradição recebestes dos vossos pais, 19 mas com precioso sangue, como de um cordeiro sem defeito e sem mancha, o sangue de Cristo,
Almeida Atualizada×
). (Veja o capítulo intitulado “O Sacrifício de Jesus Cristo”, começando na página 22.)

A morte de Jesus ocorreu na tarde do dia 14 de Abibe, a data da Páscoa bíblica. Sabemos isto porque era o dia da preparação para o sábado anual que se seguiu no dia 15, o primeiro dia da festa de sete dias dos pães Asmos (Mateus 27:62 Mateus 27:62No dia seguinte, isto é, o dia depois da preparação, reuniram-se os principais sacerdotes e os fariseus perante Pilatos,
Almeida Atualizada×
, Marcos 15:42 Marcos 15:42Ao cair da tarde, como era o dia da preparação, isto é, a véspera do sábado,
Almeida Atualizada×
, Lucas 23:54 Lucas 23:54Era o dia da preparação, e ia começar o sábado.
Almeida Atualizada×
, João 19: 14, 31, 42). (Veja o capítulo intitulado “Três Dias e Três Noites”, começando na página 25.)

Além disso, na noite antes da Sua morte , Jesus observou uma cerimônia memorial com os Seus discípulos que Ele especificamente identificou como a Páscoa (Mateus 26:17-30 Mateus 26:17-30 17 Ora, no primeiro dia dos pães ázimos, vieram os discípulos a Jesus, e perguntaram: Onde queres que façamos os preparativos para comeres a páscoa? 18 Respondeu ele: Ide � cidade a um certo homem, e dizei-lhe: O Mestre diz: O meu tempo está próximo; em tua casa celebrarei a páscoa com os meus discípulos. 19 E os discípulos fizeram como Jesus lhes ordenara, e prepararam a páscoa. 20 Ao anoitecer reclinou-se � mesa com os doze discípulos; 21 e, enquanto comiam, disse: Em verdade vos digo que um de vós me trairá. 22 E eles, profundamente contristados, começaram cada um a perguntar-lhe: Porventura sou eu, Senhor? 23 Respondeu ele: O que mete comigo a mão no prato, esse me trairá. 24 Em verdade o Filho do homem vai, conforme está escrito a seu respeito; mas ai daquele por quem o Filho do homem é traido! bom seria para esse homem se não houvera nascido. 25 Também Judas, que o traía, perguntou: Porventura sou eu, Rabí? Respondeu-lhe Jesus: Tu o disseste. 26 Enquanto comiam, Jesus tomou o pão e, abençoando-o, o partiu e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo. 27 E tomando um cálice, rendeu graças e deu-lho, dizendo: Bebei dele todos; 28 pois isto é o meu sangue, o sangue do pacto, o qual é derramado por muitos para remissão dos pecados. 29 Mas digo-vos que desde agora não mais beberei deste fruto da videira até aquele dia em que convosco o beba novo, no reino de meu Pai. 30 E tendo cantado um hino, saíram para o Monte das Oliveiras.
Almeida Atualizada×
, Marcos 14:12-26 Marcos 14:12-26 12 Ora, no primeiro dia dos pães ázimos, quando imolavam a páscoa, disseram-lhe seus discípulos: Aonde queres que vamos fazer os preparativos para comeres a páscoa? 13 Enviou, pois, dois dos seus discípulos, e disse-lhes: Ide � cidade, e vos sairá ao encontro um homem levando um cântaro de água; seguí-o; 14 e, onde ele entrar, dizei ao dono da casa: O Mestre manda perguntar: Onde está o meu aposento em que hei de comer a páscoa com os meus discípulos? 15 E ele vos mostrará um grande cenáculo mobiliado e pronto; aí fazei-nos os preparativos. 16 Partindo, pois, os discípulos, foram � cidade, onde acharam tudo como ele lhes dissera, e prepararam a páscoa. 17 Ao anoitecer chegou ele com os doze. 18 E, quando estavam reclinados � mesa e comiam, disse Jesus: Em verdade vos digo que um de vós, que comigo come, há de trair-me. 19 Ao que eles começaram a entristecer-se e a perguntar-lhe um após outro: Porventura sou eu? 20 Respondeu-lhes: É um dos doze, que mete comigo a mão no prato. 21 Pois o Filho do homem vai, conforme está escrito a seu respeito; mas ai daquele por quem o Filho do homem é traído! bom seria para esse homem se não houvera nascido. 22 Enquanto comiam, Jesus tomou pão e, abençoando-o, o partiu e deu-lho, dizendo: Tomai; isto é o meu corpo. 23 E tomando um cálice, rendeu graças e deu-lho; e todos beberam dele. 24 E disse-lhes: Isto é o meu sangue, o sangue do pacto, que por muitos é derramado. 25 Em verdade vos digo que não beberei mais do fruto da videira, até aquele dia em que o beber, novo, no reino de Deus. 26 E, tendo cantado um hino, saíram para o Monte das Oliveiras.
Almeida Atualizada×
e Lucas 22:7-20 Lucas 22:7-20 7 Ora, chegou o dia dos pães ázimos, em que se devia imolar a páscoa; 8 e Jesus enviou a Pedro e a João, dizendo: Ide, preparai-nos a páscoa, para que a comamos. 9 Perguntaram-lhe eles: Onde queres que a preparemos? 10 Respondeu-lhes: Quando entrardes na cidade, sair-vos-á ao encontro um homem, levando um cântaro de água; segui-o até a casa em que ele entrar. 11 E direis ao dono da casa: O Mestre manda perguntar-te: Onde está o aposento em que hei de comer a páscoa com os meus discípulos? 12 Então ele vos mostrará um grande cenáculo mobiliado; aí fazei os preparativos. 13 Foram, pois, e acharam tudo como lhes dissera e prepararam a páscoa. 14 E, chegada a hora, pôs-se Jesus � mesa, e com ele os apóstolos. 15 E disse-lhes: Tenho desejado ardentemente comer convosco esta páscoa, antes da minha paixão; 16 pois vos digo que não a comerei mais até que ela se cumpra no reino de Deus. 17 Então havendo recebido um cálice, e tendo dado graças, disse: Tomai-o, e reparti-o entre vós; 18 porque vos digo que desde agora não mais beberei do fruto da videira, até que venha o reino de Deus. 19 E tomando pão, e havendo dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. 20 Semelhantemente, depois da ceia, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo pacto em meu sangue, que é derramado por vós.
Almeida Atualizada×
). Este foi o início do dia 14 de Abibe, porque os dias bíblicos são contados de pôr-do-sol a pôr-do-sol. (Para mais informações sobre a maneira bíblica de contar dias, veja o capítulo intitulado “O Dia de Sábado”, começando na página 33.)

Jesus ordenou que a partir daí o dia da Páscoa, devia ser observado por Seus seguidores em memória dEle , e declarou que os símbolos do pão sem fermento e vinho deviam ser considerados representativos do Seu corpo e Seu sangue dado em sacrifício. Jesus disse sobre o vinho: “Este é o Meu sangue, o sangue da Nova Aliança” (Mateus 26:28 Mateus 26:28pois isto é o meu sangue, o sangue do pacto, o qual é derramado por muitos para remissão dos pecados.
Almeida Atualizada×
, Marcos 14:24 Marcos 14:24E disse-lhes: Isto é o meu sangue, o sangue do pacto, que por muitos é derramado.
Almeida Atualizada×
, ARA), instituindo a Nova Aliança para os Cristãos de hoje—coerente com Seu papel como “o Mediador da Nova Aliança” (Hebreus 12:24 Hebreus 12:24e a Jesus, o mediador de um novo pacto, e ao sangue da aspersão, que fala melhor do que o de Abel.
Almeida Atualizada×
).

Jesus também disse que o Seu sangue foi “derramado em favor de muitos, para remissão de pecados” (Mateus 26:28 Mateus 26:28pois isto é o meu sangue, o sangue do pacto, o qual é derramado por muitos para remissão dos pecados.
Almeida Atualizada×
, ARA), revelando que a Sua morte sacrificial pagaria a pena da morte por conseqüência do pecado (Romanos 6:23 Romanos 6:23Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.
Almeida Atualizada×
; ver Hebreus 9:15 Hebreus 9:15E por isso é mediador de um novo pacto, para que, intervindo a morte para remissão das transgressões cometidas debaixo do primeiro pacto, os chamados recebam a promessa da herança eterna.
Almeida Atualizada×
).

Mas a Páscoa bíblica do Novo Testamento não é apenas a respeito da morte de Jesus como o Cordeiro de Deus. É também a respeito do Seu sofrimento (Lucas 22:15 Lucas 22:15E disse-lhes: Tenho desejado ardentemente comer convosco esta páscoa, antes da minha paixão;
Almeida Atualizada×
). Devemos relembrar o sacrifício total que Ele fez—tanto o Seu sofrimento como a Sua morte. Seu sofrimento, morte e sepultamento ocorreram no dia 14 de Abibe. Os símbolos do pão asmo e do vinho representam o Seu sacrifício total—isto é, representam ambos o Seu sofrimento e Sua morte.

A morte de Jesus ocorreu, como mencionado, à tarde do dia 14 de Abibe, mas o Seu período de sofrimento intenso começou na noite anterior à Sua morte, enquanto ele ainda estava com seus discípulos: “E, levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se muito. Então, lhes disse: A minha alma está cheia de tristeza até à morte” (Mateus 26:37-38 Mateus 26:37-38 37 E levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se. 38 Então lhes disse: A minha alma está triste até a morte; ficai aqui e vigiai comigo.
Almeida Atualizada×
).

Em Seu sacrifício, Jesus tomou sobre Si mesmo as penalidades de todos os pecados da humanidade (1 Pedro 3:18 1 Pedro 3:18Porque também Cristo morreu uma só vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; sendo, na verdade, morto na carne, mas vivificado no espírito;
Almeida Atualizada×
). Quando nós compartilhamos do mesmo pão e vinho, reconhecemos que Ele ofereceu Seu corpo e sangue para cobrir os nossos pecados. Através da fé no sacrifício de Jesus Cristo somos reconciliados com Deus Pai.

Reconciliação nos dá acesso ao Pai, fazendo possível que cheguemos corajosamente perante Seu trono de graça para socorro em tempo de necessidade (Hebreus 4:16 Hebreus 4:16Cheguemo-nos, pois, confiadamente ao trono da graça, para que recebamos misericórdia e achemos graça, a fim de sermos socorridos no momento oportuno.
Almeida Atualizada×
). É por causa do sacrifício de Cristo que podemos ser curados espiritualmente, fisicamente, mentalmente e emocionalmente (Isaías 53:4-5 Isaías 53:4-5 4 Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e carregou com as nossas dores; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. 5 Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.
Almeida Atualizada×
; Tiago 5:14 Tiago 5:14Está doente algum de vós? Chame os anciãos da igreja, e estes orem sobre ele, ungido-o com óleo em nome do Senhor;
Almeida Atualizada×
). (Novamente, veja o capítulo intitulado “O Sacrifício de Jesus Cristo”, começando na página 22.)

Quando comemos o pão asmo durante a cerimônia memorial na noite de Páscoa bíblica, simbolizamos a nossa participação no benefício do sacrifício de Cristo, assim como simbolizamos Cristo vivendo em nós (João 6:53-54 João 6:53-54 53 Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: Se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. 54 Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.
Almeida Atualizada×
). Nós também mostramos a nossa união com Cristo e com cada membro do Corpo de Cristo, a Igreja (1 Coríntios 10:16 1 Coríntios 10:16Porventura o cálice de bênção que abençoamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos, não é porventura a comunhão do corpo de Cristo?
Almeida Atualizada×
), assim como a nossa disposição em viver pela Palavra de Deus.

Paulo explica, em 1 Coríntios 11:20-26 1 Coríntios 11:20-26 20 De sorte que, quando vos ajuntais num lugar, não é para comer a ceia do Senhor; 21 porque quando comeis, cada um toma antes de outrem a sua própria ceia; e assim um fica com fome e outro se embriaga. 22 Não tendes porventura casas onde comer e beber? Ou desprezais a igreja de Deus, e envergonhais os que nada têm? Que vos direi? Louvar-vos-ei? Nisto não vos louvo. 23 Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou pão; 24 e, havendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo que é por vós; fazei isto em memória de mim. 25 Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo pacto no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim. 26 Porque todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes do cálice estareis anunciando a morte do Senhor, até que ele venha.
Almeida Atualizada×
que através desta cerimônia “anunciamos a morte do Senhor, até que Ele venha”—demonstrando o único caminho pelo qual o ser humano poderá ser reconciliado com Deus. De fato, a Páscoa bíblica, acaba por apontar para o futuro. Apesar do sacrifício de Cristo ser o cumprimento do assassinato do cordeiro, Ele disse que o significado completo da Páscoa seria “cumprido no reino de Deus” (Lucas 22:15-16 Lucas 22:15-16 15 E disse-lhes: Tenho desejado ardentemente comer convosco esta páscoa, antes da minha paixão; 16 pois vos digo que não a comerei mais até que ela se cumpra no reino de Deus.
Almeida Atualizada×
). Isto é quando o processo de redenção será completado.

Além disso, a apresentação por Cristo do vinho como símbolo do Seu sangue da Nova Aliança era, na simbologia maior, um tipo de proposta de casamento ao seu povo—prefigurando as “bodas do Cordeiro”, que seguirá o Seu retorno (Apocalipse 19:7 Apocalipse 19:7Regozijemo-nos, e exultemos, e demos-lhe a glória; porque são chegadas as bodas do Cordeiro, e já a sua noiva se preparou,
Almeida Atualizada×
, 9). (Veja o capítulo intitulado “A Igreja,” começando na página 56.)

Quanto à observação da Páscoa bíblica nos dias de hoje, Paulo disse na mesma passagem em 1 Coríntios 11, que a Igreja se deve “reunir” (versículo 20) para “comerdes este pão e beberdes deste cálice” (versículos 26-27). E ele confirmou aqui que devemos observar este “memorial” (versículo 24), quando Jesus o observou com seus discípulos, “ na noite em que foi traído” (versículo 23)—ao início do dia 14 de Abibe.

O culto anual da Páscoa bíblica também deve incluir a ordenança do lava-pés, tal como estabelecido por Jesus nessa mesma celebração da Páscoa. Depois de dar um exemplo de ser um servo, lavando os pés dos Seus discípulos, Ele declarou: “vós deveis também lavar os pés uns aos outros. Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também…Se sabeis essas coisas , bem-aventurados sois se as fizerdes” (João 13:14-17 João 13:14-17 14 Ora, se eu, o Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros. 15 Porque eu vos dei exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também. 16 Em verdade, em verdade vos digo: Não é o servo maior do que o seu senhor, nem o enviado maior do que aquele que o enviou. 17 Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes.
Almeida Atualizada×
).

Todos os três elementos—o lava-pés, o pão asmo e o vinho—são parte da celebração anual da Páscoa bíblica. Deve ser observada apenas uma vez por ano, após o pôr-do-sol no início do dia 14 do primeiro mês do calendário Hebraico, conforme estabelecido pela Palavra de Deus.

Esta celebração é tão importante aos olhos de Deus que Ele deu uma disposição em Números 9:1-14 Números 9:1-14 1 Também falou o Senhor a Moisés no deserto de Sinai, no primeiro mês do segundo ano depois que saíram da terra do Egito, dizendo: 2 Celebrem os filhos de Israel a páscoa a seu tempo determinado. 3 No dia catorze deste mês, � tardinha, a seu tempo determinado, a celebrareis; segundo todos os seus estatutos, e segundo todas as suas ordenanças a celebrareis. 4 Disse, pois, Moisés aos filhos de Israel que celebrassem a páscoa. 5 Então celebraram a páscoa no dia catorze do primeiro mês, � tardinha, no deserto de Sinai; conforme tudo o que o Senhor ordenara a Moisés, assim fizeram os filhos de Israel. 6 Ora, havia alguns que se achavam imundos por terem tocado o cadáver de um homem, de modo que não podiam celebrar a páscoa naquele dia; pelo que no mesmo dia se chegaram perante Moisés e Arão; 7 e aqueles homens disseram-lhes: Estamos imundos por havermos tocado o cadáver de um homem; por que seríamos privados de oferecer a oferta do Senhor a seu tempo determinado no meio dos filhos de Israel? 8 Respondeu-lhes Moisés: Esperai, para que eu ouça o que o Senhor há de ordenar acerca de vós. 9 Então disse o Senhor a Moisés: 10 Fala aos filhos de Israel, dizendo: Se alguém dentre vós, ou dentre os vossos descendentes estiver imundo por ter tocado um cadáver, ou achar-se longe, em viagem, contudo ainda celebrará a páscoa ao Senhor. 11 No segundo mês, no dia: catorze, � tardinha, a celebrarão; comê-la-ão com pães ázimos e ervas amargas. 12 Dela não deixarão nada até pela manhã, nem quebrarão dela osso algum; segundo todo o estatuto da páscoa a celebrarão. 13 Mas o homem que, estando limpo e não se achando em viagem, deixar de celebrar a páscoa, essa alma será extirpada do seu povo; porquanto não ofereceu a oferta do Senhor a seu tempo determinado, tal homem levará o seu pecado. 14 Também se um estrangeiro peregrinar entre vós e celebrar a páscoa ao Senhor, segundo o estatuto da páscoa e segundo a sua ordenança a celebrará; haverá um só estatuto, quer para o estrangeiro, quer para o natural da terra.
Almeida Atualizada×
que se uma pessoa for impedida por circunstâncias inevitáveis de observar a Páscoa bíblica no dia 14 do primeiro mês, essa pessoa pode observar a Páscoa um mês mais tarde, o dia 14 do segundo mês. A Igreja de Deus Unida continua essa prática hoje.

Finalmente, deve-se afirmar que a Páscoa bíblica representa um passo importante no plano de salvação de Deus. Enquanto que a morte sacrificial de Cristo, como comemorada na Páscoa bíblica, nos reconcilia com Deus, realmente nós somos salvos pela vida de Cristo (Romanos 5:9-10 Romanos 5:9-10 9 Logo muito mais, sendo agora justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. 10 Porque se nós, quando éramos inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida.
Almeida Atualizada×
). Conforme descrito no capítulo seguinte, esta libertação é retratada na Festa dos Pães Asmos e os outros festivais de Deus que se seguem.

You might also be interested in...

Acreditamos no mandamento da celebração dos sete festivais anuais que foram...